Posts Tagged ‘AGRICULTURA FAMILIAR’

Mais de R$ 8 milhões são comercializados no Pavilhão da Agricultura Familiar durante a 45ª Expointer

quinta-feira, setembro 8th, 2022

O 24º Pavilhão da Agricultura Familiar (PAF), um dos mais visitados durante a 45ª Expointer, terminou no domingo, dia 4/9, com recorde de vendas e público. Segundo estimativa divulgada pelos organizadores do evento, durante nove dias, 337 expositores de 166 municípios comercializaram R$ 8.106.105,43 milhões. 

O PAF é resultado da parceria entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural do RS (Seapdr/ RS) e outras entidades do setor (UFF/RJ, Fetag/RS, Emater/ RS, Fetraf Sul e Via Campesina). O pavilhão tornou-se a principal ação comercial do Ministério voltada a este público no país. 

O total de negócios durante a 45ª Expointer chegou a R$ 7.145.626.026,21 representando um crescimento de 164,67% em relação a 2019, o último em que a feira ocorreu com presença totalmente liberada de público. Destaque ainda para o número de visitantes desta edição, o maior registrado até hoje. Até as 13h30 de domingo (4), 742 mil pessoas estiveram na feira desde o seu início. Em 2019, foram 416 mil. 

Entre os empreendimentos que comemoram as vendas está a primeira agroindústria de Porto Alegre, a Chácara Vila Nova Orgânicos. A maior produtora de morango orgânico do município e a primeira da agricultura familiar a produzir sorbet orgânico, sem glúten e sem lactose do país. Os produtores Luci Mara Silva Almeida e Obirajara Souza Almeida participaram pela segunda vez da Expointer e conseguiram comercializar o dobro dos produtos (geleias, sucos e molhos) comparado à edição do ano passado. “Trouxemos o sorbet de morango, uva e cacau para apresentar para o grande público e foi um verdadeiro sucesso. Vendemos 147 quilos na estreia do produto na feira”, comemora Luci.  

O tricampeão da 10ª edição do Concurso de Produtos da Agroindústria Familiar, na categoria salame tipo italiano (2017, 2021 e 2022), Embutidos Fioresi, também festejou o sucesso de vendas. “As vendas superaram nossas expectativas. Vendemos 30% a mais que a do ano passado”, afirmou o proprietário, Edgard Fioresi, 47 anos.

Selo da Agricultura Familiar

Durante os nove dias de feira, no Pavilhão da Agricultura Familiar, o estande do Mapa recebeu expositores e agricultores que desejavam solicitar o Selo Nacional da Agricultura Familiar (Senaf) e tirar dúvidas. Ao todo, 60 produtos foram cadastrados na Vitrine da Agricultura Familiar

O Senaf identifica a origem e fornece as características dos produtos da agricultura familiar, tendo por finalidade o fortalecimento das identidades social e produtiva dos vários segmentos da agricultura familiar perante os consumidores e o público em geral. 

Ao solicitar o Selo, cada organização da agricultura familiar, associação ou cooperativa, terá um login e senha para cadastramento e/ou alteração nas páginas de produtos da Vitrine da Agricultura Familiar. A Vitrine da Agricultura Familiar é uma iniciativa da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo (SAF/ Mapa) que tem como propósito ampliar a visibilidade dos produtos de organizações econômicas do segmento. 

Cadastro Nacional da Agricultura Familiar

Também no Pavilhão da Agricultura Familiar, servidores do Mapa prestaram atendimento aos agricultores e técnicos das entidades do estado para esclarecer dúvidas sobre o Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF). O cadastro é a principal ferramenta do agricultor familiar para o acesso a ações, programas e políticas públicas voltadas para a geração de renda e o fortalecimento da agricultura familiar. 

A partir de 1º de novembro, conforme Portaria nº 174, de 28 de junho de 2022, o CAF será o único instrumento utilizado para identificar e qualificar as Unidades Familiares de Produção Agrária (UFPA), os empreendimentos familiares rurais e as formas associativas de organização da agricultura familiar. As Declarações de Aptidão ao Pronaf (DAPs) ainda continuarão válidas até o fim da sua vigência. 

SIGA @sitehoradobico NO INSTAGRAM

Fonte: Agência Brasil

Fotografia: Fernando Dias/Seapdr


Pavilhão da Agricultura Familiar na Expointer já movimentou mais de R$ 5 milhões

domingo, setembro 4th, 2022

Oha aí. Depois de dois anos atípicos em função da pandemia da Covid-19, a 45ª Expointer ficará marcada pelo reencontro e pela confraternização. Em 2020, a feira foi no formato digital. No ano passado, ocorreu com restrições para evitar o contágio. Neste ano, o público voltou a marcar presença todos os dias nos estandes e pavilhões. Até a sexta-feira (2), mais de 440 mil pessoas já tinham passado pelo Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, Rio Grande do Sul. 

O Pavilhão da Agricultura Familiar, um dos mais visitados, já comercializou mais de R$ 5 milhões durante esses sete dias. Sendo a soma dos resultados das agroindústrias (R$ 634.745,87), cozinhas (R$ 63.986,83) e artesanato, plantas e flores (R$ 121.002,00). Em relação ao mesmo período de 2021, houve um acréscimo de 226%.

“A Expointer tornou-se o maior evento de promoção comercial apoiada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por meio da Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo. É considerado de grande porte e com o histórico de valores de comercialização que superam os valores de investimentos previstos pela pasta. A expectativa é de grande visitação para este último fim de semana do evento”, afirmou o secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Mapa, Márcio Cândido.

O Pavilhão da Agricultura Familiar conta com 337 empreendimentos, entre queijos, salames, cucas, pães, geleias, doce de leite, iogurtes, erva mate, sucos, vinhos e cachaças, além de flores e artesanato. 

SIGA @sitehoradobico NO INSTAGRAM

Fonte: MAPA

Fotografia: Fernando Dias/Divulgação/Seapdr

Agricultura familiar é destaque na 2ª Expo Belo Campo

sábado, fevereiro 19th, 2022

Interessante. Um mix de alimentos da agricultura familiar, produzido no Território Sudoeste Baiano, pode ser degustado e adquirido durante a 2ª Expo Belo Campo, que começou quarta-feira, dia 16/2, e segue até o domingo, dia 20/2, no Espaço de Eventos Dariel Ferraz, no município de Belo Campo.

Produtos como beiju, biscoito, mel, queijo, café, ovos, galinha caipira, doces e cachaça, além de verduras, hortaliças, frutas e artesanatos, estão sendo expostos e comercializados em mais de 70 barracas doadas pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

O secretário da SDR, Josias Gomes, prestigiou a abertura oficial do evento e destacou que Belo Campo desponta no cenário estadual, como um município promissor no segmento da agricultura familiar, principalmente na produção de leite.

