Posts Tagged ‘VACINA’

Bahia prorroga vacinação contra a Febre Aftosa até 30 de junho

sexta-feira, maio 29th, 2020

Mais tempo. A prorrogação da Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa em toda a Bahia foi confirmada nesta sexta-feira, dia 29/5, pelo diretor-geral da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (Adab), Maurício Bacelar. “Embora os registros de venda da vacina tenham superado os 7,5 milhões de doses nas lojas de produtos agrícolas, o que é um indicativo bem positivo da conscientização dos produtores baianos para com a imunização de seus rebanhos, decidimos pela extensão do prazo que acabaria no próximo domingo, dia 31/5”, ressaltou.

A decisão da Adab foi anunciada após consulta ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Federação da Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb). O prazo será um mês mais longo nessa primeira etapa da Campanha de Vacinação de 2020 também em todos os outros estados do Grupo 4 que integram o Plano Nacional de Erradicação da Febre Aftosa (PNEFA): Tocantins, Goiás, Distrito Federal, Minas Gerais, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Espírito Santo.

Foram considerados alguns motivos para a extensão do prazo da vacinação. A começar pela difícil logística de distribuição das vacinas através das indústrias, em virtude da pandemia do novo coronavírus, a suspensão das atividades comerciais em diversas cidades baianas, o que dificultou o acesso dos produtores à vacina, a interrupção do transporte intermunicipal e a antecipação dos feriados estaduais e municipais. “No entanto, apesar do cenário de isolamento que vivemos hoje, podemos dizer que a venda foi bastante expressiva, pois a estimativa é imunizarmos 10 milhões de animais, entre bovinos e bubalinos de todas as idades, o que significa que, até aqui, as vacinas vendidas foram suficientes para imunizar 75% do rebanho”, reforçou Maurício.

Declaração obrigatória

As equipes da Adab estão em campo por toda a Bahia auxiliando no acompanhamento da vacinação, esclarecendo dúvidas dos produtores e trabalhadores rurais, orientando para o uso de EPIs (Equipamentos de Proteção Individuais) e a adoção dos cuidados indispensáveis para o ato da vacinação, e prevenção ao coronavírus. “Estamos atentos para assegurar, em primeiro plano, a vida de todas as pessoas inseridas no processo evitando o contágio e, ao mesmo tempo, colaborando com a sanidade dos animais e para colocarmos a Bahia como Zona Livre da Aftosa sem Vacinação, em curto espaço de tempo, o que contribuirá efetivamente para valorização dos rebanhos do estado e acesso aos exigentes mercados internacionais”.

Já a declaração da vacina será estendida até o dia 15 de julho e os produtores poderão realizar o processo através do site www.adab.ba.gov.br, ou, se preferir, procurar os escritórios físicos da agência, sindicatos rurais e lojas de revenda de produtos agrícolas para efetivar a declaração obrigatória.

Fotografia/fonte: Ascom/ADAB

Menos de 20% das gestantes se vacinaram contra gripe

quarta-feira, maio 6th, 2020

Recado direto. A intensificação da campanha nacional de vacinação contra a gripe em Salvador para os grupos de risco grávidas e puérperas tem baixa adesão desde o início da nova etapa, no último dia 27. O indicador baixo é preocupante na capital baiana, pois a vacina protege tanto a mamãe como o bebê contra o vírus H1N1, H3N2 e Influenza B.

Até o momento, 18% das gestantes e 24% de puérperas buscaram uma das 85 unidades de saúde referência para vacinar, além das cinco unidades de drive thru instalados na Arena Fonte Nova; no 5º Centro de Saúde Clementino Fraga, nos Barris; nos dois campi da Faculdade Bahiana de Madicina, nos bairros do Cabula e Brotas; e no Atakadão Atakarejo de Fazenda Coutos. Esses drives realizam a vacinação somente das gestantes e puérperas.

