Posts Tagged ‘PF’

Polícia Federal realiza operação contra crime eleitoral e tem vereador como alvo

quinta-feira, agosto 30th, 2018

Não corre ninguém. A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira 30/8, uma operação para combater crimes eleitorais cometidos em 2016, em cidades da Bahia, Rio de Janeiro e Mato Grosso.

De acordo com a PF, os crimes teriam sido cometidos por um então candidato, eleito vereador, da Cidade de Vitória da Conquista, no interior da Bahia. A PF não divulgou o nome do vereador, que é o principal alvo da operação.

Segundo a PF, a operação, intitulada Condotieri, conta com mais de 100 policiais federais que cumprem 29 mandados de busca e apreensão, 23 mandados de medidas cautelares e 61 mandados de intimação.

Os mandados são cumpridos em Salvador, Vitória da Conquista, Itabuna, Wenceslau Guimarães, e Lauro de Freitas, na Bahia, além do Rio de Janeiro (RJ) e Cuiabá (MT).

Foto: Divulgação/Polícia Federal

Polícia Federal deflagra operação contra o desvio de recursos para merenda escolar na Bahia

quarta-feira, maio 9th, 2018

Não corre ninguém. A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quarta-feita 9/5 a operação Prato Feito, em parceria com a Controladoria Geral da União, para desarticular cinco grupos criminosos suspeitos de desviar recursos da União destinados à educação em municípios da Bahia, São Paulo, Paraná e Distrito Federal.

São cumpridos 154 mandados de busca e apreensão, além de afastamentos preventivos de agentes públicos e decisões de suspensão de contratação com o poder público referentes a 29 empresas e seus sócios. Todas as medidas foram expedidas, a pedido da PF, pela 1ª Vara Criminal Federal de São Paulo e pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

As investigações apuraram que os grupos criminosos agiriam em 30 municípios, contatando prefeituras por meio de lobistas, para direcionar licitações de fornecimento de recursos federais para a educação destinados ao fornecimento de merenda escolar, uniformes, material didático e outros serviços.

Há indícios do envolvimento de 85 pessoas, sendo: 13 prefeitos, 4 ex-prefeitos, 1 vereador, 27 agentes públicos não eleitos e outras 40 pessoas da iniciativa privada. A Controladoria Geral da União identificou, ao longo das investigações, 65 contratos suspeitos, cujos valores totais ultrapassam R$ 1,6 bilhões.

Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de fraude a licitações, associação criminosa, corrupção ativa e corrupção passiva, com penas que variam de 1 a 12 anos de prisão.

 

 

 

 

 

Foto: Reprodução

Novo diretor-geral da PF toma posse e diz que Lava Jato continuará “forte”

sexta-feira, março 2nd, 2018

O novo diretor-geral da Polícia Federal (PF), Rogério Galloro, disse hoje (2) que a Operação Lava Jato continuará “forte”. Ao discursar durante a cerimônia de posse no cargo, ele destacou que sua gestão buscará valorizar servidores e aprofundar a integração de suas unidades. Galloro assume o comando da PF no lugar de Fernando Segóvia.

“As conquistas dos últimos anos são marcantes para a PF e indeléveis para a história da instituição. Essa responsabilidade só será respeitada com dedicação, fidelidade constitucional e coragem”, disse o novo diretor.

Galloro destacou que a equipe que atua na Lava Jato continuará “íntegra” e reafirmou o compromisso assumido pelo ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, de reforçar o time.

Futuro

Para Galloro, o futuro da PF passa pela necessidade de valorizar servidores e contratados da instituição, e de aprofundar a integração das unidades.

“Essa é uma condição basilar. O crime não é mais forte do que o Estado brasileiro. Iniciei minha carreira em uma unidade descentralizadas em São Paulo. Elas devem ser objeto de nossa dedicação, porque é lá que entendemos estar o desafio de ser da Polícia Federal”, ressaltou Galloro, após citar uma frase atribuída ao líder sul africano Nelson Mandella: “Coragem não é falta de medo, mas triunfo sobre ele”.

