Posts Tagged ‘saúde’

Salvador: Parceria entre Prefeitura e APAE amplia atendimentos a pacientes com doenças raras

quinta-feira, setembro 12th, 2019

A Prefeitura firmou na quarta-feira, dia 11/9, convênios com a Apae, Instituto Bahiano de Reabilitação (IBR), Núcleo de Atendimento à Criança com Paralisia Cerebral (NACPC) e o Centro Nzinga de Atenção à Saúde Mental da Mulher para ampliação do atendimento, via Sistema Único de Saúde (SUS), a pacientes com doenças raras, além de pessoas com deficiência física e intelectual ou que necessitam de suporte psicossocial. O evento ocorreu no Palácio Thomé de Souza, no Centro, e contou com as presenças do prefeito ACM Neto e do titular da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), Leo Prates.

Também estiveram presentes Davina Brandão, representante do Centro Nzinga; Tatiana Amorim, diretora técnica Serviços de Referências de Doenças Raras da Apae; Carlos Dumet, superintendente administrativo do IBR; Pedro Guimarães, presidente e fundador do NACPC; Derval Evangelista, presidente em exercício da Apae; e Geraldo Leite, presidente da Fundação José Silveira.

A parceria com essas entidades, que já possuem reconhecimento e expertise no município, ocorre após abertura de um chamamento público. A Apae, o IBR e o NACPC já são habilitados pelo Ministério da Saúde como Centros Especializados em Reabilitação (CER II), enquanto que o Nzinga está habilitado como Centro de Atenção Psicossocial (CAPS I).

“Estamos nessa primeira etapa assinando contrato especificamente com as quatro entidades, somando investimento anual de R$ 33,5 milhões, que será importantíssimo para que a gente possa ampliar a atenção a pessoas com deficiência, inclusive pessoas com deficiência rara”, disse o prefeito. Ele aproveitou a ocasião para fazer a entrega de uma van, que será usado pelo IBR para o transporte dos pacientes atendidos na instituição.

O prefeito também destacou a relevância do serviço prestado pelo terceiro setor. “Há um alto de grau de desconhecimento em relação ao trabalho grandioso que as instituições fazem na cidade. Por isso, o poder público tem obrigação de dar todo o suporte e apoio. Em 2013, quando assumi a Prefeitura, a situação era difícil. Havia instituições com seis meses de atraso no pagamento. Elas próprias tinham que se virar para pagar os serviços que eram prestados. Conseguimos mudar essa realidade”, disse.

Tabela – O secretário Leo Prates lembrou que a Prefeitura criou uma tabela de incentivos para os serviços contratualizados com as instituições filantrópicas. “A partir dela foi possível abrir o chamamento possibilitando a assinatura dos contratos. Cabe à SMS tanto a prestação do serviço público quanto induzir a criação de novos serviços de saúde. Hoje, é dado um passo importante porque conseguimos a inclusão de doenças raras na Apae”.

De acordo com Tatiana Amorim, diretora técnica de Serviços de Referências de Doenças Raras da Apae, graças à parceria firmada com a Prefeitura o atendimento a pacientes com doenças genéticas será expandido.

“Sempre atendíamos do ponto de vista de reabilitação, quando havia deficiência associada, mas não tínhamos como fazer diagnóstico, investigar esses casos, porque precisávamos de um suporte financeiro que não tínhamos. Existe uma politica nacional de doenças raras que vai ser implementada graças a essa contratualização”.

Ainda de acordo com a gestora, a perspectiva é que com o recurso a Apae passe da atual média de 30 pacientes com doenças raras,atendidos por mês para 20 pacientes por semana. Fonte: PMS

Foto: Max Haack/Divulgação/Secom/PMS

Governo amplia vagas em áreas mais carentes com Médicos pelo Brasil

quinta-feira, agosto 1st, 2019

O governo federal vai ampliar em pouco mais de 7,3 mil o número de médicos nas áreas mais carentes do país, sendo que 55% dos profissionais serão contratados para atender as regiões Norte e Nordeste. O Programa Médicos pelo Brasil, lançado hoje (1º), em substituição ao Mais Médicos, define novos critérios para realocação dos profissionais considerando locais com maior dificuldade de acesso, transporte ou permanência dos servidores, além do quesito de alta vulnerabilidade. A nova proposta ainda prevê formação de médicos especialistas em medicina da família e comunidade.

Confira a galeria de fotos do lançamento do programa Médicos pelo Brasil

Ao todo, serão 18 mil vagas. O novo programa vai coexistir com o Mais Médicos até o fim dos contratos que estão vigentes. Os médicos que quiserem migrar para o Médicos pelo Brasil também terão que participar do processo seletivo.

De acordo com o Ministério da Saúde, na atenção primária – base do Sistema Único de Saúde (SUS) – é possível resolver cerca de até 80% dos problemas de saúde, como diabetes, hipertensão e tuberculose. “É o momento que olhamos decisivamente para a atenção básica. Vamos reestruturar o sistema de saúde brasileira partindo da atenção primária. Isso vem de uma sequência de ações”, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, durante cerimônia no Palácio do Planalto. “Embora o nome seja atenção básica ela é muito mais complexa do que a atenção especializada, ela mexe com a dinâmica da sociedade, é ali que se faz a porta de entrada e a responsabilização da vida do indivíduo”, completou.