Desde o início de abril, quando foi iniciada, a campanha de vacinação já imunizou 433 mil pessoas contra a gripe em Salvador. O percentual de idosos vacinados, por exemplo, superou a marca dos 100% previstos. De acordo com Doiane Lemos, subcoordenadora de Controle de Doenças Imunopreviníveis pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a criança, o idoso, a gestante e a mulher que teve filho nos últimos 45 dias têm potencial de desenvolver complicações provocadas pelo vírus Influenza e ir a óbito.

“Uma vez que a gestante e a puérpera se vacinam, elas estão protegendo a elas e ao bebê, pois, se a puérpera se contaminar, por exemplo, ela pode contaminar o filho que ainda não tem idade para receber a vacina. Portanto, são duas vidas protegidas”, ressalta, pedindo que essas mulheres comparecem nos postos de vacinação.

Doiane completa ainda que essa é uma época de circulação do vírus Influenza, que continua incidente mesmo com a presença do coronavírus. Esse ano, já foram confirmados 76 casos de H1N1, três casos de H3N2 e 23 casos de Influenza B, os três tipos de vírus contra os quais é possível se proteger com a vacina.

Segunda fase – Nessa segunda fase da campanha de vacinação, estão sendo priorizados, além das gestantes e puérperas, profissionais da força de segurança e salvamento, portuários, caminhoneiros, motoristas e cobradores de transportes coletivos, idosos e trabalhadores da saúde. Fonte: Secom/PMS

Fotografia: Bruno Concha/Divulgação/PMS

Mais de 80 milhões de animais foram vacinados contra febre aftosa no país

quarta-feira, janeiro 29th, 2020

A maioria dos pecuaristas do país fez, mais uma vez, o dever de casa em relação à prevenção da febre aftosa no rebanho. No segundo semestre de 2019, 98,35% do rebanho bovino e bubalino com até 24 meses de idade foram imunizados, o equivalente a 84,13 milhões de animais.

Os dados finais dessa etapa (segundo semestre de 2019) podem ter alterações, pois ainda não foram considerados os dados da Bahia. O sistema do estado apresentou problemas técnicos e os dados consolidados serão enviados ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) até o próximo dia 31.

Em 24 estados e no Distrito Federal, todos os animais jovens (até 24 meses de idade) devem ser vacinados no segundo semestre de cada ano. No primeiro semestre, são vacinados os animais de todas as idades.  Atualmente, o rebanho bovino e bubalino brasileiro é de 215,57 milhões de cabeças.

>> Os dados dessa etapa de vacinação específicos de cada estado pode ser visualizados aqui

“Foi mantida, como em semestres anteriores, a alta cobertura vacinal contra a doença, mostrando que mesmo nesse momento de transição, onde alguns estados estão suspendendo a vacinação conforme previsto no plano estratégico 2017-2026 do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), os criadores sabem de seu papel e executam a vacinação nos seus animais nos estados que permanecem com a vacinação obrigatória e sistemática”, afirmou o chefe da Divisão de Febre Aftosa (Difa), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Diego Viali dos Santos. 

O sucesso do programa brasileiro de vacinação e erradicação da febre aftosa despertou o interesse da Índia, que tem o maior rebanho bovino e bubalino do mundo (mais de 400 milhões de animais).

Na última semana, técnicos brasileiros estiveram na Índia, que integraram a missão da ministra Tereza Cristina ao país asiático, iniciaram a elaboração de um acordo de cooperação técnica na área de febre aftosa, como forma de troca de experiências e conhecimento técnico entre dois países. Como primeiro passo desse trabalho, ficou agendado para maio deste ano, a vinda de autoridades da área sanitária indiana ao Brasil para conhecerem o PNEFA, o parque industrial brasileiro de produção de vacina, laboratórios federais de controle de vacina e diagnóstico de febre aftosa, além de atividades de vigilância. Conforme Ministério da Agricultura

Foto: Reprodução

Sete em cada dez brasileiros acreditam em fake news sobre vacinas

sábado, novembro 16th, 2019

Dez afirmações falsas recorrentes sobre vacinas foram apresentadas a mais de 2 mil entrevistados nas cinco regiões do Brasil, e o resultado preocupa a Sociedade Brasileira de Imunizações: mais de dois terços (67%) disseram que ao menos uma das informações era verdadeira.