“A Expo Belo Campo é um evento extraordinário que só confirma o protagonismo da cidade, no que se refere ao desenvolvimento rural. Vimos que a produção de mandioca está em crescimento e há um aumento na produção de leite, por meio do melhoramento genético do rebanho. Também pudemos ver de perto a diversidade de produtos rurais que estão sendo vendidos nas barracas. Tudo isso é sensacional, pois alavanca a economia local e territorial, proporcionando mais renda e dignidade para os agricultores familiares”, afirmou o titular da SDR.

O Governo do Estado, por meio da SDR/CAR, já investiu mais de R$ 3 milhões no município de Belo Campo. Os recursos repassados para associações, cooperativas e Prefeitura Municipal, são oriundos de projetos como o de Mecanização Rural, Rotas Produtivas e Bahia Produtiva.

De acordo com o prefeito do município, José Henrique Tigre (Quinho), “Belo Campo está num ciclo de desenvolvimento, e o apoio do Governo da Bahia nos ajuda a fomentar a agricultura familiar e a pecuária de leite. Nós temos pequenas propriedades que geram riqueza para o povo e contribuem muito para a nossa economia”.

Exposição

A 2ª Expo Belo Campo acontece até domingo (20) e reúne o segmento agropecuário e comercial do Sudoeste Baiano, sendo um espaço para novas oportunidades de negócios, incluindo torneio leiteiro e copa de marcha, além de cursos, palestras e leilões.

Mônica Ferraz, integrante do Grupo de Economia Solidária do município de Tremedal, informou que está expondo produtos de 40 famílias agricultoras e que a Expo Belo Campo além de gerar renda, contribui para autonomia dos homens e mulheres que vivem no campo. “Essa exposição fortalece a agricultura familiar e empondera o nosso povo. Trouxemos doce de leite, banana de diversas qualidades, limão, abóbora, quiabo, hortaliças, frutas e outros alimentos, todos produzidos de maneira natural e benéfica para saúde”.

Fotografia: Ascom/SDR

Atenção para o Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF)

quarta-feira, novembro 10th, 2021

Atenção agricultor. Identificar e qualificar os agricultores familiares para o acesso às ações, programas e políticas públicas direcionadas ao desenvolvimento e fortalecimento da agricultura familiar. Esse é o objetivo do Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF), que substituirá, de forma gradativa, a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP). As condições e os procedimentos para inscrição no novo modelo de registro foram publicados na Portaria 242 na edição da terça-feira, dia 9/11, do Diário Oficial da União. 

O produtor familiar que ainda tiver uma DAP válida não precisa substituir o documento imediatamente. As declarações emitidas até a data de disponibilização do serviço de inscrição no CAF permanecerão validas até o final de sua vigência. A partir daí, então, o agricultor fará a inscrição no CAF em caráter permanente, sendo a validade do seu registro renovada a cada dois anos.

O secretário de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), César Halum, explica que o CAF, de imediato, possibilitará o acesso de 3,3 milhões de agricultores familiares a essas ações, programas e políticas públicas.

“Além disso, o Cadastro ampliará de forma significativa a participação daqueles que hoje têm maior necessidade de inclusão, podendo, inclusive, orientar a proposição de novas políticas mais adequadas à diversidade da realidade do meio rural brasileiro”, afirmou.

A agricultura familiar tem papel de destaque no agronegócio brasileiro, sendo responsável por grande parte dos alimentos produzidos e consumidos no Brasil. O último Censo Agropecuário (IBGE/2017) aponta que 77% dos estabelecimentos agropecuários do país são da agricultura familiar e que representam 23% de toda a produção agropecuária nacional, empregando cerca de 67% do total de pessoas ocupadas no setor.

Como funciona o CAF?

O CAF é o instrumento da Política Nacional da Agricultura Familiar, instituído pelo Decreto nº 9.064, de 2017 , logo a inscrição no CAF é requisito básico para o acesso a todas as políticas públicas de apoio e incentivo à produção agrícola familiar, o que vai além do acesso à política de crédito rural do Pronaf.

Podem se cadastrar no CAF os requerentes que preencherem os requisitos para identificá-los como benificiários da Lei nº 11.326/2006. Esses podem ser qualificados como agricultores familiares, empreendedores familiares rurais e forma associativas da agricultura familiar. Também podem se cadastrar os pescadores artesanais; aquicultores; silvicultores; extrativistas; quilombolas; assentados do Programa Nacional de Reforma Agrária; beneficiários do Programa Nacional de Crédito Fundiário, conforme disposto no art. 3º da lei.

Entre as principais inovações apresentadas pelo CAF, está a validação das informações prestadas pelo requerente durante a realização da inscrição, por meio do cruzamento com diversas bases de dados do Governo Federal, o que minimizará a possibilidade de fraude e irá assegurar a legitimidade do novo Cadastro Nacional.

Destaca-se que a Portaria 242 prevê a adoção de medida cautelar e sanções ao beneficiário, caso comprovada irregularidade.

No CAF, serão registradas informações relativas aos membros da família que dependem dos rendimentos advindos da produção do estabelecimento rural, sendo este qualificado como uma Unidade familiar de Produção Agrária (UFPA) e Empreendimento Familiar Rural que explore imóvel agrário localizado em área urbana e periurbana. Os critérios para esse público estão definidos no inciso IV do art. 3º do Decreto nº 9.064, de 2017.

Desta forma, para a inscrição no CAF não serão mais considerados somente os critérios estabelecidos pelo Manual de Crédito Rural (MCR) para o Pronaf, por exemplo, o limite máximo de renda e a classificação de grupos específicos grupos A, A/C, B e V, como é feito hoje na DAP.

Outra inovação importante é a permissão para que as prefeituras possam integrar a rede cadastradora, o que ampliará os pontos de atendimento ao público interessado em obter a inscrição no CAF.

A inscrição no CAF será gratuita, vedada a cobrança pelos cadastradores de quaisquer custos pelo serviço prestado, seja na rede pública ou privada.

Sistema online

A inscrição no CAF deve ser realizada no sistema eletrônico próprio (CAFWeb), que estará disponível ao público a partir de 31 de dezembro de 2021. O sistema será operacionalizado por uma rede de entidades públicas e privadas autorizadas a realizar a inscrição no CAF. Na data, será cessada a emissão da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) e será iniciada a emissão do registro de inscrição no CAF (RICAF).

Fotografia/fonte: Ministério da Agricultura

Mulheres rurais mostram o sabor e a força da agricultura familiar nas festas juninas

sábado, junho 12th, 2021

Boa notícia. São João é, tradicionalmente, a festa da agricultura familiar. É tempo de colheita do milho, do amendoim e da laranja, e de se deliciar com canjica, bolo e licor. Uma diversidade de sabores e aromas que encantam e fazem parte da memória afetiva da maioria das baianas e dos baianos e também de todo povo nordestino, em especial. Quem não lembra daquele bolo gostoso da mamãe, ou do doce da vovó? As mulheres sempre tiveram presença marcante nessa festa, que neste ano será realizada mais uma vez em casa, com a família e com todos os cuidados que o momento ainda exige. 