Os médicos do novo programa serão selecionados por processo seletivo para duas funções: médicos de família e comunidade e tutor médico. Todos deverão ter registro no Conselho Regional de Medicina (CRM). Os médicos formados no exterior, inclusive os cubanos que deixaram o Mais Médico e continuaram no Brasil, deverão passar pelo processo de revalidação do diploma (Revalida) para obter o registro e atuar no programa.

A medida provisória que cria o Médicos pelo Brasil foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro hoje e será encaminhada para avaliação do Congresso Nacional. Segundo o ministro, assim que for aprovada, o governo vai lançar edital para a seleção e contratação dos profissionais. Atualmente, existem 3,8 mil vagas, mas, até o final de 2020, o governo espera ocupar todas as 18 mil vagas, que hoje são Mais Médicos e passarão para o novo programa. O orçamento previsto para o Mais Médicos (R$ 3,4 bilhões, em 2019) será, gradativamente, transferido para o novo programa.

Contratação

Para a função de médico de família e comunidade, os profissionais que forem aprovados em teste escrito serão alocados nas unidades de Saúde da Família predefinidas pelo Ministério da Saúde. Eles terão dois anos para concluir o curso de especialização em Medicina de Família e Comunidade, recebendo bolsa-formação de R$ 12 mil mensais e gratificação de R$ 3 mil adicionais para locais remotos ou R$ 6 mil adicionais para distritos indígenas, além de localidades ribeirinhas e fluviais.

Para a função de tutor médico serão selecionados especialistas em Medicina de Família e Comunidade ou de Clínica Médica. Após aprovação em processo seletivo, estes profissionais serão contratados pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e serão responsáveis pelo atendimento à população nas unidades definidas e pela supervisão dos demais médicos durante o período do curso de especialização.

Os contratos com carteira assinada podem variar entre quatro níveis salariais que variam entre R$ 21 mil e R$ 31 mil, já incluído os acréscimos por desempenho que pode variar entre 11% a 30% do salário- medido pela qualidade de atendimento e satisfação da população – e dificuldades do local. O valor também inclui gratificação (R$ 1 mil/mês) para os médicos que acumularem o cargo de tutor. Além disto, há previsão de progressão salarial a cada três anos de participação no programa.

Áreas vulneráveis

Para classificação dos locais, o novo programa foi elaborado a partir da metodologia do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), baseada em estudo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Os municípios são divididos em cinco categorias: rurais remotos, rurais adjacentes, intermediários remotos, intermediários adjacentes e urbanos. Serão priorizados os municípios rurais remotos, rurais adjacentes e intermediários remotos que, juntos, concentram 3,4 mil cidades, além das unidades de Saúde da Família ribeirinhas e fluviais e os Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs).

Do total de vagas do Médicos pelo Brasil, 13 mil serão para essas localidades de difícil provimento. No Mais Médicos, pouco mais de 5,6 profissionais estão nesses locais. O Ministério da Saúde informou que será criado um novo modelo de financiamento da atenção básica de saúde para compensar a transferência de vagas das regiões urbanas e intermediárias adjacentes.

AMB

Para a Associação Médica Brasileira (AMB), o programa representa um avanço para a saúde no país. A AMB destaca ainda que a iniciativa marca uma posição importante para assegurar a qualidade do atendimento médico no Brasil, com a determinação do Revalida como requisito mínimo para que médicos estrangeiros atuem no país, dentro ou fora do programa. “O Médicos pelo Brasil indica o caminho para a resolução dos conflitos envolvendo os intercambistas que atuam no Mais Médicos. Entendemos que são necessárias ações humanitárias de acolhimento dos profissionais que estão em situação de refúgio e vulnerabilidade no Brasil. Muitos deles não têm, sequer, a documentação que comprova a formação em medicina. Por isso, é legítima a ideia de apoio à preparação deles para o Revalida. Porém, é preciso considerá-los inaptos para a prática de medicina no país até que eles tenham o diploma comprovado e revalidado”, reforça Diogo Leite Sampaio, vice-presidente da associação. Agência Brasil

Foto: Reprodução

Estudo revela que 80% de diabéticos podem ter doenças cardiovasculares

domingo, julho 21st, 2019

Um estudo realizado pelo EndoDebate em parceria com a Revista Saúde, mostrou que 80% das pessoas com diabetes tipo 2 apresentam indícios de comprometimento cardiovascular. Mais da metade (52%) indicam pelo menos dois destes sintomas: tontura, dores no peito e nas pernas, falta de ar e palpitações.

Intitulado “Quando o Diabetes Toca o Coração”, o estudo foi lançado em junho pelo laboratório Novo Nordisk e divulgado nesta semana. A pesquisa entrevistou 1.439 pessoas com e sem diabetes tipo 2, com idade entre 47 e 55 anos.

O levantamento mostrou que 64% dos diabéticos não seguem rigorosamente o tratamento e apenas 48% dos pacientes consideram a doença muito grave. O diabetes aparece atrás do câncer (92%), do acidente vascular cerebral (79%), do infarto (75%), do mal de Alzheimer (74%), da insuficiência renal (70%) e da insuficiência cardíaca (56%).

“A atenção ao coração é um dos grandes desafios no segmento do paciente com diabetes. Temos objetivos desafiadores no século 21 que vão além do controle da glicose no sangue, fundamental para o tratamento do diabetes tipo 2. Tudo isso passa também por reduzir o peso e o risco de hipoglicemia e umentar a segurança do ponto de vista cardiovascular”, disse o médico endocrinologista e fundador do EndoDebate, evento que ocorre até hoje (20) na capital paulista, Carlos Eduardo Barra Couri.