Indicações

Na gestão de Galloro, a Diretoria-Executiva será ocupada por Silvana Helena Borges; o diretor de Combate ao Crime Organizado será Elzio Vicente da Silva; a Diretoria de Inteligência Policial (DIP) ficará a cargo de Umberto Ramos Rodrigues. A Diretoria de Gestão de Pessoal terá no comando Delano Bunn, e a Diretoria de Logística, Fabricio Kelmer.

Orçamento

Em seu discurso, o ministro Raul Jungmann voltou a defender que, a exemplo das áreas de saúde e educação, a segurança tenha também uma previsão mínima no Orçamento. De acordo com ele, essa é uma forma de se avançar no sentido de “universalizar o direito à segurança”.

“Embora pertença à área social, a segurança pública não faz parte da área de seguridade social, onde está a saúde e educação. Todos esses setores encontraram formas de regular e ter piso garantido ou leis que asseguram a cada um deles um mínimo para o seu funcionamento”, disse. “Isso não acontece com a segurança pública, que é o patinho feio da área social de nosso país. Não há regulamentação para garantir a estabilidade da segurança. Mas isso é um problema da Constituição”, acrescentou.

Jungmann criticou o fato de 80% das atribuições da ordem da segurança pública estar com os governos estaduais, quando, segundo ele é a PF que “responde por basicamente a totalidade com a ordem da segurança publica da União”. Agência Brasil

 

 

 

Foto: José Cruz/Divulgação/Agência Brasil

Diretor-geral da Polícia Federal é demitido

terça-feira, fevereiro 27th, 2018

Fernando Segovia

Em seu primeiro dia à frente do novo Ministério Extraordinário da Segurança Pública, o ministro Raul Jungmann decidiu mexer no comando da Polícia Federal, substituindo Fernando Segovia por Rogério Galloro no cargo de diretor-geral da corporação. Ex-diretor executivo da PF, Galloro é o atual secretário nacional de Segurança Pública.

Antes mesmo de sua posse como ministro da Segurança Pública, ocorrida no final da manhã desta terça-feira, dia 27/2, Jungmann conversou sobre o assunto com Michel Temer. Na conversa, o ministro manifestou o desejo de fazer a troca no comando da PF e obteve a aprovação do presidente.

Rogério Galloro

Desde o início do mês, quando concedeu uma entrevista a Agência Reuters afirmando que, no inquérito em que Temer e outros acusados são investigados pela PF, os “indícios são muito frágeis”, sugerindo que o inquérito “poderia até concluir que não houve crime”, Segovia vinha sofrendo críticas e sendo alvo de questionamentos.

Ontem, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso uma medida judicial para que Segovia se abstivesse de “qualquer ato de ingerência sobre a persecução penal em curso”.

Fotos: Agência Brasil

Câmara conta com apoio da PF na fiscalização de concurso

segunda-feira, janeiro 22nd, 2018

A segurança do processo seletivo da Câmara Municipal de Salvador (CMS) vai ser reforçada pela Polícia Federal (PF). Na manhã desta segunda-feira, dia 22/1, o presidente da Casa, vereador Leo Prates (DEM), entregou ao superintendente da PF na Bahia, Daniel Justo Madruga, a relação dos candidatos inscritos no certame para a identificação de suspeitos de fraudes e vendas de gabarito em outros concursos.

O acompanhamento foi solicitado pela CMS antes do lançamento do edital da prova que vai selecionar 60 novos servidores para o Legislativo Municipal. “A gente vem fazendo ao longo do processo seletivo um trabalho preventivo, tanto na reformulação das leis para garantir a cota de 30% para negros, quanto agora junto com a PF, identificando possíveis fraudadores. Queremos realizar um concurso com a maior lisura possível, para garantir que os mais preparados sejam aprovados”, afirmou Prates.

As inscrições para o concurso da CMS foram encerradas no dia 10 de janeiro. As provas serão realizadas no dia 25 de fevereiro. Os salários são de R$ 2.995,44 (nível médio) e R$ 4.171,35 (nível superior), além de benefícios como auxílios educação, saúde e alimentação. São 26 vagas para nível médio e 34 para nível superior com homologação prevista para maio. Há ainda o cadastro reserva de 100 vagas. O concurso tem validade de dois anos, podendo ser renovado por igual período.

