Posts Tagged ‘Ministério da Saúde’

Brasil registra 114 mortes por covid-19

domingo, março 29th, 2020

A covid-19 já foi diagnosticada em 3.904 pessoas no Brasil, tendo resultado na morte de 114 vítimas. Com isso, a taxa de letalidade da doença no país está em 2,8%, segundo balanço do Ministério da Saúde, divulgado neste sábado (28).

No balanço de sexta-feira, dia 27/3, o número de diagnosticados estava em 3.417, e o de mortes em 92 (taxa de letalidade de 2,7%). O número de casos registrados nas últimas 24 horas, portanto, soma 487.

São Paulo é o estado com maior número de infecções comprovadas, com 1.406 casos e 84 óbitos, com taxa de letalidade em 6%. Apesar de ter os maiores números absolutos, São Paulo tem taxa de letalidade menor que o Piauí, que soma 11 casos e uma morte, com índice de letalidade em 9,1%; e que Pernambuco (68 casos, cinco mortes e letalidade em 7,3%).

O segundo estado com mais casos absolutos confirmados é o Rio de Janeiro, com 558 pessoas infectadas e 13 óbitos (letalidade em 2,3%). Minas Gerais vem em terceiro lugar, na contabilidade dos casos, com 558 comprovações, mas sem mortes registradas até o momomento. Fonte: Agência Brasil

Foto: Divulgação

Saúde libera mais R$ 600 milhões para ações de combate ao coronavírus

quinta-feira, março 26th, 2020

Mais R$ 600 milhões estão sendo liberados para estados e municípios a fim de reforçarem o plano de contingência para o enfrentamento da pandemia de coronavírus (covid-19). Outros R$ 400 milhões já haviam sido enviados a todos os estados este mês.

A orientação do Ministério da Saúde é que cada estado defina com as prefeituras os valores destinados a cada município. O dinheiro poderá ser utilizado em ações de assistência, inclusive para abertura de novos leitos ou custeio de leitos já existentes nos estados e municípios.

“Nós vamos repassar R$ 600 milhões aos municípios de acordo com a pactuação local. Cada estado vai fazer hoje a sua divisão, de como vai fazer a alocação dos recursos”, disse o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta.

Segundo ele, a partir desta quinta-feira (26), os estados devem informar o ministério sobre os municípios com atendimento de maior complexidade. “A partir disso, a gente repassa o recurso para que os municípios utilizem da melhor forma possível no que houver necessidade”, explicou o ministro.

De acordo com o ministério, a distribuição do recurso é proporcional ao número de habitantes de cada estado, que deverá definir os locais de atendimento de maior complexidade e, assim, maior necessidade de reforço orçamentário.

 “São, no mínimo, R$ 2 e, no máximo, R$ 5 por habitante. Na semana passada, o Ministério da Saúde já havia destinado R$ 432 milhões para auxiliar os estados e municípios no enfrentamento da pandemia”.

Isolamento social

Sobre as medidas para contenção do coronavírus, o ministro Luiz Henrique Mandetta destacou a necessidade de um trabalho coletivo, com órgãos diversos.

“Quarentena sem prazo determinado para terminar vira uma parede na frente das necessidades das pessoas que precisam comer, que precisam abastecer suas casas, que precisam ir aos supermercados e que precisam ir e vir, porque isso faz parte da própria sobrevivência”, disse.

Fonte: Agência Brasil com informações do Ministério da Saúde

Foto: Divulgação/TV Brasil

Covid-19: Governo declara transmissão comunitária em todo o país

sábado, março 21st, 2020

O Ministério da Saúde publicou portaria na sexta-feira, dia 20/3, decretando o estado de transmissão comunitária do novo coronavírus (Covid-19) em todo o Brasil. Com isso, as orientações para locais nessa modalidade de forma de disseminação do vírus passam a valer em todo o país.

A transmissão comunitária é uma modalidade de circulação na qual as autoridades de saúde não conseguem mais rastrear o primeiro paciente que originou as cadeias de infecção, ou quando esta já envolve mais de cinco gerações de pessoas.

Ela difere dos casos importados (quando uma pessoa adquire o vírus em viagens ao exterior) e da transmissão local (quando alguém é contaminado por contato com alguém infectado em outro país). As situações de transmissão comunitária significam que o vírus está mais disseminado, demandando cuidados mais efetivos.

Até ontem, essa classificação era atribuída pelo Ministério da Saúde a São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Porto Alegre, Belo Horizonte e a região Sul de Santa Catarina.