Na Bahia, produtos típicos dos festejos juninos, como milho e amendoim, estão com a produção garantida. Segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (LSPA/IBGE), a estimativa para 2021 é de uma produção 3,8 mil toneladas de amendoim, de 2,4 milhões de toneladas de milho e 861,5 mil toneladas de mandioca. 

É nessa perspectiva, de abastecer as festas e preservar a tradição, com os deliciosos produtos juninos, que famílias agricultoras continuam trabalhando. E esse é o exemplo de grupos de mulheres do Recôncavo Baiano, como o Grupo de Mulheres Frutos da Terra, da Comunidade Quilombola Baixa Grande, em Muritiba e a Associação de Mulheres Regional Empreendedoras da Agricultura Familiar (AME), da comunidade Engenho de São João, município de Cruz das Almas.  

Maria Dionísia de Souza do Vale, presidente do Grupo de Mulheres Frutos da Terra, diz que o grupo começou quando as mulheres decidiram fazer o aproveitamento integral dos produtos da própria comunidade, para gerar renda e também integrar a juventude. Ela ressalta a importância de manter viva as tradições da comunidade, também na produção voltada para os festejos juninos, com produtos como os bolos de aipim, de puba e o bolo na palha da bananeira: “A valorização e a importância vão muito além de recordar os saberes ancestrais da nossa comunidade. Consideramos importante trabalhar com base nisso, no que nossos mais velhos sempre faziam, essas comidas e bebidas típicas”. 

O Grupo Frutos da Terra, que para as festas juninas tem o milho, o amendoim e a laranja, segue produzindo durante todo o ano diversos tipos de bolos e também mingaus, doce de jenipapo, banana e goiaba, cocadas e licores de jenipapo, amendoim, goiaba, tamarindo, maracujá e gengibre, além de salgados, pizzas e sorvete com derivados de aipim e trufas com frutos da terra, como a jaca. Atualmente, o grupo comercializa seus produtos por meio do Centro Público de Economia Solidária (Cesol), em municípios do Recôncavo e também em Salvador. 

Já Almerinda Queiroz de Santana, mais conhecida como Mel, atual tesoureira da AME, explica que a associação trabalha ao longo do ano com o cultivo de produtos como aipim, inhame, batata doce, mamão e banana, dentre outros, mas que, neste período das festas juninas, como é tradição, não deixa faltar também o milho e o amendoim. Ela ressalta que as mulheres produzem também biscoitos, beijus, bolo de puba e de aipim e o bolo tradicional e uma diversidade de salgados à base de aipim e que estão se organizando para obter uma renda extra durante os festejos juninos, além de atender encomendas: “Estamos nos reunindo para neste período de festas juninas fazer vendas com entregas de bolos tradicionais e salgados diversos, aqui na região”. 

A tesoureira da AME destaca a importância de políticas públicas, a exemplo da assistência técnica e extensão rural (Ater) e da parceria com o Cesol/Setre, entre outras, para a geração de renda e de conhecimento. A associação é também uma das selecionadas pelo projeto do Governo do Estado, Bahia Produtiva, que prevê a implantação de uma cozinha industrial comunitária. A comercialização da produção é feita também por meio do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Em períodos em que as aulas na rede pública de ensino acontecem de forma regular, a AME fornece, para os municípios de Cruz das Almas e Santo Estêvão, produtos como chips de aipim, aipim palito e biscoitos, além de produtos in natura, como aipim, inhame, banana e mamão.

Fotografia/fonte: SDR

Garantia-Safra autoriza pagamento para milhares de agricultores familiares

quarta-feira, maio 19th, 2021

O benefício será pago em parcela única de R$ 850 para agricultores de 54 municípios

Olha aí. Foi publicada na terça-feira, dia 18/5, no Diário Oficial da União (DOU), a Portaria nº 22, que determina o pagamento do benefício Garantia-Safra aos agricultores que aderiram na safra 2019/2020. Neste mês, receberão o pagamento agricultores de Alagoas e Bahia. O montante em recurso autorizado para esses agricultores chegará a mais de R$ 37 milhões e 500 mil.

Diante do cenário imposto pela Covid-19, a Secretaria de Política Agrícola decidiu antecipar, de forma excepcional, o pagamento do Programa Garantia-Safra na safra 2019/2020. Conforme publicado na Portaria nº 15, de 14 de abril de 2020, esse pagamento do Garantia-Safra será feito integralmente em parcela única de R$ 850.

O Garantia-Safra tem como objetivo garantir a segurança alimentar de agricultores familiares que residam em regiões sistematicamente sujeitas à perda de safra, por razão de estiagem ou enchente.

Têm direito a receber o benefício os agricultores com renda mensal de até 1 salário mínimo e meio, quando tiverem perdas de produção nos municípios igual ou superior a 50%. O benefício Garantia-Safra é disponibilizado obedecendo o calendário de pagamento dos benefícios sociais.

Notificação de agricultores com benefício bloqueado

Com o lançamento do serviço “Solicitar Requerimento de Defesa após Bloqueio do Benefício Garantia-Safra”, na plataforma Gov.br, os agricultores aderidos ao Garantia-Safra que tiveram a concessão do benefício bloqueado nos municípios que tiveram autorização do pagamento no mês de maio/2021 devem cumprir com as orientações dispostas na Portaria Nº 25, de 08 de julho de 2020 para regularização do benefício. 

Caso o benefício esteja bloqueado, o agricultor deve acessar o seu perfil no Sistema de Gerenciamento do Garantia-Safra neste link e verificar o motivo do bloqueio através da notificação que consta na inscrição. O agricultor deverá realizar a consulta no prazo de 30 dias, contados do ato de publicação da Portaria que autoriza o pagamento do benefício. Após esse prazo, o agricultor é considerado automaticamente notificado podendo se manifestar quanto ao bloqueio do benefício até o dia 17/07/2021, solicitando o requerimento de defesa neste link. 

A relação dos agricultores que tiveram o benefício bloqueado, de forma cautelar, será encaminhada pelas Coordenações Estaduais aos gestores municipais. Clique aqui para verificar a relação dos agricultores que tiveram a concessão do benefício bloqueado, de forma cautelar, conforme Portaria Nº 25, de 08 de julho de 2020. Fonte: Ministério da Agricultura

Fotografia: Reprodução

Governo altera definição de agricultor familiar

terça-feira, abril 27th, 2021

Novidade. Um decreto editado na segunda-feira, dia 26/4, pelo presidente da República Jair Bolsonaro deve contribuir para o aumento da participação de agricultores familiares em políticas públicas direcionadas a empreendimentos familiares rurais.