Foto: Reginaldo Ipê

Operação em combate ao tráfico de drogas

terça-feira, dezembro 12th, 2017

A Polícia Federal, a Polícia Civil e a Polícia Militar deflagram, na manhã desta terça-feira, 12/12, a segunda fase da Operação Última Estação, que visa coibir os crimes tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e outros decorrentes da atuação de integrantes de facção criminosa baiana.

Na primeira fase da operação, em setembro deste ano, foram cumpridas buscas, apreendidos bens e bloqueados mais de 40 mil reais auferidos ilicitamente pelo traficante Marreno, morto pouco mais de um mês antes, em Salvador, em confronto com policiais militares.

De acordo com com a PF, com a continuidade das investigações, foi identificado que outros integrantes da organização criminosa agiam da mesma forma, ou seja, lavavam o dinheiro oriundo do tráfico de drogas fazendo-o circular em contas bancárias de terceiros ou abertas com identidades falsas e adquiriam imóveis e outros bens em nome de interpostas pessoas.

Ainda conforme a PF, ações realizadas no transcorrer das investigações já resultaram na prisão de seis integrantes da quadrilha, sendo apreendidos cerca de 40 Kg de maconha, cinco fuzis, uma pistola de calibre restrito, recuperados três veículos roubados e apreendidos outros três veículos dos criminosos.

Nesta terça estão sendo cumpridos mais 11 mandados de prisão preventiva, seis de condução coercitiva e 19 de busca e apreensão nas cidades de Salvador, Porto Seguro, Alagoinhas, Dias D’Ávila, Camaçari e Serrinha, na Bahia; além de Aracajú, em Sergipe; Maceió, em Alagoas; e Goiânia, em Goiás. Também estão sendo cumpridas 22 medidas de bloqueio de contas bancárias utilizadas pelos investigados. Cerca de 150 policiais das Polícias Federal, Civil e Militar participam da operação.

Foto: Divulgação PF

Filhos do senador Romero Jucá são alvos de operação da Polícia Federal

quinta-feira, setembro 28th, 2017

Êta. Filhos do senador Romero Jucá (PMDB-RR) são alvos de operação conjunta da  Polícia Federal de Roraima e da Receita Federal. A operação é batizada de Anel de Giges, uma referência a uma lenda da obra do filósofo grego Platão que trata de ganância e cobiça, a operação foi deflagrada nas primeiras horas desta quinta-feira, dia 28/9, e tem com objetivo, investigar organização criminosa acusada de peculato, lavagem de dinheiro e desvios de dinheiro público.

À imprensa nacional, a PF informou que estão sendo cumpridos 17 mandados judiciais expedidos pela Justiça Federal de Roraima, sendo nove mandados de busca e apreensão e oito mandados de condução coercitiva em Boa Vista, Brasília e Belo Horizonte. Fonte R7

 

 

 

Foto: Divulgação

 

 

 

 

 

 

PF faz operação e prende irmã, filho e braço direito de Fernandinho Beira-Mar

quarta-feira, maio 24th, 2017

Pra cima deles. Desde cedinho, às 6h desta quarta-feira, dia 24/5, que  a Polícia Federal, cumpre mandados de prisão em cinco estados e no Distrito Federal contra a quadrilha do traficante Fernandinho Beira-mar. Logo depois do início da operação, os agentes chegaram em um condomínio no bairro Vinte e Cinco de Agosto, em Duque de Caxias, no Rio de Janeiro, onde mora Alessandra, irmã de Beira-mar e apontada como sua conselheira. Contra Alessandra tem um mandado de prisão por organização criminosa e lavagem de dinheiro. Até às 6h45 também tinham sido presos um dos filhos do criminoso e um braço-direito do traficante.