A pesquisa foi feita pela sociedade médica em parceria com a organização não governamental Avaaz. Os questionários foram aplicados pelo Ibope entre 19 e 22 de setembro deste ano.

Entre os entrevistados, apenas 22% conseguiram identificar que as dez afirmações eram falsas. Mais 11% não souberam ou não responderam.

Para 24% dos entrevistados, “há boa possibilidade de as vacinas causarem efeitos colaterais graves”, quando, na verdade, os efeitos adversos graves são raríssimos. A segunda afirmação falsa mais recorrente foi “há boa possibilidade de as vacinas causarem a doença que dizem prevenir”, com 20% de concordância – uma em cada cinco entrevistas.

Apesar de as gestantes terem um calendário específico de vacinação formulado pelo Ministério da Saúde, 19% dos entrevistados concordaram com a afirmação falsa de que “mulheres grávidas não podem se vacinar”.

O presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações, Juarez Cunha, chama a atenção que mesmo afirmações absurdas tiveram concordância de parcelas consideráveis dos entrevistados. Para 14%, é correto afirmar que “O governo usa vacinas como método de esterilização forçada da população pobre”, e 12% disseram que “contrair a doença é, na verdade, uma proteção mais eficaz do que se vacinar contra ela”.

Entre os entrevistados, 13% assumiram que deixaram de se vacinar ou deixaram de vacinar uma criança sob seus cuidados. Os motivos para essa ausência incluem falta de planejamento (38%) e difícil acesso aos postos de vacinação (20%), mas também foram citados o medo de ter um efeito colateral grave (24%), o medo de contrair a doença através da vacina (18%) e alertas e notícias vistos na internet (9%). Cada entrevistado citou até três motivos.

“Fica constatado que as pessoas estão recebendo muita informação inadequada, e que essa informação inadequada tem circulado com cada vez maior frequência. Com certeza, é mais um dos motivos que tem impactado as nossas coberturas vacinais”, afirma Cunha.   Fonte: Agência Brasil

Foto: Marcelo Camargo/Divulgação/Agência Brasil

Sábado (19) será “Dia D” de vacinação contra o sarampo

sexta-feira, outubro 18th, 2019
Dia D de mobilização da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e Sarampo.

Neste sábado (19), será realizado em todo o país o “Dia D de Vacinação contra o Sarampo”. A data é uma mobilização para estimular pessoas a se imunizarem contra a doença, cujos casos vêm crescendo no país nos últimos meses. Postos de saúde estarão abertos para receber os interessados em se proteger contra o sarampo ou que não tenham tomado todas as doses.

O “Dia D” faz parte da Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo, lançada no dia 7 de outubro pelo Ministério da Saúde, em parceria com secretarias estaduais e municipais.

A mobilização nacional de amanhã integra a primeira fase da campanha, até 25 de outubro, voltada a crianças com idade entre seis meses e 4 anos. Os bebês de até um ano apresentam coeficiente de incidência da doença de 92,3 a cada 100 mil habitantes, 12 vezes maior do que as demais faixas.

Na segunda etapa, programada para o período entre 18 e 30 de novembro, o foco será em pessoas de 20 a 29 anos. Essa faixa inclui a maioria do número de casos confirmados da doença, com 1.694, embora com coeficiente menor (13,2 casos a cada 100 mil habitantes) devido ao número de brasileiros nessa faixa de idade.

Devem ser vacinados os bebês de seis meses a 1 ano, que tomarão a chamada “dose 0”. As crianças de 1 a 5 anos devem receber duas doses, uma aos 12 meses e outra aos 15 meses. Em caso de aplicação de apenas uma das doses, é preciso se dirigir aos postos para realizar o complemento da segunda.

O objetivo é vacinar 39 milhões de pessoas ao longo da campanha, cerca de 20% dos brasileiros. Foram disponibilizadas neste ano 60,2 milhões de doses da tríplice viral, que imuniza contra sarampo, caxumba e rubéola. Para o próximo ano, o ministério anunciou a aquisição de mais 65,2 milhões de doses. O público-alvo será ampliado, abrangendo também as faixas de 50 a 59 anos.