Quando há transmissão comunitária, agora em todo o país, a orientação é de isolamento por duas semanas de pessoas com sintomas e das que moram no mesmo espaço de quem apresentou sinais da infecção. Isso implica ficar definitivamente em casa e evitar a todo custo não apenas aglomerações, como a circulação fora de casa.

Sintomas do novo coronavírus

De acordo com a portaria, são considerados sintomas do novo coronavírus “tosse seca, dor de garanta ou dificuldade respiratória, acompanhada ou não de febre, desde que seja confirmado por atestado médico”. Além dos sintomas, o isolamento também depende de prescrição médica, razão pela qual pessoas com sintomas devem procurar um médico para verificar o estado de saúde e confirmar a orientação.

Atestado médico

O atestado ofertado pelo médico para a pessoa que apresentar esses sinais será estendido também aos familiares ou outros que residem com ela. Para isso, o paciente deve informar o nome completo dos demais parentes ou moradores da casa. Se esses coabitantes vierem a apresentar sintomas, poderão solicitar um novo atestado médico, dentro do prazo previsto de 14 dias.

O atestado faz-se necessário para justificar o afastamento do trabalho, evitando, assim, qualquer sanção caso o empregador mantenha as atividades. 

Idosos

Já os idosos acima de 60 anos devem “observar o distanciamento social, restringindo seus deslocamentos para realização de atividades estritamente necessárias, evitando transporte coletivo, viagens e eventos esportivos, artísticos, culturais, científicos, comerciais e religiosos e outros com concentração próxima de pessoas”. Fonte: Agência Brasil

Foto: Isac Nóbrega/PR

Ministério da Saúde confirma primeiro caso suspeito de coronavírus na Bahia

quinta-feira, fevereiro 27th, 2020

Alerta. O Ministério da Saúde divulgou nesta quinta-feira, dia 27/2, que há 132 casos suspeitos de coronavírus no Brasil. Existem ainda 213 notificações que não foram ainda analisadas pela equipe do ministério. Dos 132 casos, um é na Bahia. O boletim do Ministério da Saúde afirma que a idade dos pacientes investigados varia de 8 a 82 anos.

Segundo profissionais de saúde, a paciente está estável, sem sinais de piora do estado clínico. A recomendação é que seja feito acompanhamento em domicílio, com orientações sobre precauções respiratórias e sinais de agravamento, além da supervisão da autoridade sanitária equipe de atenção primária local.

Conforme o secretário-executivo da pasta, João Gabbardo dos Reis, os técnicos não tiveram tempo para analisar as notificações e, por isso, o número de casos suspeitos é maior do que os 132 que constam no relatório.

Foto: Erasmo Salmoão/Divulgação/Ministério da Saúde


Ministério da Saúde quer eliminar sarampo do país até julho

sábado, fevereiro 15th, 2020

O Ministério da Saúde estipulou como meta erradicar o sarampo até julho deste ano. A declaração do secretário de Vigilância em Saúde (SVS) do ministério, Wanderson de Oliveira, ocorreu na sexta-feira 14/2, após a morte de uma criança de 9 anos no Rio de Janeiro. “Nossa meta é eliminar com o sarampo até 1º de julho de 2020. Para isso temos que ter adesão da população e dos gestores estaduais e municipais”.

O ministério lança amanhã (15) o Dia D de vacinação contra o sarampo. O secretário-executivo da pasta, João Gabbardo, lamentou a morte da criança e acrescentou que a fatalidade serve de alerta para os pais e responsáveis vacinarem as crianças. “A morte dessa criança, tragicamente, é o maior alerta que a gente pode fazer para que os pais levem as crianças aos postos de saúde do Brasil inteiro para fazer a vacina”.

Segundo dados do ministério, o Brasil tem, atualmente 337 casos de sarampo registrados e confirmados. Foi feita uma campanha de mobilização contra o sarampo no ano passado, mas Wanderson de Oliveira lamentou a baixa adesão entre os adultos. “O movimento foi preparado para eliminarmos o sarampo do território nacional. Então, começamos numa primeira fase com crianças menores de 5 anos. Depois, numa segunda fase, de 20 a 29 anos. Nessa fase, a vacinação foi muito baixa. Distribuímos 9 milhões de doses de vacina e fizemos pouco mais de 1,8 milhão”.

A campanha, cujo Dia D será amanhã, tem como público-alvo pessoas de 5 a 19 anos, mas, após a morte no Rio de Janeiro, o chefe da SVS incentivou a vacinação de crianças a partir de seis meses. “A faixa etária de vacinação regular é 1 ano de idade, mas a gente vem desde o ano passado orientando vacinação de crianças acima de 6 meses até 11 meses e 29 dias”. Após esta fase da campanha, uma nova terá início, com vacinação de todas as idades. Há ainda a possibilidade de realizar uma campanha de dupla vacinação, com sarampo e influenza.