Depois de um ano e meio de investigações, a PF descobriu que Beira-mar, preso na Penitenciária Federal de Porto Velho, capital do Estado de Rondônia, diversificou os negócios: os lucros agora vão além do tráfico de drogas. O criminoso fatura R$ 1 milhão por mês com máquinas de caça-níquel, venda de botijões de gás, cesta básica, mototáxi, venda de cigarros e até com o abastecimento de água.
Foto: Reprodução

Garotinho é preso pela Polícia Federal

quarta-feira, novembro 16th, 2016

001-367

Vixe. A Polícia Federal prendeu o ex-governador do Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, na manhã desta quarta-feira, dia 16/11, no apartamento em que ele mora, no bairro do Flamengo, no Rio de Janeiro.

O secretário de Governo de Campos e ex-governador do Rio de Janeiro é investigado pela Operação Chequinho, que apura a compra de votos durante a eleição do dia 2 de outubro. O mandado de prisão foi expedido pelo juiz Glaucenir Silva de Oliveira.
Foto: Reprodução

 

Passageiras de vôo internacional são presas tentando embarbar com cocaína diluída

sexta-feira, setembro 23rd, 2016

1474631686598

A Polícia Federal prendeu, na noite desta quinta-feira (22), duas brasileiras tentando embarcar para Lisboa com cocaína diluída em garrafas de cachaça e frascos de shampoo.

Segundoa Polícia Federal, durante uma fiscalização de rotina, agentes do Grupo de Combate ao Tráfico de Drogas no Aeroporto suspeitaram de uma substancia contida em garrafas e frascos que estavam sendo transportadas nas malas das passageiras. No próprio aeroporto, após a realização de exames preliminares, a substância foi identificada como cocaína. As mulheres de 20 e 21 anos de idade foram presas em flagrante e encaminhadas ao presídio local, onde permanecerão à disposição da Justiça Federal, respondendo pelo crime de tráfico internacional de drogas.

Ex-presidente da OAS é conduzido pela Lava Jato, diz PF

segunda-feira, setembro 5th, 2016

pf-e1469542059864-250x219

Na cadeia. José Aldemário Pinheiro, conhecido como Léo Pinheiro, ex-presidente da OAS, foi conduzido coercitivamente pela Operação Lava Jato na manhã desta segunda-feira, dia 5/9, em São Paulo. Para Sérgio Moro, juiz federal, há provas de que o empresário agiu para obstruir as investigações. Léo Pinheiro será levado de carro para a Superintendência da PF, em Curitiba.

O empresário estava em liberdade provisória e foi alvo de um mandado de condução coercitiva, também nesta segunda, na Operação Greenfield, que investiga irregularidades nos principais fundos de pensão do país.

 

Foto: Reprodução

Dez presos na “Operação Boca Livre” são liberados, segundo PF

segunda-feira, julho 4th, 2016

pf

Dos 14 presos na Operação Boca Livre que estavam cumprindo prisão temporária determinada pela 3ª Vara Criminal de São Paulo, 10 terminaram soltos na madrugada de domingo, dia 3/7, conforme a Polícia Federal. Nomes deles não foram divulgados.

Ainda conforme a PF, apenas os três principais alvos da operação continuarão presos, porque tiveram o pedido de conversão da prisão temporária em preventiva autorizada pela Justiça. Quanto aos demais, foram ouvidos e não houve pedido de prorrogação da prisão temporária. Por isso, estão liberados.

Eles estavam detidos desde o dia 28/6, quando a Polícia Federal realizou operação que apura desvios de recursos federais em projetos culturais com benefícios de isenção fiscal previstos na Lei Rouanet. Fonte: G1

 

Foto: Divulgação

Carlinhos Cachoeira e empresários são levados para presídio

sexta-feira, julho 1st, 2016

image

Vixe. Carlos Augusto Ramos, também conhecido como Carlinhos Cachoeira, o ex-diretor da empresa Delta no Centro-Oeste, e outro empresário estão presos no Sistema Penitenciário do Rio de Janeiro, desde a noite de quinta-feira, dia 30/6.

Conforme a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), eles chegaram no Presídio Ary Franco, Zona Norte do Rio, à noite. Antes do encaminhamento, nesta quinta-feira, os três foram ouvidos na sede da Polícia Federal, onde chegaram às 5:30 da tarde. Eles foram presos pela manhã na Operação Saqueador, em Goiânia, e em São Paulo.