Casos

Segundo o último boletim epidemiológico do Ministério da Saúde sobre Sarampo, de janeiro até outubro deste ano já haviam sido confirmados 6.640 casos e seis mortes. No período de 7 de julho a 29 de setembro, foram registrados 5.404 casos confirmados, enquanto 22.564 ainda estão em investigação. Outras 7.554 suspeitas foram descartadas. O período concentrou 81% dos casos confirmados neste ano.

Esses episódios ocorreram em 19 unidades da Federação, sendo a quase totalidade em São Paulo, com 5.228 casos (96,74%), em 173 cidades, principalmente na região metropolitana da capital paulista. Em seguida vêm o Paraná (39 casos, em 10 cidades), o Rio de Janeiro (28, em 9 municípios), Minas Gerais (25, em 8 localidades) e Pernambuco (24, em 8 cidades).

Como os registros estão em municípios específicos, quem quiser mais informações deve buscar a Secretaria de Saúde do estado para saber se a sua cidade está entre os locais de ocorrência da doença. Entre as mortes, cinco foram em São Paulo e uma em Pernambuco.

Sarampo

Causado por vírus, o sarampo é uma doença infecciosa grave, que pode levar à morte. A transmissão ocorre por via aérea, ou seja, quando a pessoa infectada tosse, fala ou respira próximo de outras pessoas.

Mesmo quando o paciente não morre, há possibilidade de a infecção ocasionar sequelas irreversíveis. Quando a doença ocorre na infância, o doente pode desenvolver pneumonia, encefalite aguda e otite média aguda, que pode gerar perda auditiva permanente.

Os sintomas do sarampo são febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, coriza (nariz escorrendo ou entupido) e mal-estar intenso. Quando o quadro completa de três a cinco dias, podem aparecer manchas vermelhas no rosto e atrás das orelhas.

A prevenção ao sarampo, feita por meio da vacinação, é fundamental, já que não há tratamento para a doença. O tipo de vacina varia conforme a idade da pessoa e a situação epidemiológica da região onde vive, ou seja, é necessário levar em conta a incidência da doença no local. Quando há um surto, por exemplo, a dose aplicada pode ser do tipo dupla viral, que protege contra sarampo e rubéola.

Existem ainda as variedades tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) e tetra viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela, mais conhecida como catapora). As vacinas estão disponíveis em unidades públicas e privadas de vacinação. Segundo o Ministério da Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece doses gratuitamente em mais de 36 mil salas de vacinação, localizadas em postos de saúde de todo o Brasil.

O governo brasileiro recomenda que pessoas na faixa de 12 meses a 29 anos de idade recebam duas doses da vacina. Para a população com idade entre 30 a 49 anos, a indicação é de uma dose.

Recentemente, o Brasil perdeu o certificado de eliminação da doença. Na semana passada, passaram a apresentar semelhante condição quatro países da Europa: o Reino Unido, a Grécia, República Tcheca e Albânia. De acordo com o ministério, no primeiro semestre deste ano, o Cazaquistão, a Geórgia, Rússia e Ucrânia concentraram 78% dos casos registrados na Europa. Agência Brasil

Foto: Reprodução

Mais de 33 milhões de pessoas foram vacinadas contra a gripe no país

quarta-feira, maio 15th, 2019

Mais de 33 milhões de pessoas foram vacinadas contra a gripe no país. O número corresponde a 56% do público-alvo definido pelo Ministério da Saúde para a campanha nacional de imunização contra a gripe deste ano. Os dados atualizados foram divulgados pelo Ministério da Saúde nesta quarta-feira, dia 15/5.

O governo federal estabeleceu como meta vacinar 59,5 milhões de pessoas com a campanha. Os chamados “grupos prioritários” abrangem idosos (a partir de 60 anos), crianças de até seis anos, gestantes, professores, trabalhadores da saúde, pessoas com doenças crônicas e população privada de liberdade. A faixa etária do público infantil foi ampliada de até cinco anos para até seis anos.