A norma altera o Decreto nº 9.064, de 31 de maio de 2017, que dispõe sobre unidades familiares de produção agrária e altera os conceitos de empreendimento familiar rural, cooperativa singular da agricultura familiar, cooperativa central da agricultura familiar e associação da agricultura familiar.

O decreto editado altera os percentuais mínimos exigidos para um empreendimento familiar rural apresentar-se como tal. Segundo o governo, o decreto dá redação mais clara a conceitos relacionados a figuras referentes à agricultura familiar. A ideia é facilitar o enquadramento das formas de organização da agricultura familiar.

As alterações têm impacto na definição dos agricultores familiares que podem ter acesso à Declaração de Aptidão ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Tal declaração será substituída pelo Cadastro Nacional da Agricultura Familiar (CAF), quando este estiver totalmente implementado.

“O objetivo da alteração pretendida é ampliar a participação de agricultores familiares em programas e ações governamentais destinados a atender às formas associativas desse público-alvo, organizadas em pessoas jurídicas”, esclarece o governo.

Segundo a Secretaria-Geral da Presidência da República, o decreto de 2017 apresentava “imprecisões na redação original e potenciais controvérsias administrativas e jurídicas”, por não trazer conexão entre o seu texto e as normas infralegais editadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento após esse período. Normas infralegais não impõem direitos, nem trazem garantias, podendo ser editadas pelo governo federal sem passar pelo Congresso Nacional.

Fotografia/fonte: Agência Brasil

Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária tem início em Salvador

domingo, dezembro 6th, 2020

Começou a maior feira da agricultura familiar do país. A 11ª Feira Baiana da Agricultura Familiar e Economia Solidária está no ar, 100% on-line e gratuita, no site https://feiradaagriculturafamiliar.com.br/, com muita novidade sobre o rural do estado. A abertura oficial aconteceu no sábado, dia 5/12.

Até o dia 13 de dezembro, basta se conectar para acessar o melhor do interior e ter acesso a uma rica e diversificada programação, com 57 palestras e seminários, aulas de culinária, lives de artistas e uma loja virtual, com a comercialização de mais de 600 produtos de todo o estado.

A feira é uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Rural do Estado da Bahia (SDR), em parceria com União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes).

O secretário da SDR, Josias Gomes, destacou que a agricultura familiar mostra mais uma vez sua importância na produção de alimentos: “Com o apoio do Governo do Estado, esse segmento está em constante crescimento. São investimentos desde o processo produtivo até a comercialização, que estão refletidos na realização desta feira, que traz essa força que a agricultura familiar tem”.

A presidente da Unicafes, Regina Dantas, afirmou que a Feira mostra as vitórias e conquistas da agricultura familiar: “Mesmo separados fisicamente, continuamos juntos, unidos. O Governo do Estado tem um papel fundamental nisso, pois, mesmo na pandemia, nos vem ajudando a enfrentar as dificuldades no campo e a prova disso é que estamos aqui, hoje, neste desafio de um evento virtual, com uma grande oportunidade de nos tornar conhecidos no mundo”.

A abertura da Feira contou também com a participação da secretária de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti), Adélia Pinheiro, que destacou a importância da SDR e da Unicafes assumirem a realização de uma feira virtual pela primeira vez: “Temos firmemente nos posicionado com o que chamo de esperança esclarecida e engajada, que nos permite a reflexão crítica do que estamos vivendo, a ampliação dos laços com o tecido social e a construção de um futuro diferente. Temos feito esse exercício e a realização dessa feira é exemplo disso, feita a partir de estrutura de estado, coerente com o tempo atual, com cuidado coletivo”.

A programação deste sábado conta com a 5ª edição do Encontro Estadual de Mulheres Rurais e I Encontro Regional Nordeste de Mulheres dos Campos, das Águas e das Florestas, às 16h, Cozinha Show Sabores e Saberes da Agricultura Familiar, às 17h, com a chef Lili Almeida que traz a receita de um Acarajé de Dendê no Pilão e. Para fechar o dia, às 19h, tem a live do forrozeiro Del Feliz.

No site da Feira, tem ainda o espaço Trilhas, que apresenta as características de cada região, Rotas dos Sistemas Produtivos da Agricultura Familiar da Bahia e muito mais.

Fotografia/fonte: SDR

Milho não transgênico da agricultura familiar leva qualidade às comidas típicas juninas

sexta-feira, junho 19th, 2020

Junho traz as comemorações de São João, São Pedro e Santo Antônio e com elas as comidas típicas desta época. Na Bahia, a mesa de guloseimas tem cheiro e sabor inconfundíveis dos pratos feitos à base do principal produto que dá cor e brilho à tradição junina, o milho.

No município de Irecê, agricultores e agricultoras familiares começaram a colheita do milho neste mês e seguem até agosto, a todo vapor, com a promessa de ser a maior colheita de milho dos últimos anos. Os agricultores são apoiados pelo Governo do Estado, por meio do projeto Bahia Produtiva, com entrega de insumos, como grãos não transgênicos, e assistência técnica e extensão rural (Ater).

De acordo com a agrônoma do Bahia Produtiva, Zene Vieira, que acompanha os agricultores, a expectativa é que haja aumento de 80% na produção em relação ao ano passado: “Este ano teremos uma colheita maior do que nos últimos 12 anos. No território de Irecê, a gente deve ter uma safra de aproximadamente 1 milhão de sacos de milho na região. Avaliamos que 25% seja de milho não transgênico”.

Os agricultores entregam sua produção para a Cooperativa Agropecuária Mista Regional de Irecê (Copirecê), única com produtos não transgênicos da Bahia. A cooperativa já recebeu, no total, R$ 1.4 milhão de investimento do governo estadual, por meio do edital Alianças Produtivas. Os recursos estão sendo aplicados na aquisição de um caminhão para escoar a produção, comunicação visual e embalagens, construção de galpão industrial e de uma moega e a aquisição de máquinas e equipamentos.

Plantado, colhido, secado e moído, o milho utilizado pela Copirecê na produção de produtos como Flocão Puro Milho não transgênico, Canjiquinha, Mingau de Milho Verde, Mingau Multicereais, Mugunzá e Creme de Milho, é cultivado, atualmente, por 600 famílias de cooperados de todos os municípios do Território Irecê. Juntos, elas produzem em média 75 toneladas por mês. 

O agricultor Hélio Rodrigues Rocha, da comunidade Baixão dos Honoratos, no município de São Gabriel, é um dos beneficiados pelo Bahia Produtiva, e cooperado da Copirecê: “A gente só planta agora semente crioula (não transgênica) semente de boa qualidade, aumentei até minha área de produção. É uma semente que vou manter pro resto da vida. E produzir um milho bom desse jeito e já saber pra quem vou vender, pra cooperativa, me deixa muito seguro e satisfeito”.