 

Foto: Reprodução

Polícia Federal realiza operação em Salvador

quinta-feira, junho 2nd, 2016

650x375_pf-cidade-jardim-predio-operacao-orobo_1640320

Não corre ninguém. A Polícia Federal realiza na manhã desta quinta-feira, dia 2, a “Operação Orobó”, com o cumprimento de oito mandados de busca e apreensão em Salvador, Feira de Santana e Ruy Barbosa, cidades do interior Bahia.

A ação  é um desdobramento da “Operação Águia de Haia”, realizada em julho de 2015. Em Salvador, a PF realiza buscas em edifícios no bairro de Cidade Jardim e na avenida Vasco da Gama.

Com a ação anterior, a Polícia Federal detectou um esquema criminoso de desvio de recursos públicos que causou um prejuízo de mais de R$ 6,6 milhões  aos cofres do município de Ruy Barbosa.

Agora, o objetivo da investigação é localizar e apreender provas da ocultação dos valores desviados, que, suspeita-se, teriam sido utilizados na aquisição de imóveis, veículos e outros bens.

Também estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão em escritórios de dois advogados suspeitos de participar da organização criminosa. A suspeita é que eles teriam agido para atrapalhar o andamento das investigações. Cerca de 30 policiais federais participam da ação.

O nome da operação, Orobó, é uma referência a uma serra que fica próximo ao município de Ruy Barbosa. Os mandados foram expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região.

Fotos: Reprodução/ Record Bahia

*Com informações da Record Bahia

Polícia Federal deflagra 29ª fase da Operação Lava Jato

segunda-feira, maio 23rd, 2016

f_341335

Não corre ninguém. A Polícia Federal deflagrou na madrugada desta segunda-feira,  dia 23,  a 29ª fase da Operação Lava Jato, executada em Brasília, no Rio de Janeiro e Recife.

A  nova fase da operação cumpre dois mandados de prisão temporária, seis mandados de busca e apreensão e um de prisão preventiva, referentes a crimes de formação de quadrilha, lavagem de dinheiro e corrupção passiva a ativa envolvendo verbas desviadas do esquema criminoso revelado no âmbito da Petrobrás.

Segundo a Polícia Federal, um dos investigados é João Cláudio Genu, que foi assessor do ex-deputado federal José Janene, morto em 2010.

“Foi, juntamente com o deputado, denunciado na Ação Penal 470 do STF (Mensalão), acusado de sacar cerca de um milhão e cem mil reais de propinas em espécie das contas da empresa SMP&B Comunicação Ltda., controlada por Marcos Valério Fernandes de Souza, para entrega a parlamentares federais do Partido Progressista, no escândalo criminal conhecido vulgarmente por “Mensalão”, afirmou a PF em nota.

A operação foi batizada de Repescagem justamente porque o ex-assessor, o principal investigado desta fase, já foi processado no mensalão.

Foto: Reprodução

Polícia Federal realiza operação ligada a Lula

sexta-feira, maio 20th, 2016

Carro da Polícia Federal visto no Rio de Janeiro.     28/07/2015        REUTERS/Sergio Moraes

Não corre ninguém. A Polícia Federal cumpre nesta sexta-feira, dia 20, mandados de busca e apreensão e de condução coercitiva em um inquérito que envolve o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, por suspeita de tráfico de influência envolvendo contratos de empreiteiras.

A operação foi batizada de Janus, o deus romano de duas faces. A ação não faz parte da Lava Jato e todas as medidas são cumpridas em Santos, no litoral paulista: 4 mandados de busca e apreensão, 2 de condução coercitiva e 5 intimações.

O ex-presidente pelo PT não é alvo de nenhuma medida, mas pessoas ligadas a ele são investigadas.

Segundo a colunista Mônica Bergamo, um dos alvos da operação seria o sobrinho de Lula, que é filho do irmão da primeira mulher do petista.

No foco da apuração estão contratos da Odebrecht firmados entre 2012 e 2015 com uma pequena empresa da construção civil de Santos, contratada para executar obras em Angola, com suspeita de tráfico de influência de Lula.

Uma outra empresa, de um ex-agente público, teria sido usada para pagar propina nesta operação.