Desconhecimento

Sobre a primeira palavra lembrada ao pensarem em problemas do coração, 662 entrevistados mencionaram infarto; 159 disseram morte; 39, hipertensão; 25, AVC. O diabetes ficou em último. Entre os diabéticos, 61% disseram acreditar que a doença está entre os fatores de risco para problemas cardiovasculares, contra 42% entre os não diabéticos. Nos dois grupos, a pressão alta aparece em primeiro lugar, seguida do colesterol e dos triglicérides altos.

Para 60% das pessoas com diabetes tipo 2, o médico transmitiu informações insatisfatórias ou nem mencionou as questões relacionadas ao coração na última consulta para controlar o diabetes. Embora 62% desses pacientes tenham sido diagnosticados há pelo menos cinco anos, 90% dizem ainda sentirem falta de mais informações durante o tratamento.

“O tempo é determinante. É muita informação que o médico tem que passar. Eu acredito que há uma mistura de falta de informação e desconhecimento de como abordar direito esse paciente. Como falar em um tom acolhedor humano e ao mesmo tempo incisivo, informativo? Muitos médicos não sabem como fazer isso”, comenta Couri.

Percepção limitada

Apesar da gravidade da doença, a pesquisa também revelou uma percepção limitada sobre os riscos do diabetes tipo 2. Ao todo, 64% das pessoas com diabetes entrevistadas não seguem o tratamento à risca. “A adesão ao tratamento começa quando o médico abre a porta do consultório, quando o médico levanta para atender o paciente, quando o paciente tem uma consulta digna, quando o médico ouve o paciente. Adesão é muito mais do que explicar como toma o remédio, é acolher o paciente e ser humano na consulta”, explica Couri.

Segundo o laboratório parceiro da pesquisa, 13 milhões de pessoas vivem com o diabetes tipo 1 ou tipo 2 no Brasil. Desse total, estima-se que 90% tenham diabetes tipo 2, no qual o pâncreas produz a insulina insuficiente ou não age de forma adequada para diminuir a glicemia. Ele é mais comum em adultos com obesidade e em pessoas com histórico familiar de diabetes tipo 2. Quase metade das pessoas com diabetes tipo 2 não sabem ter a doença. Além disso, duas a cada três mortes de pessoas com diabetes são ocasionadas por doenças cardiovasculares. Agência Brasil

Foto: Arquivo/Agência Brasil

Policlínica em Alagoinhas completa 80 mil atendimentos em um ano

domingo, junho 9th, 2019

Inaugurada como parte da estratégia de regionalização dos serviços de saúde na Bahia, a policlínica regional em Alagoinhas completa um ano neste sábado (8), com a marca de 80 mil atendimentos realizados. O equipamento atende a demanda de 19 municípios e, ao longo do primeiro ano de funcionamento, promoveu mais de 52 mil exames e aproximadamente 27 mil consultas. 

Entre os pacientes encaminhados para a unidade, o aposentado Amadeu Oliveira, morador de Pojuca, foi atendido pela endocrinologista. “Ter essa policlínica aqui é excelente. Além da equipe, que nos trata muito bem, estou perto de casa. Antes, eu precisaria ir até Salvador, porque não encontro esse tipo de especialidade no meu município”, revelou o aposentado. 

Segundo a diretora da policlínica, Adriana Maciel, a população tem a possibilidade de realizar procedimentos em até 18 especialidades. A maior oferta de consultas está na área de ginecologia e obstetrícia. Já para exames, o raio-x lidera a lista, com cerca de 10 mil procedimentos realizados desde a inauguração. 

“Nesse primeiro ano de funcionamento, a gente já consegue perceber o impacto da policlínica na vida da população. Isso porque conseguimos dar mais celeridade no diagnóstico dos pacientes. Assim, encaminhamos esses pacientes para o tratamento de forma mais rápida e com maior chance de sucesso”, destacou a diretora.  

A policlínica em Alagoinhas alcança cerca de 580 mil baianos, que vivem nos municípios que integram o Consórcio Público Interfederativo de Saúde da região. A unidade recebeu um investimento do Governo do Estado no valor total de R$ 23 milhões. O transporte dos pacientes entre o município de origem e a policlínica é realizado gratuitamente por 10 micro-ônibus. 

Geração de empregos

Além do serviço de saúde, o equipamento é também um gerador de empregos. No local trabalham 103 profissionais nas mais diversas áreas. A auxiliar de serviços gerais Bárbara Santos estava desempregada há dois anos antes de começar a trabalhar na unidade. 

“Essa policlínica é uma benção para todo mundo. Os pacientes chegam aqui e nem acreditam que estão vindo pra uma consulta médica. Para a gente que trabalha aqui é garantia de levar o alimento para nossa família. Sou muita grata por trabalhar aqui”, afirmou Bárbara. 

Para marcar o aniversário de um ano de funcionamento, a direção da policlínica receberá os pacientes com um café da manhã junino e em clima de arrasta-pé na próxima segunda-feira (10). 