Fotografia: Reprodução

Fonte: Secom GOVBA

Agricultores familiares da Bahia vão receber auxílio de R$ 850 até fim de junho

quarta-feira, junho 17th, 2020

Ajuda boa. A partir de esforços do Governo do Estado, mais 39.182 famílias de agricultores familiares vão receber o auxílio de R$ 850 até o fim do mês de junho. Por meio de ação da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), os laudos de perdas de safra, iguais ou superiores a 50%, de 36 municípios baianos, que inicialmente haviam sido indeferidos, foram reavaliados e inseridos no programa Garantia-Safra das safras 2018/2019.


Em meio à crise provocada pela pandemia do coronavírus, estão sendo liberados nesta fase recursos da ordem de R$ 33,3 milhões, que irão contribuir com a produção de agricultores e agricultoras familiares e movimentar as economias locais. A medida foi anunciada na Portaria nº 21, da Secretaria de Política Agrícola do Mapa.

“Em tempo de pandemia, este valor garante a segurança de renda mínima, possibilitando novos plantios e a oferta de alimentos às populações locais em seus circuitos de comercialização de alimentos saudáveis, livres de pesticidas e agrotóxicos”, salientou o diretor de Apoio e Fomento à Produção da Superintendência da Agricultura Familiar (Suaf/SDR), Welliton Rezende. 
Na Bahia, na safra 2018/2019, 255 municípios aderiram ao Programa Garantia-Safra. Inicialmente, desse total, 170 municípios tiveram perdas de safra comprovadas, habilitando 192.678 famílias, que já receberam o pagamento de R$ 850, entre os meses de novembro de 2019 e abril de 2020.

Com a inserção dessas novas famílias, 231.860 famílias, de 206 municípios baianos, passam a contar com o benefício, de um total de 277.473 que aderiram ao Garantia-Safra, safra 2018/2019. O volume de recursos é da ordem de R$ 197,2 milhões, sendo R$ 37,7 milhões do Governo do Estado.

A inclusão desses 36 municípios baianos na folha de pagamento do Garantia-Safra foi possível devido ao trabalho realizado pela Superintendência Baiana de Assistência Técnica e Extensão Rural (Bahiater/SDR), para comprovar, por meio de documentos, a elegibilidade dos índices, com encaminhamento e acompanhamento da Suaf/SDR. A ação conjunta resultou no lançamento dos dados corretos no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (LSPA/IBGE) e garantiu o acesso desses municípios ao benefício.

Municípios beneficiados
Na Bahia, os municípios contemplados com esse pagamento são: América Dourada, Boa Nova, Brotas de Macaúbas, Brumado, Buritirama, Condeúba, Curaçá, Guajeru, Ibiassucê, Jacaraci, Lajedinho, Maetinga, Marcionílio Souza, Mortugaba, Poções, Riacho de Santana, Rio do Antônio, Seabra, Tanhaçu, Tanque Novo, Tremedal, Água Fria, Barrocas, Conceição do Coité, Irará, Olindina, Pindobaçu, Santa Brígida, Santa Inês, Santa Teresinha, Santanópolis, São José do Jacuípe, Serrinha, Sítio do Quinto, Tapiramutá e Teofilândia.


Fotografia/Fonte: Ascom/SDR

Edital emergencial de R$ 15 milhões beneficia agricultores familiares

segunda-feira, maio 25th, 2020

Boa ideia. Uma iniciativa para beneficiar 10 mil famílias de agricultores familiares baianos foi anunciada pelo governador Rui Costa nesta segunda-feira, dia 15/5, durante o seminário virtual ‘Parceria Mais Forte – Juntos Para Alimentar a Bahia’. Um edital emergencial foi lançado pelo Governo do Estado, por meio do projeto Bahia Produtiva, e destina R$ 15 milhões para os produtores de alimentos como hortaliças, frutas, raízes, tubérculos e plantas alimentícias não convencionais (PANC). A ideia é garantir a segurança alimentar e nutricional dos beneficiados e contribuir para que a oferta de alimentos básicos e saudáveis seja mantida e diversificada para todos os baianos.

O governador Rui Costa explicou que o edital irá auxiliar os pequenos produtores que tiveram seu trabalho impactado pelas restrições de produção impostas pela pandemia do novo Coronavírus. “O lançamento do edital ocorre com a intenção de fortalecer os pequenos agricultores diante do enorme cenário de crise provocado por essa pandemia. É um edital que valoriza a agricultura familiar e dá mais capilaridade ao setor. Com isso também conseguimos reforçar a economia dos municípios e fomentar a geração de empregos”.

As inscrições serão feitas por meio de Manifestação de Interesse, disponível no endereço eletrônico www.car.ba.gov.br, onde também é possível encontrar o edital completo. A meta prevista é financiar 300 propostas, cada uma no valor de até R$ 50 mil. As propostas devem ter entre 20 e 40 beneficiários e estarem relacionadas à produção, comercialização e ao consumo de alimentos saudáveis.

“O pontapé inicial é o lançamento do edital número 15 do Bahia Produtiva, que é um dos programas que compõem o Parceria Mais Forte, no sentido de aportar R$15 milhões para a produção de culturas de círculo curto. Esses plantios serão voltados para atender a 300 projetos nos 27 territórios de identidade do estado. Portanto, nós estamos iniciando esta ação voltada para um aumento da renda de em torno de 10 mil dos produtores atendidos por este edital”, afirmou o secretário de Desenvolvimento Rural, Josias Gomes.

Os interessados deverão encaminhar proposta elaborada com o apoio de uma instituição de assistência técnica e extensão rural (Ater), ou uma secretaria municipal de agricultura ou desenvolvimento rural, consórcio públicos territorial, que ofertem esses serviços de assistência técnica. O objetivo é garantir uma rápida implementação dos investimentos e o acompanhamento técnico posterior.

Poderão participar as associações e cooperativas da agricultura familiar, comunidades tradicionais, assentados da reforma agrária, fundo e fecho de pasto, quilombolas, indígenas e povos de terreiros que ainda não foram beneficiados pelos projetos Bahia Produtiva e Pró-Semiárido que são  executados pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR).

Os recursos do edital são oriundos do Tesouro do Estado da Bahia e do Acordo de Empréstimo, firmado entre o Estado e o Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento (Bird), com a contrapartida dos beneficiários.

Participaram também do seminário virtual os secretários do Desenvolvimento Econômico do Estado, João Leão; do Planejamento, Walter Pinheiro; e da Educação, Jerônimo Rodrigues.

Fotografia/fonte: Secom/GOVBA

Frutas desidratadas da agricultura familiar chegam aos supermercados de Salvador

sábado, março 14th, 2020

Coisa boa. A agricultura familiar da Bahia vem conquistando novos mercados e ganhando cada vez mais espaço na alimentação dos baianos. Em Salvador, já é possível encontrar, em diversos pontos da Cidade, uma variedade de produtos, como carne de bode, chocolates, cervejas, castanhas, tudo produzido por agricultores familiares da Bahia.