Foto/Fonte: Agência Brasil

SARAMPO: Ministério da Saúde envia quase 2 milhões de doses extras da vacina para os estados

quinta-feira, agosto 29th, 2019

O Ministério da Saúde começou a enviar nesta semana, 1,6 milhão de doses extras da vacina tríplice viral a todos os estados, para garantir a dose extra contra o sarampo em todas as crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias. Só para os 13 estados que estão em situação de surto ativo de sarampo, vão ser destinadas, 960.907 mil doses. Desse total, 56% já foi enviado para o estado de São Paulo, que concentra 99% dos casos e que acaba de registrar o 1º óbito pela doença neste ano. Essa confirmação consta no boletim epidemiológico de sarampo divulgado, nesta quarta-feira (28), pelo Ministério da Saúde. A vítima foi um homem de 42 anos, que não tinha recebido nenhuma dose da vacina ao longo da vida, e tinha histórico de comorbidade. Nesta faixa etária, a pessoa deve ter pelo menos uma dose da vacina.

“O Ministério da Saúde está trabalhando para encerrar essa transmissão do vírus do sarampo com a maior rapidez possível, e assim, recuperar o certificado de eliminação do sarampo no Brasil. Para isso, a pasta tem atuado de forma integrada com os estados e municípios, para intensificar as ações de cobertura vacinal na rotina, além das vacinações de reforço nas crianças, que é a faixa etária com maior risco para complicação em decorrência da doença, e de bloqueio”, ressaltou o secretário de Vigilância em Saúde, Wanderson Oliveira.  

O envio de doses extras da vacina aos estados é uma resposta imediata do Governo Federal em decorrência do aumento de casos da doença em alguns estados. De acordo com o novo boletim epidemiológico da doença, o Brasil registrou, nos últimos 90 dias, entre 02 de junho a 24 de agosto de 2019, 2.331 casos confirmados de sarampo, em 13 estados: São Paulo (2.299), Rio de Janeiro (12), Pernambuco (5), Santa Catarina (4), Distrito Federal (3), Bahia (1), Paraná (1), Maranhão (1), Rio Grande do Norte (1), Espírito Santo (1), Sergipe (1), Goiás (1) e Piauí (1). Nesses dois últimos, os casos foram registrados em outros estados. O coeficiente de incidência da doença foi de 5% por 100.000 habitantes.

O Ministério da Saúde já adquiriu 28,7 milhões de doses adicionais de vacinas contra sarampo, que irão garantir o abastecimento do país até 2020. As novas aquisições foram anunciadas hoje pelo secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Wanderson Kleber, durante reunião com laboratórios produtores de vacinas. Em seguida, a informação foi reforçada pelo secretário em encontro com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS). 

Na rotina do Sistema Único de Saúde (SUS) a tríplice viral está disponível em todos os mais de 36 mil postos de vacinação em todo o Brasil. A vacina previne também contra rubéola e caxumba. Neste ano, o Ministério, já enviou para os estados 17,7 milhões de doses da vacina tríplice viral, que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola. Esse quantitativo é para atender a vacinação de rotina, conforme previsto no Calendário Nacional de Vacinação, em todos os estados do país, bloqueio vacinal e para intensificar a vacinação de crianças de seis meses a 11 meses e 29 dias de idade.  A vacina é a principal forma de tratamento do sarampo.

É importante esclarecer que a chamada “dose zero” não substitui e não será considerada válida para fins do calendário nacional de vacinação da criança. Assim, além dessa dose que está sendo aplicada agora, os pais e responsáveis devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ªdose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela, respeitando-se o intervalo de 30 dias entre as doses. A vacinação de rotina das crianças deve ser mantida independentemente de a criança ter tomada a “dose zero” da vacina. Ascom/MS

Foto: Erasmo Salomão/Divulgação/Ministério da Saúde

Mais de 33 milhões de pessoas foram vacinadas contra a gripe no país

quarta-feira, maio 15th, 2019

Mais de 33 milhões de pessoas foram vacinadas contra a gripe no país. O número corresponde a 56% do público-alvo definido pelo Ministério da Saúde para a campanha nacional de imunização contra a gripe deste ano. Os dados atualizados foram divulgados pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira, dia 15/5.

O governo federal estabeleceu como meta vacinar 59,5 milhões de pessoas com a campanha. Os chamados “grupos prioritários” abrangem idosos (a partir de 60 anos), crianças de até seis anos, gestantes, professores, trabalhadores da saúde, pessoas com doenças crônicas e população privada de liberdade. A faixa etária do público infantil foi ampliada de até cinco anos para até seis anos.