Foto: Divulgação/GOVBA

País tem estoque pra imunizar todos os brasileiros não vacinados, diz ministro

quinta-feira, janeiro 25th, 2018

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, reafirmou nesta quinta-feira, dia 25/1, que o país tem estoque suficiente para imunizar, com doses fracionadas da vacina, todos os brasileiros ainda não vacinados contra a febre amarela. No entanto, o ministério manterá a estratégia de imunizar apenas a população das áreas afetadas pela doença.

“Há doses fracionadas para todos os brasileiros e há capacidade do governo de imunizar todos os brasileiros se for necessário. Nós faremos a vacinação nas áreas onde a população tem risco de pegar a febre amarela. Nas áreas em que não há risco, nós não colocaremos a população em risco vacinando porque há reação à vacina, e algumas mortes ocorrem por reação à vacinação”, disse.

Foto: Agência Brasil

Salvador: 13 bairros ficam sem água nesta terça (16)

segunda-feira, janeiro 15th, 2018

Olha aí. 13 bairros de Salvador vão ter o abastecimento de água suspenso, na terça-feira, dia 16/1, conforme informou a Embasa. De acordo com a empresa, os bairros afetados são: Caixa D’água, Pau Miúdo, Nazaré, Cidade Nova, Comércio, Água de Meninos, Barbalho, Macaúbas, Saúde, Lapinha, Santo Antônio, parte da Liberdade e parte da Baixa de Quintas.

Ainda conforme a Embasa. a interrupção do serviço se deve ao remanejamento de um trecho de uma subadutora que está em interferência com a linha 1 do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, na região metropolitana.

A empresa ainda informou, ainda, que o serviço, será realizado pela CCR Metrô Bahia e pela Embasa, com previsão de conclusão às 8 horas da noite do mesmo dia, a partir de quando o fornecimento de água será retomado de forma gradativa nessas áreas.

Foto: reprodução

Direto de Guanambi, Rui faz crítica à gestão de ACM Neto em Salvador

sexta-feira, novembro 24th, 2017

 

Vixe. A gestão do prefeito ACM Neto (DEM) em Salvador, foi mais uma vez alvo de alfinetada do governador Rui Costa (PT), na tarde da quinta-feira, dia 23/11, durante visita às Cidades de Guanambi e Iuiú. Quando participava da entrega de unidades básicas de saúde na Cidade de Guanambi, no sudoeste baiano, o gestor estadual não poupou  elogios ao prefeito local, Jairo Magalhães (PSB).

“Com a inauguração destas três unidades, a Cidade chega a 90% de cobertura da atenção básica na saúde pública. Como eu queria que todos os 417 municípios da Bahia tivessem essa cobertura. Inclusive, a nossa capital só tem 32%”, provocou.

Rui Costa cumpre tem agenda em Guanambi nesta sexta-feira, dia 24/11, quando inaugura a policlínica regional de saúde.

 

 

Foto: Manu Dias/Divulgação/GOVBA

Rui faz visita à primeira policlínica regional

sexta-feira, novembro 17th, 2017

Para Afonso Florence, “governo de ACM Neto é um fracasso em todas as áreas”

quinta-feira, junho 1st, 2017

Largou a joça. O deputado federal baiano Afonso Florence (PT-BA), fez um discurso inflamado na Câmara dos Deputados com sérias críticas ao governo do prefeito de Salvador e adversário ACM Neto (DEM). O ataque na quarta-feira, dia 31/5, foi mais direcionado ao campo da saúde.

O parlamentar falava do “sucesso das gestões petistas” nos planos federal e estadual quando resolveu citar a capital baiana: “A Bahia avançou muito na saúde nos últimos anos. Nós saímos de 7% de cobertura na atenção básica para aproximadamente 70% com recursos do governo Lula, do governo Dilma, do governo Jaques Wagner e do governo Rui Costa. Construímos inúmeros hospitais na gestão Jaques Wagner e na gestão Rui Costa”.

“O governo de ACM [Neto] é um fracasso em todas as áreas e em especial na área da saúde, baixando a média da Bahia”, criticou.

 

 

Foto: Divulgação

Campanha de vacinação contra gripe em Salvador termina sexta-feira (26)

quarta-feira, maio 24th, 2017

A campanha de vacinação contra o vírus da gripe (Influenza) segue até a próxima sexta-feira (26), nas 126 salas de vacina das unidades básicas e saúde da família de Salvador. Desde o início da mobilização, em 18 de abril, apenas 54% do público-alvo realizou a imunização nos postos de saúde de Salvador. O índice corresponde a 364 mil indivíduos residentes no município, uma procura considerada baixa. Os menores índices de adesão estão nas gestantes (42,5%) e em crianças de 6 meses a menores de 5 anos (32,8%).

O atendimento nas unidades ocorre de segunda a sexta-feira (exceto feriado), das 8h às 17h. A subcoordenadora de Imunização do município, Doiane Lemos, acredita que a baixa procura pela vacinação é preocupante. “É importante a imunização agora para que, nos meses de junho e julho, onde a incidência da doença é maior, as pessoas com mais vulnerabilidade estejam protegidas”.

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) tem como meta imunizar pelo menos 90% de 673 mil cidadãos. O público-alvo definido pelo Ministério da Saúde é formado por idosos (a partir de 60 anos), crianças (de 6 meses a menores de 5 anos), gestantes, puérperas (mulheres que ganharam bebê nos últimos 45 dias), trabalhadores de saúde, professores do serviço público e privado, portadores de doenças crônicas e população privada de liberdade.