Dessa vez, quem ganhou as prateleiras dos supermercados da capital foram as frutas desidratadas da Cooperativa de Pequenos Produtores de Abacaxi (Coopaita), localizada na Cidade de Itaberaba, Território de Identidade do Piemonte do Paraguaçu. Abacaxi, banana e jaca desidratadas podem ser encontradas nos supermercados da rede Walmart, do Iguatemi e nos bairros do Jardim Armação, Pituba e Chame-Chame.

A Coopaita é uma das cooperativas baianas da agricultura familiar que vêm recebendo apoio do Governo do Estado para o acesso a mercado, por meio do edital Alianças Produtivas, do projeto Bahia Produtiva. Está sendo investido R$ 1 milhão e 300 mil em máquinas e equipamentos, construção de um galpão para a instalação de um Peck House de frutas, sistema de energia solar e cisternas.

O gerente comercial da Coopaita, Éder Cerqueira, destaca que, com o acesso ao mercado, é possível alcançar novos consumidores e assim melhorar a renda do trabalho rural, valorizando a produção. “Todo esse trabalho é feito através de um planejamento estratégico, apoiando a produção no campo e intermediando para que seus produtos cheguem ao mercado consumidor. O apoio do Governo do Estado está sendo fundamental para o nosso crescimento”, afirma. 

Foto/fonte: ASCOM/SDR

Produtos da agricultura familiar baiana são destaque na Fenagro

sexta-feira, novembro 29th, 2019

Na 10ª edição, a Feira Baiana de Agricultura Familiar e Economia Solidária (Febafes) reúne a produção de cooperativas agropecuárias de todo o estado durante a 32ª Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro), realizada no Parque de Exposições, em Salvador, até domingo (1º). Novidades, como a cerveja de maracujá da caatinga, produtos já conhecidos do consumidor, artesanato, vila gastronômica e espaço para shows com programação musical estão entre as opções.

“A Bahia é o estado que tem mais agricultores familiar no Brasil. São quase 700 mil famílias. A comercialização é o ponto final de toda a produção. Se a gente não escoa a produção, a gente não consegue fazer com que esse produto alcance o público. Uma feira como essa traz a possibilidade da população de Salvador conhecer esses produtos saudáveis, bem preparados e qualificados. Cada vez que um agricultor vende um produto é renda que sai de Salvador e circula no pequeno município”, explicou o diretor presidente da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), órgão vinculado à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), Wilson Dias.

Não falta variedade nos estandes separados por Territórios de Identidade, a exemplo de licor, geleias, café gourmet, cervejas e chopp artesanais de sabores variados como umbu, cupuaçu e maracujá. Produtos indígenas e quilombolas também têm espaço. Um dos produtos mais disputados é o sorvete de licuri de Capim Grosso, elaborado pela Cooperativa de Produção da Região do Piemonte da Diamantina (Coopes).

Educação

No Balcão Tecnológico, estudantes do ensino profissionalizante e tecnológico realizam exposição de trabalhos. Os alunos da Fábrica-Escola de Carne do Sol de Itororó e a Fábrica-Escola do Chocolate de Gandu chamam a atenção dos visitantes da feira com apresentação das experiências feitas nas unidades da rede estadual. 

“Esse ano, nós estamos representados por vários colégios e centros territoriais. Nós temos o resultado dos projetos de aprendizagem que também são articulados ao mundo do trabalho. Orientados pelos seus professores, os estudantes desenvolvem tecnologias sociais nas escolas. Temos trabalho no eixo industrial, de recursos naturais e representações das fábricas-escolas”, afirmou o superintendente da Educação Profissional e Tecnológica, Ezequiel Westphal. A Febafes tem funcionamento integrado à Fenagro, das 8h às 22h. Os ingressos custam R$ 10. Crianças até 10 anos e idosos não pagam.

Fonte: Secom/GOVBA

Foto: Reprodução

Governo entrega sistema integrado de água para quatro cidades da Bahia

terça-feira, julho 16th, 2019

Levar água de qualidade às casas dos baianos que moram no interior, seja nas sedes ou nos distritos, é uma das prioridades do governo estadual, e a entrega da ampliação de um sistema integrado de abastecimento que beneficia 78 mil habitantes de quatro municípios do centro-norte da Bahia é mais um passo nessa direção. Orçada em mais de R$ 26 milhões, a obra foi inaugurada pelo governador Rui Costa, durante agenda em Várzea do Poço, na segunda-feira, dia 15/7.

Executada pela Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), a intervenção representa a segunda etapa das fases 2 e 3 do sistema integrado de Pedras Altas, alcançando, além de Várzea do Poço, os municípios Várzea da Roça, Mairi e Quixabeira. “Estamos fazendo a entrega de um projeto que envolve R$ 40 milhões em adutora, somando todas as etapas. São mais de 100 quilômetros de adutora para integrar os sistemas e melhorar a qualidade da água, substituindo a água salobra por água doce, pronta para o consumo nas casas. Até o final do ano, entregaremos outros equipamentos para a população. Além desse valor, temos em execução nessa região uma obra de aproximadamente R$ 30 milhões de uma adutora que vai ligar as barragens Ponto Novo e Pedras Altas, aumentando a segurança no abastecimento das cidades do entorno”, explicou o governador.  

A obra entregue na manhã desta segunda envolveu a extensão da adutora em mais 38 mil metros e a colocação de duas estações elevatórias e de dois reservatórios apoiados, bem como a construção de uma estação de tratamento de água com vazão de 143 litros por segundo.

Agricultura Familiar 

Outro equipamento de fundamental importância para a população de Várzea do Poço, e que tem ligação direta com a agricultura familiar – outra prioridade de gestão –, o Centro de Abastecimento, conhecido na região como Mercadão, foi totalmente reformado pelo Governo do Estado. A obra, orçada em R$ 300 mil e executada pela Companhia de Desenvolvimento Urbano do Estado da Bahia (Conder), permitiu a colocação de esquadrias metálicas e de madeira, instalação de novo revestimento, piso nas áreas externa e interna, nova cobertura, paredes e painéis, além de instalações sanitárias e elétricas.

Ainda na área da Agricultura Familiar, assim como tem feito em outros municípios por onde passa, o governador Rui Costa fez a entrega de 320 certificados do Cadastro Ambiental Rural (CAR). O documento, entre outras finalidades, possibilita que pequenos produtores tenham acesso a financiamentos, o que viabiliza o aumento da produção.

Outras ações

Também fez parte da agenda na cidade a entrega da grama sintética do Estádio Municipal Plácido Paulo de Oliveira. A ação, da Secretaria do Emprego, Trabalho, Renda e Esporte (Setre), contou com recursos de aproximadamente R$ 585 mil. 