Os estados com maior cobertura até o momento são Amazonas (88,8%), Amapá (83,8%), Espírito Santo (69,4%), Alagoas (66,1%) e Rondônia (66%). A menor cobertura foi detectada nos estados do Rio de Janeiro (38,3%), do Acre (45%), de São Paulo (48,8%), do Pará (50%) e de Roraima (51,8%).

A campanha vai até o dia 31 de maio.

Foto: Reprodução

Salvador: Ministério da Saúde lança campanha para conter avanço de HIV em homens

sexta-feira, fevereiro 22nd, 2019

“Pare, pense e use camisinha”. Esse é o slogan da Campanha de Carnaval lançada nessa sexta-feira (22) pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em Salvador (BA). A ação visa conscientizar os foliões que irão pular Carnaval por todo país. A ideia é estimular o uso do preservativo, principalmente entre os homens na faixa etária de 15 a 39 anos. Entre as novidades para esse ano, está a apresentação da nova embalagem da camisinha a distribuída no Sistema Único de Saúde (SUS). O Ministério da Saúde irá distribuir 12 milhões de camisinhas com a nova identidade visual durante os dias de Carnaval. O novo conceito é mais moderno e dialoga diretamente com o público jovem, que é o mais atingido por novas infecções nos últimos anos. A escolha do design foi feita a partir de concurso cultural entre 210 estudantes universitários, em 2017, em parceria com a Unesco Brasil.

“Os números do HIV no Brasil, que demonstram aumento entre jovens, são muito importantes para a conscientização do grande desafio que temos na saúde pública, que é uma mudança no comportamento. Precisamos cada vez mais estimular o uso do preservativo, para que o Carnaval seja sempre uma memória feliz. Vamos fazer um Carnaval e um ano inteiro de consciência em relação à responsabilidade sobre o seu corpo e o da pessoa que você ama”, destacou o ministro Luiz Henrique Mandeta.

Neste ano, o embaixador da Campanha para o Carnaval é o cantor Gabriel Diniz, intérprete da música Jenifer, que promete ser o hit dos blocos no Brasil. As peças serão veiculadas na TV, internet, rádio, jornal, aeroportos, outdoor e jornal, entre os dias 22 de fevereiro e 05 de março, para a população em geral. As ações de prevenção são realizadas nos carnavais de rua em Salvador, Recife, Olinda e Rio de Janeiro.

Esse ano, o Ministério da Saúde distribuiu 130 milhões de preservativos masculinos aos estados, 22% a mais que o quantitativo enviado em 2018 (106 milhões). Além disso, foram entregues também 9,9 milhões de sachês de gel lubrificante para todos os estados. Dados do último boletim epidemiológico do HIV/Aids mostram que 73% (30.659) dos novos casos de HIV em 2017 ocorreram no sexo masculino. Um em cada cinco novos casos de HIV estão entre homens de 15 a 24 anos (2017). Entre homens na faixa etária de 20 a 24 anos a taxa de detecção de aids cresceu 133% entre 2007 a 2017, passando de 15,6 para 36,2. Ascom

 

 

 

Foto: Rodrigo Nunes/ASCOM MS

 

Bolsonaro confirma Luiz Henrique Mandetta para o Ministério da Saúde

terça-feira, novembro 20th, 2018

Olha aí. O presidente eleito, Jair Bolsonaro, confirmou nesta terça-feira 20/11, na sua conta do Twitter, que o deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), de 53 anos, vai assumir o Ministério da Saúde a partir de janeiro de 2019. Ortopedista pediátrico, Mandetta não se candidatou à reeleição, portanto estará sem mandato no próximo ano.

“Com o apoio da grande maioria dos profissionais de saúde do Brasil, anuncio como futuro Ministro da Saúde, o doutor Luiz Henrique Mandetta”, postou Bolsonaro no Twitter.

Bolsonaro disse que Mandetta terá de “tapar ralos”, facilitando a vida das pessoas com pouco dinheiro em caixa. O futuro ministro chegou ao gabinete de transição no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB) no início da tarde para se reunir com Bolsonaro.

Mandetta tentou evitar a imprensa. Com a ajuda do deputado federal Efraim Filho (DEM-PB), o futuro ministro entrou com um grupo de assessores parlamentares.

 

 

 

Foto/Fonte: Agência Brasil

Temer e ministro da Saúde anunciam entrega de novas ambulâncias do Samu

quarta-feira, outubro 4th, 2017

O presidente Michel Temer esteve nesta quarta-feira, dia 4/20, em uma concessionária da Mercedes Benz na zona norte da capital paulista, junto com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, para a entrega de 225 ambulâncias que vão renovar parte da frota do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de 90 prefeituras de 16 estados.