Foto: reprodução

Sobe número de mortes por febre amarela

terça-feira, maio 16th, 2017

Subiu para cinco o número de mortes por febre amarela no estado do Rio de Janeiro. As informações foram divulgadas nesta segunda-feira, dia 15/5, pela Secretaria de Saúde.

Exames laboratoriais feitos pela Fundação Oswaldo Cruz confirmam 14 casos da doença em todo o estado e mais duas mortes: uma em Macaé, norte fluminense, e uma em Silva Jardim, região da Baixada Litorânea.

Dos 65 municípios do Rio de Janeiros considerados mais vulneráveis ao contágio da febre amarela, 55 tiveram disponibilizadas doses em quantidade suficiente para imunização do público-alvo – entre elas, Macaé e Silva Jardim. São quase 5 milhões de doses da vacina disponibilizadas para os 92 municípios fluminenses.

Foto: Agência Brasil

Saúde registra redução dos casos de dengue, zika e chikungunya em 2017

sexta-feira, abril 21st, 2017

Os primeiros quatro meses de 2017 têm apresentado uma queda acentuada no número de casos confirmados de dengue, zika vírus e chikungunya em Salvador. Os dados apontam para a eficácia das estratégias aplicadas pelo município no controle da infestação pelo mosquito Aedes aegypti – que também é responsável pela transmissão do vírus da febre amarela, embora até agora só haja registros em micos e macacos – nos 12 distritos sanitários da capital baiana. As informações são da Secretaria Municipal de Saúde (SMS).

Entre janeiro e abril deste ano, 116 casos de dengue foram confirmados. O número é cinco vezes menor que o do primeiro quadrimestre de 2016, quando 626 pessoas tiveram diagnóstico positivo. Em relação à chikungunya, o registro foi sete vezes menor, com 11 infectados até abril contra 79 no ano anterior. Já o número de pacientes com zika vírus chegou a 15 – menos da metade do que foi computado em 2016, quando 32 pessoas apresentaram sintomas da doença nos meses de janeiro a abril.

Foto: Divulgação SMS

Vacina contra a febre amarela continua sendo ofertada em Salvador

terça-feira, abril 4th, 2017


A vacinação contra a febre amarela continua sendo ofertada em 24 unidades de saúde de referência em Salvador, de segunda a sexta-feira, das 8 da manhã às 5 horas da tarde. Ela integra o calendário de imunização do SUS e está disponível durante todo o ano na rede municipal para pessoas entre 9 meses e 59 anos, para quem for viajar para áreas de risco ou países que exigem a vacina.

Desde a última quinta-feira, dia 30/3, após a confirmação do primeiro caso de febre amarela em macacos, a Secretaria Municipal de Saúde implementou uma série de medidas para garantir o acesso da população à imunização contra a doença, principalmente nas áreas do Subúrbio Ferroviário, Barra/Rio Vermelho e Brotas, locais onde foram confirmados os três primeiros casos da doença em macacos. Para isso, foi ampliado o número de postos de referência, bem como realizada vacinação em massa durante o final de semana.

De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, tratam-se de ações profiláticas. “Ainda não temos registrado nenhum caso de febre amarela em seres humanos, por isso reafirmamos que não há motivos para pânico. Tudo o que estamos fazendo é para precaver qualquer alteração deste cenário, ou seja, são ações preventivas. É importante destacar ainda que não estamos fazendo nenhuma ‘campanha’. A imunização contra a febre amarela está disponível durante todo o ano na nossa rede e já temos a garantia do Ministério da Saúde de quem um novo lote – de 300 mil doses – deverá ser entregue à Salvador nos próximos dias”, afirmou o secretário municipal de saúde, Jose Antônio Rodrigues Alves.

Desde o último dia 30 de março, 100 mil doses já foram distribuídas entre as unidades de referências, das 400 mil unidades disponibilizadas na central municipal de vacina que continuarão abastecendo a rede gradativamente. Porém, o número de pessoas vacinadas ainda está sendo atualizado. Os técnicos da SMS também já estudam a ampliação do número de unidades para ampliar o acesso da população, de acordo com o cenário epidemiológico da capital baiana, cujo anúncio deverá acontecer até a quarta-feira, dia 05.

CASOS

Salvador contabiliza 06 casos positivos para febre amarela em macacos. Não há registro da doença em humanos. Os macacos foram capturados nas regiões da Vila Laura (01), Itaigara (03), Ilha Amarela (01) e Paripe (01).

Confira a lista de postos onde a vacina está disponível:

1. Multicentro Carlos Gomes –Rua Carlos Gomes, 63/66, Centro.
2. Centro de Saúde Virgílio de Carvalho – Rua Duarte da Costa, s/n, Dendezeiros.
3. Centro de Saúde Péricles de Laranjeira- Rua Pitangueiras, s/n, Fazenda Grande do Retiro.
4. Multicentro Liberdade- Rua Lima e Silva, nº 217, Liberdade (antigo 3º Centro de Saúde).
5. USF Olga de Alaketu– Rua Edson Saldanha, s/n- Baixa do Tubo-Matatu.
6. MulticentroAmaralina–Av. Visconde de Itaboray, nº 1193, Amaralina.
7. Unidade de Saúde da Família Clementino Fraga – Av. Centenário, s/n, Centenário.
8. Unidade de Saúde da Família Parque de Pituaçu – Rua Araújo Bastos, nº100, Pituaçu.
9. Unidade de Saúde da Família Mussurunga I – Rua 1, Setor E, Caminho 16.
10. Centro de Saúde Eunísio Teixeira- Rua Jurucutus, s/n, Saboeiro.
11. Centro de Saúde Edson Barbosa – Avenida Hilda, nº 02, Pernambués.
12. Centro de Saúde Canabrava- Rua Bentivis, s/n, final de linha de Canabrava.
13. Centro de Saúde Castelo Branco- Rua A, 3º Etapa- Centro Social Urbano
14. Unidade de Saúde da Família Estrada da Cocisa – Rua Monte Claros, Paripe (final de linha).
15. Unidade de Saúde da Família Sergio Arouca – Rua Carioca, s/n – Paripe.
16. Unidade de Saúde da Família Alto da Terezinha- Rua Direta da Terezinha, s/n.
17. Unidade de Saúde da Família Ilha Amarela- Rua Nova Esperança, Ilha Amarela.
18. Unidade de Saúde da Família Alto de Coutos II- Rua Golan, s/n, Parque Setúbal.
19. Unidade de Saúde da Família Vista Alegre-Rua do Sabiá, s/n, Vista Alegre.
20. Unidade de Saúde da Família Cajazeiras V – Estrada do Matadouro, Rótula de Cajazeiras.
21. Unidade de Saúde da Família Candeal Pequeno – Rua 8 de Agosto, s/n – Candeal Pequeno
22. Unidade de Saúde da Família Santa Luzia – Rua Almirante Alves Câmara, 112 – Engenho Velho de Brotas
23. Unidade de Saúde da Família Manoel Vitorino – Avenida Dom João VI, 450 – Brotas
24. Centro de Saúde Cosme de Farias – Rua Direta de Cosme de Farias, s/n
25. Colégio Militar do Exército -Rua território do Amapá, 455, Pituba.

Imunização – A imunização contra a febre amarela é realizada em duas etapas ao longo da vida. Crianças devem receber a vacina aos nove meses e novamente aos quatro anos, garantindo assim proteção para toda a vida. Aqueles que não tomaram a vacina na infância devem receber a primeira dose imediatamente e o reforço dez anos depois da primeira aplicação.

A vacina, no entanto, é contraindicada para menores de seis meses, idosos com mais de 60 anos, gestantes, mulheres que amamentam crianças de até seis meses, pacientes em tratamento de câncer e pessoas imunodeprimidas. Pessoas inseridas nestes grupos devem buscar orientação médica para avaliar possíveis riscos da vacinação, evitando assim reações adversas.

Foto: Reprodução

Febre Amarela: Macacos são resgatados no Itaigara e na Av. Vasco da Gama

sexta-feira, março 31st, 2017

Mais dois macacos foram resgatados nas últimas horas na Avenida Vasco da Gama e no Parque da Cidade, no Itaigara, com indícios de contaminação pelo vírus da febre amarela. O resgate dos animais foi realizado através do Grupo Especial de Proteção Ambiental (GEPA) da Guarda Civil Municipal de Salvador (GCM). Dos dois animais resgatados hoje, apenas o macaco encontrado na Vasco da Gama estava morto.

De acordo com informações da GEPA, desde o início do mês, o órgão já capturou 32 macacos, sendo todos da espécie Mico do Tufo Branco, animal comum na capital baiana. A apreensão dos animais faz parte de uma ação conjunta de combate à febre amarela que envolve órgãos públicos das esferas municipal e estadual, como Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas/Ibama). Vale lembrar, no entanto, que os macacos não transmitem a doença, e sim o mosquito Aedes aegypti.

Ainda conforme informações, com o trabalho de identificação do animal e do local exato onde ele se encontra, o setor de epidemiologia pode traçar um mapa detalhado de onde é possível detectar focos propulsores da febre amarela na cidade. Além do Itaigara, a Guarda Civil já recolheu macacos em bairros como Base Naval, Pirajá, Resgate, Pernambués, Piatã, Vila Laura e Garcia. “Todos os dez animais que resgatamos no Itaigara até agora estavam vivos, porém debilitados e encontrados caídos no chão”, completou o supervisor do Grupamento Ambiental, Robson Pires.

Foto: Divulgação

Governador Rui Costa entrega 78 novas ambulâncias para cidades baianas

quarta-feira, março 15th, 2017

Mais 78 municípios do interior do estado receberam, na manhã desta quarta-feira (15), reforço na saúde, com a entrega de 78 novas ambulâncias para cidades como Maragogipe (Recôncavo), Ubaíra (Vale do Jiquiriçá), Conceição do Coité, Aporá e Serrinha (nordeste). Com um investimento de cerca de R$ 6,2 milhões, o Governo do Estado envia apoio para os baianos que precisam ter acesso à saúde em localidades vizinhas ou ainda serem encaminhados pela regulação para grandes centros como Salvador e região metropolitana. A ação representa mais qualidade e rapidez nos atendimentos aos baianos que necessitem dos serviços de saúde.

A entrega das ambulâncias foi feita pelo governador Rui Costa, acompanhado do secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, e dos deputados estaduais responsáveis pelas emendas parlamentares que captaram as ambulâncias, no prédio da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador. Para receber os novos equipamentos, prefeitos do interior, acompanhados de secretários municipais de Saúde, vieram à capital receber as chaves. Para o gestor de Nova Soure, Cassinho, o equipamento atende a necessidade do município, que antes não tinha ambulância.