Os estados com maior cobertura até o momento são Amazonas (88,8%), Amapá (83,8%), Espírito Santo (69,4%), Alagoas (66,1%) e Rondônia (66%). A menor cobertura foi detectada nos estados do Rio de Janeiro (38,3%), do Acre (45%), de São Paulo (48,8%), do Pará (50%) e de Roraima (51,8%).

A campanha vai até o dia 31 de maio.

Foto: Reprodução

Nova etapa da Campanha contra a Gripe começa nesta segunda-feira (22)

domingo, abril 21st, 2019

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe entra em uma nova etapa na próxima segunda-feira (22) em todo o país. A primeira fase, que teve início em 10 de abril, vacinou crianças, gestantes e puérperas. A partir da próxima segunda, o Ministério da Saúde abrirá ao restante do público-alvo.

Dessa forma, poderão receber a vacina trabalhadores da saúde, indígenas, idosos, professores de escolas públicas e privadas, pessoas com comorbidades e outras condições clínicas especiais, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

De acordo com o ministério, 41,8 mil postos de vacinação estão à disposição da população. Além disso, 196,5 mil profissionais estão envolvidos, bem como a utilização de 21,5 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais.

A doença

A influenza é uma doença sazonal, mais comum no inverno, que causa epidemias anuais, sendo que há anos com maior ou menor intensidade de circulação desse tipo de vírus e, consequentemente, maior ou menor número de casos e mortes.

No Brasil, devido a diferenças climáticas e geográficas, podem ocorrer diferentes intensidades de sazonalidade da influenza e em diferentes períodos nas unidades federadas. No caso específico do Amazonas, a circulação, de acordo com o ministério, segue o período sazonal da doença potencializado pelas chuvas e enchentes e consequente aglomeração de pessoas.

Até o final de março, antes do lançamento da campanha, foram registrados 255 casos de influenza em todo o país, com 55 óbitos. Até o momento, o subtipo predominante no país é influenza A H1N1, com 162 casos e 41 óbitos. O Amazonas foi o estado com mais casos registrados, com 118 casos e 33 mortes. Por isso, a campanha foi antecipada no estado. Agência Brasil

 

 

Foto: Reprodução

Campanha de vacinação contra gripe começa nesta quarta-feira (10)

terça-feira, abril 9th, 2019

Começa nesta quarta (10) em Salvador a Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza. Todas as unidades de saúde da rede básica estarão ofertando as doses do imunobiológico de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8h às 17h.

O lançamento oficial da campanha acontecerá nesta quarta no Centro de Saúde Ramiro de Azevedo, no Campo da Pólvora (em frente ao Fórum Ruy Barbosa), a partir das 9h30, com a presença do secretário municipal de Saúde, Luiz Galvão, e da subcoordenadora de Doenças Imunopreveníveis, Doiane Lemos.

Nessa primeira etapa da estratégia, a vacina estará disponível exclusivamente para crianças (de 6 meses a menores de 6 anos) e gestantes. A partir de 22 de abril, os demais grupos prioritários – cerca de 750 mil pessoas entre idosos (a partir de 60 anos), puérperas (mulheres que ganharam bebê nos últimos 45 dias), trabalhadores de saúde do serviço público e privado, jovens de 12 a 21 anos de sob medidas socioeducativas, professores, além de portadores de doenças crônicas que não são transmissíveis e outras condições clínicas especiais – também serão contemplados.

A meta é imunizar pelo menos 90% do público alvo na estratégia que segue até 31 de maio. “Aconselhamos que os grupos que devem receber a vacina procurem o mais rápido possível um dos postos de saúde para evitar transtornos”, aconselhou Luiz Galvão. Secom/PMS

 

 

 

Foto:

País tem dia D de vacinação contra pólio e sarampo

sábado, agosto 18th, 2018

Com a meta de vacinar cerca de 11 milhões de crianças de 1 ano de idade até os 5 anos incompletos, mais de 36 mil postos de saúde de todo o país promovem neste sábado (19) um dia D de vacinação contra o sarampo e a poliomielite.