De acordo com o Ministério da Saúde, cerca de R$ 1 bilhão serão investidos no Samu. Ao todo, 2.249 novas ambulâncias serão destinadas à renovação e ampliação do serviço. Atualmente, a cobertura atinge 81,8% da população, com 3.255 ambulâncias. A previsão é que a cobertura chegue a 84,1% da população.

“A verdade é que, ao longo do tempo, nós vamos entregar ambulâncias a todos os municípios brasileiros e isso é uma coisa que revela bem a preocupação social do nosso governo”, disse o presidente.

Na cerimônia, Temer destacou que a responsabilidade social é uma das marcas do governo, junto com a “responsabilidade fiscal” que, segundo ele, está presente desde o início com a aprovação da emenda constitucional que definiu o teto dos gastos públicos, seguida das reformas do ensino médio e trabalhista.

“Mas jamais nos olvidamos, nos esquecemos, da responsabilodade social nos mais variados patamares. Você tem desde a extrema pobreza, nós temos incentivado e ampliado os valores do Bolsa Família, mas também de um outro patamar social, que é o atendimento por meio de ambulancias”, acrescentou.

Economia

O presidente citou medidas adotadas recentemente, como a liberação do saque das contas inativas do Fundo de Garantias do Tempo de Serviço (FGTS), que segundo ele têm causado efeitos positivos na economia.

“Foram 26 milhões de trabalhadores que sacaram R$ 44 bilhões, injetados na economia. Aliás, o varejo cresceu muito precisamente em função do aporte desse capital extraordinário”, disse.

Ele citou ainda a redução da idade mínima para saque das contas do PIS/Pasep, que era de 70 anos e passou a ser de 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres). “Agora, a partir de outubro, novembro e dezembro, entrará na economia brasileira mais R$ 16 bilhões [com a liberação do pis/pasep] que vão ajudar naturalmente nas compras se fim de ano”, disse.

Manifestação

Do lado de fora, ocorria uma manifestação com cerca de 300 pessoas do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST), da ocupação Povo sem Medo em São Bernardo do Campo (SP), que reivindicam a desapropriação da área ocupada e investimentos em moradias populares. Questionado sobre o protesto, o ministro Ricardo Barros disse que nem ele nem o presidente estavam sabendo do ato. Agência Brasil

 

 

 

Foto: Reprodução/Marcos Corrêa/PR

Ministério da Saúde lança iniciativa para reduzir mortalidade neonatal

terça-feira, julho 18th, 2017

Com o objetivo de reduzir a mortalidade neonatal, em bebês de até 28 dias, o Ministério da Saúde (MS) lançou, nesta segunda-feira, dia 17/7, um conjunto de ações denominado Estratégia Qualineo, em Salvador.

A iniciativa foi lançada na capital baiana e será implantada, inicialmente em dez estados prioritários, nos quais morrem mais de 11 bebês para cada 1 mil nascidos vivos: Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Piauí, Roraima e Sergipe.

Segundo o levantamento do Ministério da Saúde, a Bahia tem a segunda maior taxa de mortalidade de recém-nascidos: são 13,7 para cada 1 mil nascidos vivos em 2014. O estado fica atrás somente do Amapá, onde a taxa é de 16,2. A média brasileira é de 9,9 para cada 1 mil nascidos vivos.

Foto: Agência Brasil

Brasil: Ministério da Saúde suspende recursos para 22 Cidades

sábado, maio 17th, 2014

20140517-074025.jpg

Um absurdo. Portaria do Ministério da Saúde publicada nesta sexta-feira, dia 17, no Diário Oficial da União suspende a transferência de recursos financeiros de 22 Cidades que estão irregulares na alimentação do Sistema de Informações sobre Mortalidade. São elas: Laranjal do Jari (AP), Pilar (AL), Careiro (AM), Maués (AM), Camacan (BA), Ipirá (BA), Maragogipe (BA), Planaltina (GO), Almenara (MG), Brasília de Minas (MG), Caeté (MG), Igarapé (MG), Machado (MG), Pontes e Lacerda (MT), Augusto Corrêa (PA), Rurópolis (PA), São Fidélis (RJ), Apodi (RN), Eldorado do Sul (RS), Porto União (SC), Guariba (SP) e Socorro (SP). De acordo com o texto, a suspensão vale a partir de maio de 2014 para municípios que constam como irregulares em monitoramento realizado em abril de 2014. As informações são da Agência Brasil.

Foto: Ilustrativa