A Operação Janus também analisa a possibilidade da Odebrecht ter pago propina para obter empréstimo do BNDES, entre 2011 e 2014.

De acordo com a PF, o nome Janus foi escolhido para simbolizar que o trabalho policial está atento ao passado e também ao futuro, cobrindo todos os lados das investigações. São investigados hoje os crimes de tráfico de influência, corrupção e lavagem de dinheiro.

Foto: Reprodução

PRF em Paulo Afonso apreende 15 quilos de crack em operação conjunta com a PF

quarta-feira, maio 4th, 2016

13177325_1184889574868800_1461440142865429769_n (3)

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) em Paulo Afonso, em parceria com a Polícia Federal (PF), realizou a apreensão de 15kg de crack que estavam sendo transportados em um veículo que seguia para os demais estados da região Nordeste.

A abordagem aconteceu já no município alagoano de Delmiro Gouveia, na terça-feira, dia 3/5, próximo à ponte metálica, no KM 1 da BR 110. Por volta do meio-dia, em um dos veículos abordados, um FIAT/LINEA, a equipe procedeu à verificação minuciosa, momento em que foi encontrado o carregamento da droga acondicionada em pacotes envolvidos em plástico.

Após constatarem o ilícito, os PRF’s deram voz de prisão em flagrante ao condutor do veículo por tráfico de drogas. O homem, a droga e o carro foram conduzidos até Maceió, capital do estado vizinho, onde foram realizados os demais procedimentos criminais pela Polícia Judiciária.

 

Foto/fonte: PRF/BA

Polícia Federal realiza 27ª fase da Operação Lava Jato

sexta-feira, abril 1st, 2016

Olha aí. A Polícia Federal (PF ) realiza nesta sexta-feira, dia 1º,  a 27ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Carbono 14, referência à investigação de fatos antigos. A ação tem como foco um esquema de lavagem de dinheiro por parte do Banco Schahin, que teria gerado prejuízos para a Petrobras. O banco, aliás, teria pagado propina até 2002 ao empresário José Carlos Bumlai.

De acordo com a PF, R$ 12 milhões foram solicitados por Bumlai à instituição. Desse valor, R$ 6 milhões foram enviados para o empresário Ronan Maria Pinto, um dos alvos da operação, que teria usado parte do dinheiro para comprar o jornal Diário do Grande ABC.

Viaturas da PF foram vistas na sede do jornal, em Santo André-SP.

Além de Ronan, outro alvo principal da operação é o ex-secretario-geral do PT Silvio Pereira. Ambos tiveram a prisão pedida pela força-tarefa.

Já o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares e o jornalista Breno Altman, colaborador do siteBrasil 247 e diretor do Portal Opera Mundi, foram levados para depor coercitivamente.

Os policiais cumprem 12 mandados: 2 de prisão temporária, 8 de busca e apreensão e 2 de condução coercitiva. A ação acontece nas cidades paulistas de Carapicuíba, Osasco, Santo André, além da capital, segundo as primeiras informações.

Foto: Reprodução/Rádio Bandeirantes

Foto: Reprodução

PF indicia marqueteiro do PT por suspeita de lavagem de dinheiro

quarta-feira, março 23rd, 2016

João Santana está preso desde o mês passadp / Reprodução/Facebook BandNews FM

Êta. A Polícia Federal indiciou o marqueteiro do PT, João Santana, a mulher dele, Mônica Moura, e mais seis pessoas investigadas na 23ª fase da Operação Lava Jato, chamada de Acarajé.

O indiciamento está no relatório parcial apresentado no processo que tramita na Justiça Federal de Curitiba.

Para a Polícia Federal, há indícios de que o casal João Santana e Mônica Moura, que está preso desde o mês passado, tenham cometido crimes relacionados à ocultação de depósitos no exterior, lavagem de dinheiro, corrupção passiva e organização criminosa.

Eles são suspeitos de ter recebido US$ 3 milhões de offshores ligadas à Odebrecht, entre 2012 e 2013, e US$ 4,5 milhões por meio de empresas do engenheiro e operador financeiro Zwi Skornicki, entre 2013 e 2014.