Entre os beneficiados pela iniciativa estão jovens como Tulio Mota, de 15 anos, que é participante do Programa Esporte e Lazer da Cidade (Pelc), executado pela Setre. “Esse gramado permite que a gente treine e encare, em igualdade de condições, adversários nos campeonatos regionais e, assim, o sonho de ser profissional se torna possível”, afirmou.
Ainda nesta segunda-feira, foram entregues uma ambulância tipo van e um aparelho de raio-x, este último para a prefeitura da vizinha Serrolândia. A extensa agenda em Várzea do Poço foi encerrada com a visita do governador Rui Costa ao Colégio Estadual Felipe Cassiano.

Foto: Paula Fróes/Divulgação/GOVBA

Bahia vai exportar café da agricultura familiar para a China

quarta-feira, julho 10th, 2019

De Barra do Choça para a China, o café da agricultura familiar atravessa fronteiras e conquista o paladar dos asiáticos. Ainda neste ano, a Cooperativa Mista dos Pequenos Cafeicultores de Barra do Choça e Região (Cooperbac) começa a exportar seus produtos para o país asiático.

Nesta terça-feira, dia 9/7, um grupo da Câmara de Comércio da China conheceu as instalações da cooperativa baiana da agricultura familiar, que tem previsão de enviar para o país cerca de 40 toneladas de café por mês.

O Governo do Estado, por meio do Bahia Produtiva, projeto executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), investiu cerca de R$3,4 milhões na cadeia produtiva do café da cooperativa, possibilitando agregar valor à produção e alavancar a comercialização do produto.  

Os investimentos deram um salto na qualidade da produção, com a oferta de assistência técnica e extensão rural (Ater), aquisição de equipamentos como cinco despolpadores e 20 estufas instalados nas propriedades dos agricultores, o que resultará na linha gourmet da Cooperbac. A cooperativa também teve sua estrutura contemplada com máquina pesadora, modeladora e empacotadora a vácuo, ampliando o acesso ao mercado. 

A presidente da Cooperbac, Joara Oliveira, destaca que a exportação de uma grande quantidade de café significa que os cooperados estão organizados: “Isso foi possível graças aos investimentos que o Governo do Estado tem feito na qualificação da agroindústria e na qualificação das unidades familiares. Significa que esses projetos estão promovendo renda pra os nossos produtores. Se a gente está fazendo essa exportação hoje é graças a esse projeto, o que vai gerar muita economia e vai tirar a figura dos atravessadores da vida dos nossos produtores”.

Para o secretário de Desenvolvimento Rural, Josias Gomes, a Cooperbac está fazendo uma revolução, desde o plantio até a comercialização, produzindo café de qualidade, com inovações fantásticas: “Somos parceiros nessa jornada e eles mostram que quando a agricultura familiar tem incentivo é possível alcançar grandes mercados. Nós estamos mostrando para todo o Brasil e para o mundo que a agricultura familiar da Bahia é economicamente viável e um sucesso mundial”.

No próximo mês de novembro, um grupo da Cooperbac visitará as instalações da Câmara de Comércio da China para conhecer, in loco, seus investidores.  Fonte: SECOM /SDR

Foto: Reprodução

Rui entrega equipamentos que fortalecem a agricultura familiar em mais de 300 municípios

terça-feira, março 26th, 2019

O governador Rui Costa (PT) concretizou uma série de ações para o fortalecimento da agricultura familiar baiana na manhã de segunda-feira 25/3. Durante evento no Parque de Exposições, em Salvador, Rui realizou a entrega de máquinas, equipamentos e veículos para prefeituras e entidades do ramo. O ato representa um investimento de R$ 47 milhões em iniciativa que impulsiona as atividades da agricultura em 368 municípios baianos. 

“Hoje, diversos municípios baianos estão recebendo máquinas que vão ajudar a melhorar a vida das pessoas, auxiliar nas obras urbanas e garantir novas tecnologias para a infraestrutura hídrica na zona rural. Com os equipamentos, as associações e cooperativas poderão aumentar a produção, melhorando a renda das famílias na área rural e fortalecendo o comércio das pequenas e médias cidades da Bahia ”, ressaltou o governador. 

Foram entregues 86 tratores; nove caminhões baú; 14 caminhões basculante; sete pás carregadeiras; 15 rolos compactadores; 22 caminhões-pipa; 13 escavadeiras hidráulicas; 756 implementos agrícolas e quatro máquinas para produção de asfalto. Ainda foram entregues 30 veículos que irão reforçar o trabalho da Agência de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab). 

Os equipamentos entregues nesta segunda fazem parte de iniciativas que envolvem as secretarias estaduais da Agricultura (Seagri) e de Desenvolvimento Rural (SDR). O titular da Seagri, Lucas Bastos, explicou a forma de distribuição dos equipamentos. “Com relação às máquinas grandes, nós estamos fazendo a entrega para os consórcios. Isso faz com que as máquinas sejam melhor aproveitadas. Os tratores, por exemplo, são destinados diretamente ao gestor municipal, tendo as associações como destinatários finais. São equipamentos que melhoram a logística de produção da nossa agricultura”, ressaltou.

 

 

 

Foto: Secom/GOVBA

Fenagro: Organizadores têm expectativa de atrair 300 mil visitantes

segunda-feira, novembro 26th, 2018
Uma semana de oportunidade para empresários do agronegócio e agricultores familiares movimentarem a economia, e também para turistas e baianos conhecerem o que é produzido no interior do estado. Até o próximo domingo (2), estão abertas ao público, simultaneamente, a 31ª Feira Internacional da Agropecuária (Fenagro) e a 9ª Feira da Agricultura Familiar, no Parque de Exposições da Bahia, em Salvador. A abertura foi realizada neste domingo (25), com a presença do vice-governador, João Leão, secretários e outras autoridades. Este ano a feira também comemora os 40 anos do Parque de Exposições. Nesta edição, a Fenagro tem como expectativa atrair 300 mil visitantes e movimentar R$ 100 milhões. 
O vice-governador João Leão lembrou que a Bahia é o estado brasileiro que tem o maior número de agricultores familiares do país, são 750 mil pequenos produtores, mais de três milhões de famílias vivendo da agricultura. “Temos também mais 300 mil  médios e grandes produtores. São mais de um milhão de produtores no estado, e isso é uma alta produtividade. A Bahia está se tornando um dos maiores celeiros do Brasil na produção agrícola, e agora nós estamos avançando na industrialização”, destacou. 
Para o secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues, a Fenagro é uma oportunidade de o Brasil conhecer a força do rural baiano. Aqui estão representados da pecuária ao artesanato, passando pelo agronegócio, os quilombos, indígenas, mostrando cadeias estratégicas, com produtos de qualidade sendo apresentados”. Ainda segundo ele, é uma oportunidade de se marcar um encontro entre quem produz e quem comercializa, que são as redes de supermercado, hotéis, restaurantes. Além disso, as feiras oferecem ao público diversão, cultura e gastronomia”. 
O licuri do Sertão do São Francisco, o mel e o artesanato da região da Bacia do Rio Corrente e todos os territórios de identidade da Bahia estão representados. O prefeito Marcão, do município de Santana, localizado no oeste da Bahia, na Bacia do Rio Corrente, destacou a importância da Fenagro para o pequeno agricultor. “É um fortalecimento da geração de emprego e renda dentro da Agricultura Familiar. Nós temos um grande número de famílias na região vivendo da agricultura, a nossa bacia não é do agronegócio. Portanto, esta feira vem fortalecer os agricultores familiares que são responsáveis por 75% dos produtos que chegam à mesa do brasileiro”. 
Foto: Divulgação/GOVBA