“Estávamos contando com a ajuda de cidades vizinhas, distantes cerca de 20 quilômetros, para emprestar a ambulância. Agora não. Tenho certeza que vamos atender com mais rapidez, mais segurança e com maior conforto a população. Estamos muito felizes por essa conquista, que vai melhorar a qualidade de vida do povo do interior”, disse o prefeito.

Para o governador, a Saúde e a Segurança têm sido prioridades de governo. Nesse sentido, este e outros investimentos vêm fortalecer esses setores com novos equipamentos. “Além desta, este ano já realizamos uma entrega, e vamos, em abril, levar mais ambulâncias para outros municípios. Temos investido não só em novas ambulâncias, mas também no reforço da frota de novas viaturas da Polícia Militar do interior”.

Estas ambulâncias integram um total de 450 que serão entregues pelo Governo do Estado, sendo que 284 delas serão destinadas aos municípios do interior e outras 166 utilizadas na renovação da frota da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), incluindo a Central de Regulação.

 

 

Fotos: Manu Dias/Divulgação/GOVBA

Informações da Ascom

 

Obesidade em adolescentes pode ser causada por falhas de mastigação, diz estudo

segunda-feira, janeiro 23rd, 2017

IMG_5407

Pesquisa da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) mostra que a maioria dos adolescentes obesos apresenta problemas na mastigação. De acordo com o estudo, que analisou a forma de comer de 230 jovens, a maioria mastiga de um lado só da boca, ou usa técnicas para ajudar na mastigação, como adição de molho à comida e ingestão de líquidos.

Segundo a dentista Paula Midori Castelo, professora adjunta do Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas da Unifesp, que coordenou a pesquisa, foram selecionados para a análise adolescentes saudáveis com idade entre 14 e 17 anos. Entre os adolescentes, havia os considerados magros, com sobrepeso e, em um nível mais preocupante, os obesos. Nenhum apresentava problemas dentários como cárie ou necessidade de tratamento ortodôntico.

Nos testes, feitos na Faculdade de Odontologia da Unicamp, na cidade de Piracicaba, os voluntários foram filmados enquanto se alimentavam, para que os pesquisadores avaliassem seus possíveis hábitos alimentares que podem contribuir para a obesidade.

Paula disse que a maior parte dos obesos pratica a mastigação unilateral, um problema comportamental, sem relação com problemas dentários. Essa falha sobrecarrega os dentes, ossos e musculatura de um lado da arcada dentária.

“No dia a dia, as pessoas podem querer mastigar de um lado só por restaurações mal feitas ou próteses. Mas não é legal mastigar de um lado só, porque você não mistura adequadamente o alimento com a saliva, não tritura tão bem, não forma o bolo alimentar adequado”, disse ela.

Outro hábito observado com mais frequência entre os obesos é a adição de molho aos alimentos secos, o que facilita a mastigação e a deglutição. Eles também mostraram preferência por alimentos cortados em pedaços menores, carnes desfiadas e dispensam morder uma maçã inteira, por exemplo.

Tomar sucos, refrigerantes e água durante as refeições também é prejudicial, porque a tendência entre os voluntários foi engolir pedaços grandes de comida usando os líquidos para facilitar o processo. “Quando as partículas diminuem, elas chegam no estômago prontas para serem digeridas, para que as enzimas atuem para absorver os nutrientes. O alimento mal mastigado causa fricção no esôfago e a absorção dos nutrientes é prejudicada. O obeso também tem carência nutricional”, explicou.

Foto: Agência Brasil

Doença misteriosa que pode ter levado duas pessoas à morte é investigada

sexta-feira, janeiro 13th, 2017

IMG_4720

Pelo menos quatro laboratórios estão envolvidos nas investigações sobre uma doença ainda desconhecida registrada aqui na Bahia, que pode ter levado duas pessoa à morte. Foram notificados 52 casos suspeitos do quadro, dos quais 51 foram na capital Salvador e um no município de Vera Cruz. As notificações ocorreram entre 14 de dezembro e 5 de janeiro.

Caracterizada por uma mialgia aguda, que é uma dor intensa nos músculos, a doença tem como sintoma dores musculares súbitas, dores ao toque leve no corpo, urina escura cor de café, dores articulares e sudorese. Segundo a diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia, Maria Aparecida Figueiredo, a origem da doença ainda não foi descoberta. “Existem casos parecidos registrados em outros países, mas não descobriram a causa”, disse à Agência Brasil.

Investigação

Foram enviadas amostras de fezes dos pacientes a um laboratório da Fiocruz (RJ) para identificar a presença de enterovírus. Ao laboratório Adolfo Lutz (SP), foram encaminhadas amostras de peixes in natura para a investigação de metais pesados. Amostras de peixes consumidos por pacientes também serão enviadas a um laboratório no Alabama, nos Estados Unidos, para verificar a presença de toxinas. O Laboratório Central da Bahia também faz parte das investigações.

Em nota, o Ministério da Saúde disse que até o momento não existem resultados conclusivos, nem informações de casos parecidos em outros estados. A pasta informou que está investigando os casos em parceria com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) e as secretarias municipais de Salvador e Vera Cruz.