A campanha de vacinação neste ano foi intensificada devido ao surgimento de um maior número de pessoas infectadas por essas doenças. Há no momento, por exemplo, dois surtos de sarampo ativos no país: um no Amazonas, onde foram confirmados 910 casos, com três mortes; outro em Roraima, com 300 casos confirmados e quatro mortes.

Nas propagandas, tem sido reforçada aos pais a importância de imunizar os pequenos no caso do sarampo e da pólio, doenças que pareciam esquecidas pela população, pois eram consideradas eliminadas no país, mas cujos casos voltaram a aparecer. Agência Brasil

 

Foto: Divulgação/Agência Brasil

Começa campanha de vacinação contra febre amarela com doses fracionadas

segunda-feira, fevereiro 19th, 2018

A Secretaria Municipal da Saúde deu início, nesta segunda-feira, dia 19/2, à campanha de intensificação contra febre amarela com uso de doses fracionadas e padrão. A ação visa ampliar a cobertura vacinal na capital e em mais outros oito municípios baianos, além de reduzir a população suscetível à patologia em curto prazo. A dose fracionada é uma parte da dose padrão da vacina contra a febre amarela, que confere proteção similar por um período de até 8 anos. A eficácia é a mesma e funciona como medida emergencial para o controle de possíveis surtos.

Pouco mais de 1,2 milhão de indivíduos ainda precisam se proteger contra a doença em Salvador. A vacina fracionada está sendo administrada em pessoas com idades entre 2 e 59 anos que nunca foram imunizadas contra a doença. Crianças entre 9 meses e 2 anos, pessoas com condições clínicas específicas (como pacientes com HIV/Aids) e viajantes internacionais (é preciso apresentar o comprovante do deslocamento) continuarão a tomar a dose padrão do imunobiológico.

A campanha seguirá até 9 de março em Salvador. O Dia D da estratégia será promovido em 24 de fevereiro (sábado) para ampliar o acesso às doses para a população. A vacina está disponível de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, nas 126 unidades básicas da rede municipal. É recomendável levar o Cartão do SUS, um documento de identificação com foto e Cartão de Vacina, mas quem estiver sem esses documentos também poderá se vacinar.

Foto: Bruno Concha Secom

Após morte, vacinação contra febre amarela é intensificada

segunda-feira, janeiro 15th, 2018

Após a morte de um morador de São Paulo que estava internado com febre amarela no Hospital Couto Maia, no bairro de Monte Serrat, os postos de saúde da rede municipal de Salvador apresentaram um aumento sensível na procura pelas vacinas contra a patologia nesta segunda-feira, dia 15/1. Estima-se que 1,3 milhão de soteropolitanos ainda precisem se proteger contra a doença na capital baiana. A vacinação acontece de segunda a sexta-feira (exceto feriados), das 8 às 17 horas, em todas 126 salas de vacina da rede municipal.

“Apesar de ainda não termos o fechamento do número de doses aplicadas nessa segunda, já conseguimos perceber um aumento significativo na procura pelas doses nos postos. Isso é importante porque a vacinação é a melhor forma de evitarmos a circulação do vírus nesse período, quando a cidade recebe pessoas de todo o planeta, sobretudo de regiões como São Paulo, onde temos casos confirmados em humanos”, alertou Geruza Morais, diretora de Vigilância à Saúde.

Foto: reprodução

Confira os locais de vacinação contra a febre amarela em Salvador

quinta-feira, março 30th, 2017

A Secretária de Saúde do município informou que começa a partir desta quinta-feira, dia 30/3, a campanha de vacinação contra a febre amarela. Podem receber a imunização todos aqueles entre 9 meses e 59 anos. Não será necessário apresentação de comprovantes de viagem para regiões classificadas como área de risco da doença.

A medida foi definida após a confirmação de três casos de febre amarela em macacos nos Distritos Sanitários de Brotas, Subúrbio Ferroviário e Barra/Rio Vermelho e visa ampliar o acesso da população à imunização.

Para isso, basta dirigir-se para uma das 19 unidades de referências definidas pelo município, espalhadas por toda a cidade. Confira os locais de vacinação.