Zwi Skornicki também foi indiciado pela Polícia Federal. Agora, cabe ao Ministério Público decidir se oferece ou não denúncia aos investigados.

Foto: Reprodução/Facebook

Polícia Federal libera documento que mostra ligação entre Lula e Dilma

quarta-feira, março 16th, 2016

Olha a bomba. O juiz Sérgio Moro retirou nesta quarta-feira, dia 16, o sigilo de interceptações telefônicas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. As conversas gravadas pela Polícia Federal incluem diálogo desta quarta, dia 16, com a presidente Dilma Rousseff, que o nomeou como ministro chefe da Casa Civil.

No despacho em que libera as gravações, Moro afirma que, “pelo teor dos diálogos degravados, constata-se que o ex-Presidente já sabia ou pelo menos desconfiava de que estaria sendo interceptado pela Polícia Federal, comprometendo a espontaneidade e a credibilidade de diversos dos diálogos”.

Moro afirma, ainda, que alguns diálogos sugerem que Lula já sabia das buscas feitas pela 24ª fase da Operação Lava Jato no início do mês.

Conversa com Dilma

– Dilma: Alô

– Lula: Alô

– Dilma: Lula, deixa eu te falar uma coisa.

– Lula: Fala, querida. Ahn

– Dilma: Seguinte, eu tô mandando o ‘Bessias’ junto com o papel pra gente ter ele, e só usa em caso de necessidade, que é o termo de posse, tá?!

– Lula: Uhum. Tá bom, tá bom.

– Dilma: Só isso, você espera aí que ele tá indo aí.

– Lula: Tá bom, eu tô aqui, fico aguardando.

– Dilma: Tá?!

– Lula: Tá bom.

– Dilma: Tchau.

– Lula: Tchau, querida.

 

Ouça:

Influência

O juiz diz que algumas em algumas conversas se fala, aparenetemente, “em tentar influenciar ou obter auxílio de autoridades do Ministério Público ou da Magistratura em favor do ex-Presidente”. Moro ressalta, porém, que não há nenhum indício nas conversas, ou fora delas, de que as pessoas citadas tentaram, de fato, agido “de forma inapropriada”.

“Em alguns casos, sequer há informação se a intenção em influenciar ou obter intervenção chegou a ser efetivada”, observa o juiz.

Um dos casos citados por Moro faz referência à Ministra Rosa Weber do Supremo Tribunal Federal (STF), “provalvemente para obtenção de decisão favorável ao ex-Presidente na ACO 2822”. Na ocasião, Weber negou pedido apresentado pela defesa do ex-presidente para suspender duas investigações sobre um triplex em Guarujá (SP) e um sítio em Atibaia (SP) ligados a ele.

“A eminente Magistrada, além de conhecida por sua extrema honradez e retidão, denegou os pleitos da Defesa do ex-Presidente”, afirmou Moro.

Outro ministro que também aparece nos diálogos é Ricardo Lewandowski. “Há diálogo que sugere tentativa de se obter alguma intervenção do Exmo. Ministro Ricardo Lewandowski contra imaginária prisão do ex-Presidente, mas sequer o interlocutor logrou obter do referido Magistrado qualquer acesso nesse sentido”, consignou o juiz.

Moro afirma também que há menção ao recém nomeado Ministro da Justiça Eugênio Aragão, sobre quem Lula diz que “parece nosso amigo”, mas de quem reclama porque “este não teria prestado qualquer auxílo”.

O juiz registra no despacho que registrou essas referências “apenas para deixar claro que as aparentes declarações pelos interlocutores em obter auxílio ou influenciar membro do Ministério Público ou da Magistratura não significa que esses últimos tenham qualquer participação nos ilícitos”. Para Moro, porém, isso “não torna menos reprovável a intenção ou as tentativas de solicitação”.

Envio ao STF

Ao fim do despacho, Moro informa que, diante da notícia de que Lula aceitou convite para ocupar o cargo de ministro chefe da Casa Civil, as investigações serão enviadas ao Supremo Tribunal Federal. O material deve ser enviado após a posse, que está marcada para terça-feira (22).

 

 

 

Fonte: G1

Foto: Reprodução