Rui Costa entrega tratores e assina convênios para pequenos agricultores no Sudoeste

domingo, setembro 10th, 2017

O governador Rui Costa entregou na sexta-feira,dia 8/9, 15 tratores para pequenos agricultores do sudoeste da Bahia. As máquinas são resultado de emendas impositivas de deputados aliados.Na viagem à Cidade de Belo Campo, na Região Sudoeste, Rui também autorizou convênios da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR) com associações locais, no valor de R$ 770 mil, por meio do programa Bahia Produtiva.  “O desenvolvimento da Bahia passa pela agricultura familiar. A Bahia é o estado que tem o maior numero de agricultores familiares do país, são 700 mil famílias, cerca de 3 milhões de pessoas”, comentou o governador. Segundo ele, foram contratadas empresas para entregar certificados de cadastros ambientais aos agricultores. O documento permite que as terras estejam legalizadas. Na gestão Rui Costa, já foram entregues 120 mil certificados e a expectativa é que o número chegue a 400 mil até o final do mandato.

 

 

Foto: Divulgação

Bacia do Jacuípe recebe investimentos em segurança e abastecimento

segunda-feira, agosto 22nd, 2016

normal_1471713947WhatsApp_Image_20160820_at_14.17.53

Moradores da zona rural da Bacia do Jacuípe foram beneficiados com a ampliação do acesso à água neste sábado (20), por meio da entrega de um sistema de abastecimento e de 30 cisternas, realizada pelo governador Rui Costa, em Pintadas. Também no município, Rui autorizou convênios do Programa Bahia Produtiva, entregou 55 títulos de terra e três viaturas para a Polícia Militar, além de ter autorizado o início das obras de sinalização de trânsito e visitado o Colégio Estadual Normal de Pintadas e a Cooperativa Agroindustrial da cidade.

A rede de distribuição inaugurada possui uma adutora de 40 quilômetros, levando água para 308 domicílios e mais de mil moradores de quatro distritos, em um investimento de R$ 2,2 milhões. Entre as 30 cisternas entregues, três serão implantadas em escolas da zona rural. As três viaturas reforçam a segurança nos municípios de Pintadas, Baixa Grande e Mundo Novo. Já o sistema de trânsito de Pintadas vai receber investimento de mais de R$ 200 mil do Governo do Estado, com a implantação de 410 placas de sinalização.

Títulos de terras

Ao entregar o título de propriedade ao agricultor familiar Justino Gomes, Rui descobriu que o pequeno produtor, de 73 anos, vive desde que nasceu nas terras que cultiva, mas ainda não tinha o documento de propriedade. “Sem esse documento, os pequenos produtores não podem acessar o crédito no banco, não podem ter acesso aos programas federais e estaduais, nem podem deixar a propriedade de herança para filhos e netos. Pela importância deste documento, que é o título de terra, a nossa meta é chegar ao final do governo com 20 mil documentos entregues aos agricultores”, afirmou o governador, ao lado do secretário de Desenvolvimento Rural, Jerônimo Rodrigues.

Para o agricultor, o título de terra “é importante porque eu tenho sete filhos. Crio uns bichos, galinha, porco, bezerro e planto. Agora, com o título, eu estou seguro de deixar a terra, que não é muita, mas é para eles. Também posso pegar um empréstimo no banco para fazer um melhoramento. Então, esse documento é muito importante”.

Convênios

Na ocasião, o governador também destacou a importância de apoiar cooperativas que são modelos de sucesso. “A Bahia tem 700 mil famílias de agricultores familiares, cerca de 3 milhões de baianos que sustentam a família com a pequena agricultura. O dinheiro que esse pequeno agricultor ganha na produção, ele gasta na cidade. Se fortalecemos o pequeno agricultor, nós fortalecemos também o comércio do município. Por isso estamos assinando os dois convênios [do Bahia Produtiva], de R$ 1,5 milhão, para adquirir máquinas e equipamentos, para reforma e ampliação do abatedouro e frigorífico, e para a aquisição de veículo e baú refrigerado”.

De acordo com o presidente da Cooperativa Agroindustrial de Pintadas, Gerinelson Gonçalves, mais de mil pequenos produtores fazem parte da cooperativa. Atualmente, o frigorífico tem capacidade para armazenar 11 mil quilos de carne de ovinos e caprinos. Com a ampliação, serão instaladas mais câmaras frias e a capacidade passará a ser de 20 mil quilos, incluindo também carne bovina.

“A ampliação vai proporcionar o aumento da escala de abate, fortalecer a cadeia produtiva de caprinos e ovinos, incentivar o produtor a criar mais, melhorar o manejo e produzir mais. O abatedouro ajuda a garantir a comercialização. Isso tudo é geração de renda, regulação de preço, combate à clandestinidade, aumento do produto certificado e, o mais importante, aumento da renda para o pequeno produtor”, ressaltou Gerinelson.

 

Foto/fonte: Secom/GOVBA

Governo anuncia medidas do Plano Safra da Agricultura Familiar nesta segunda, 22

domingo, junho 21st, 2015

IMG_4575.JPG

As medidas que compõem o Plano Safra da Agricultura Familiar (Pronaf) 2015/2016 serão anunciadas nesta segunda-feira, dia 22, pelo governo. Entre elas estão os novos critérios do Seguro da Agricultura Familiar (Seaf), do Programa Garantia-Safra, da ampliação da assistência técnica para as famílias de agricultores e o volume de crédito.

Em maio, a presidenta Dilma Rousseff havia anunciado a concessão de pelo menos R$ 25 bilhões ao Pronaf. No ano passado, o Plano Safra da Agricultura Familiar recebeu recursos da ordem de R$ 24,1 bilhões.
A agricultura familiar, de acordo com o último Censo Agropecuário, é responsável por 74% da mão de obra no campo, além de contribuir com 33% do valor bruto da produção agropecuária.
O Ministério da Defesa informou na sexta-feira, dia 19,que vai adquirir alimentos produzidos pela agricultura familiar, no âmbito do Plano Safra 2015/2016. Os produtos abastecerão os restaurantes da administração central e de organizações militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica localizadas em Brasília.
Foto: Ilustrativa