Postos de vacinação contra febre amarela:

1. Unidade de Saúde da Família Candeal Pequeno – Rua 8 de Agosto, s/n – Candeal Pequeno
2. Unidade de Saúde da Família Santa Luzia – Rua Almirante Alves Câmara, 112 – Engenho Velho de Brotas
3. Unidade de Saúde da Família Victorino – Avanida Dom João VI, 450 – Brotas
4. Centro de Saúde Cosme de Farias – Rua Direta de Cosme de Farias, s/n
5. Multicentro Carlos Gomes –Rua Carlos Gomes, 63/66, Centro.
6. Centro de Saúde Virgílio de Carvalho – Rua Duarte da Costa, s/n, Dendezeiros.
7. Centro de Saúde Péricles de Laranjeira- Rua Pitangueiras, s/n, Fazenda Grande do Retiro.
8. Multicentro Liberdade- Rua Lima e Silva, nº 217, Liberdade (antigo 3º Centro de Saúde).
9. USF Olga de Alaketu– Rua Edson Saldanha, s/n- Baixa do Tubo-Matatu.
10. MulticentroAmaralina–Av. Visconde de Itaboray, nº 1193, Amaralina.
11. Unidade de Saúde da Família Clementino Fraga – Av. Centenário, s/n, Centenário.
12. Unidade de Saúde da Família Parque de Pituaçu – Rua Araújo Bastos, nº100, Pituaçu.
13. Unidade de Saúde da FamíliaMussurunga I – Rua 1, Setor E, Caminho 16, s/n, Mussurunga I.
14. Centro de Saúde Eunísio Teixeira- Rua Jurucutus, s/n, Saboeiro.
15. Centro de Saúde EdsonBarbosa – Avenida Hilda, nº 02, Pernambués.
16. Centro de Saúde Canabrava- Rua Bentivis, s/n, final de linha de Canabrava.
17. Centro de Saúde Castelo Branco- Rua A, 3º etapa- Centro Social Urbano de Castelo Branco.
18. Unidade de Saúde da Família Estrada da Cocisa – Rua Monte Claros, s/n, Paripe (final de linha da Cocisa).
19. Unidade de Saúde da Família Alto da Terezinha- Rua Direta da Terezinha, s/n.
20. Unidade de Saúde da Família Ilha Amarela- Rua Nova Esperança, Ilha Amarela.
21. Unidade de Saúde da Família Alto de Coutos II- Rua Golan, s/n, Parque Setúbal, Alto de Coutos.
22. Unidade de Saúde da Família Vista Alegre-Rua do Sabiá, s/n, Vista Alegre.
23. Unidade de Saúde da Família Cajazeiras V – Estrada do Matadouro, Rótula de Cajazeiras, s/n.
Em Vila Laura, a vacinação acontece também entre os dias 30/03 e 01/04:

Shopping Vila Laura Tropical – Rua Raul Leite, 279
Paróquia Jesus de Nazaré – Rua Mário Rêgo dos Santos

Foto: Agência Brasil

Postos sem vacina: População se revolta com “desculpa” da prefeitura

quinta-feira, abril 28th, 2016

8110,campanha-contra-hpv-e-realizada-neste-mes-vacinacao-sera-em-dezembro-2

Balela. A Prefeitura de Salvador afirma que em duas semanas, foram imunizadas cerca de 249 mil pessoas contra a gripe na capital baiana, o que equivale a 40% do público alvo. A falta de vacina tem causado revolta na população que acusa a Prefeitura de incompetência. “Eu tô andando de posto em posto há uma semana e nada de vacina”, bradou dona Maria José, moradora de Paripe e leitora do site Hora do Bico.

Por meio de nota, a Secretaria de Saúde de Salvador informou na quarta-feira, dia 27, que a Cidade tem “baixo estoque” das doses de vacina contra gripe H1N1, o que começa a comprometer a imunização. Diante da situação, o público-alvo que procura postos de saúde na capital baiana tem encontrado unidades que não possuem mais as doses para aplicação.

Foto: Reprodução