Foto: ilustração

Doença misteriosa causa queda de 70% na venda de peixes em Salvador

quinta-feira, dezembro 22nd, 2016

img_3645

A hipótese de que o consumo de peixe vem causando uma doença misteriosa em Salvador provocou uma redução de quase 70% nas vendas de pescado, principalmente no litoral Norte, região de praias famosas e bem freqüentadas neste verão.

A informação é da Federação dos Pescadores e Aquicultores do Estado da Bahia (Fapesba), que emitiu, nesta quarta-feira, dia 21/12, uma nota onde “condena o boato” de que a causa da doença é o pescado em geral.

Segundo o presidente da Fapesba, Raimundo Costa, os boatos alimentam o pânico na população, que deixa de consumir peixes e causa impacto na renda dos trabalhadores que têm a pesca como fonte de renda, sobretudo, no período da alta estação, que começa agora em dezembro.

“Nós já estamos passando por uma crise financeira nacional, e essa informação em plena véspera de Natal, Ano Novo, chegada do verão e o fluxo de turismo aumentando, impacta qualquer comércio ligado ao pescado. Isso interferiu na economia dos trabalhadores e na economia do estado também, sobretudo, de Salvador”, argumenta.

Foto: reprodução

Cármen Lúcia diz que sentenças que dão acesso a remédios são parte da democracia

segunda-feira, novembro 7th, 2016

1044404-1_120916wdo000119

A presidente do Supremo Tribunal, Cármen Lúcia, rebateu nesta segunda-feira, dia 7/11, as reclamações sobre a chamada judicialização da saúde. Para ela, que também preside o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), as sentenças que garantem acesso a tratamentos e medicamentos fazem parte do processo de democratização da sociedade brasileira.

“Há uma democratização da sociedade brasileira. O cidadão brasileiro que morria até pelo menos a década de 1980, antes dessa Constituição, não sabia que ele tinha direito à saúde, que podia reivindicar. Hoje ele sabe e vai à luta, porque a democracia voltou ao Brasil. Graças a Deus!”, disse ao participar da abertura das oficinas para juízes sobre saúde. A capacitação, parte do termo de cooperação entre o CNJ e o Ministério da Saúde, ocorre no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista.

Além de promover o encontro, o hospital vai, em conjunto com o CNJ, criar um banco de dados com informações técnicas para subsidiar os magistrados. As informações também poderão ser usadas pelos núcleos de apoio criados para atender juízes e desembargadores que precisarem decidir sobre questões envolvendo o Sistema Único de Saúde (SUS). Fonte: Agência Brasil

 

Foto: Reprodução/EBC

 

 

 

Abertas as inscrições para o Simpósio de Vulnerabilidade e Saúde

quarta-feira, outubro 19th, 2016
img_0785
Estudantes e profissionais da área de saúde poderão participar no próximo dia 4 de novembro, do I Simpósio sobre Vulnerabilidade e Saúde – Promovendo Saúde em Comunidades em Situação de Vulnerabilidade, no auditório 1 do centro de convenções da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, no Campus do bairro do Cabula, em Salvador.
O evento contará com oito palestras e duas mesas redondas, e promete tratar de temas relacionados a vulnerabilidade de mulheres em situação de prisão, comunidade quilombolas, profissionais do sexo, moradores de ruas, entre outros.
Promovido pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública com apoio da Universidade do Estado da Bahia, o simpósio contará com a apresentação do coral do Conjunto Penal Feminino Lemos de Brito durante sua abertura e do grupo Muzenza.
Confira as informações sobre o evento: 
l SIMPÓSIO SOBRE VULNERABILIDADE E SAÚDE
PROMOVENDO SAÚDE EM COMUNIDADES EM SITUAÇÃO DE VULNERABILIDADE
Carga horária: 10 horas
Vagas: 250
Data: 04/11/2016
Horário: 8h00 a 18h00
Local: Centro de Convenções da Escola Bahiana de Medicina e Saúde  Pública, Campus Cabula – Auditório I ( Em frente à entrada do Hospital Roberto Santos)
Investimento: R$ 25,00
Período de inscrições: 10/10 a 02/11/2016
Inscrições no site:
https://inscricoes.bahiana.edu.br/produto/74/i-simpsio-sobre-vulnerabilidade-em-sade/
Programação:
08:00 h Instalação da mesa
08:30 Momento cultural – Coral do presídio Feminino Lemos de Brito
1ª Mesa:
09h00min – Luz Marina Silva – Vulnerabilidade de mulheres em Situação de Prisão
09:40 – Climene Laura de Camargo – Vulnerabilidade de Comunidades Quilombolas
10:20min – Mary Lucia Galvão – Vulnerabilidade de Parteiras Quilombolas
11:00 mim – Valterney Morais – Vulnerabilidade de Profissionais do Sexo
11:40 Discussão
12:00 h INTERVALO PARA ALMOÇO
04/11/16 Tarde
2ª Mesa:
13h:30min – Antonio Teixeira Lima Junior – Vulnerabilidade por questões de Raça/cor e Gênero
14:10 Adriana Prates – Vulnerabilidades de Moradores de rua
14h50min – Luís Augusto – Vulnerabilidades de Jovens gays/ HIV
15h30min –  Laio Magno  – Estigma e Vulnerabilidade de mulheres trans ao HIV/AIDS
16:10 Discussão
16:30: COOFE BREAK de Encerramento
17:00 min -Momento Cultural: Apresentação do Grupo Muzenza