Posts Tagged ‘FRAUDES’

Polícia combate grupo criminoso que fraudava planos de saúde

quarta-feira, novembro 27th, 2019

Uma organização criminosa especializada em fraudar planos de saúde coletivo e por adesão é alvo esta manhã da Operação Esculápio, deflagrada pela Polícia Civil do Distrito Federal (DF) em conjunto com o Ministério Público do DF.

Os investigados ligavam as vítimas a planos empresariais e fraudavam dados como idade, vinculação à empresa e atestado de saúde. “As propostas falsas eram aceitas pelas seguradoras e os clientes começavam a pagar as mensalidades, acreditando estar cobertos”.

Os envolvidos são empresários e corretoras de seguro. Eles vendiam planos de saúde a pessoas vulneráveis, que, normalmente são recusadas pelas seguradoras por causa da idade avançada ou pela frágil condição de saúde.

Os policiais estão cumprindo desde as primeiras horas desta quarta-feira (27) sete mandados de busca e apreensão no DF e quatro no Rio de Janeiro. Segundo o MP, mais de 100 vítimas da organização criminosa foram identificadas.

Esculápio, que dá nome a operação policial, é o deus da cura na mitologia grega. Fonte: Agência Brasil

Foto: Ilustrativa

PF desarticula quadrilha de estelionatários na Bahia

quinta-feira, setembro 19th, 2019

A Polícia Federal, em ação conjunta com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, integrantes da força-tarefa previdenciária, deflagra, na manhã desta quinta-feira, dia 19/9, a Operação Lama Preta, que visa desarticular organização criminosa atuante no Estado da Bahia, voltada à pratica de fraudes diversas, em especial em desfavor do Instituto Nacional do Seguro Social – INSS.

Conforme apurado, o grupo criminoso, formado por estelionatários contumazes, atuava em diversas fraudes, tais como a criação de segurados fictícios para recebimento de benefícios, a falsificação de documentos, a transferência de benefícios, fraudes bancárias, etc.

As investigações tiveram início a partir da constatação feita pela inteligência previdenciária de indícios de falsidade em diversos benefícios assistenciais requeridos em agências baianas do INSS, para os quais era utilizado sempre um mesmo endereço, situado no bairro da Lama Preta, município de Camaçari/BA (daí o nome da Operação).

Estão sendo cumpridos 23 mandados judiciais, sendo 12 de prisão preventiva e 11 de busca e apreensão, em Salvador e outras cidades da região metropolitana, dentre as quais Lauro de Freitas, Camaçari e Dias D’Ávila.

O prejuízo estimado aos cofres púbicos supera os quatro milhões de reais, relativos a pelo menos 100 benefícios com suspeita de fraude, números estes que, com o avançar das investigações, poderão se revelar muito superiores.

Os envolvidos responderão por diversos crimes, dentre eles integrar organização criminosa, estelionato previdenciário, uso de documento falso, falsidade ideológica e falsificação de documento público, com penas que, se somadas, podem chegar a mais de 30 anos de prisão. Fonte: Comunicação Social Polícia Federal

Foto: Ilustrativa

Bahia: Três prefeituras são suspeitas de fraudes de 200 milhões em licitações

terça-feira, novembro 7th, 2017

PF em ação. Eunápolis, Santa Cruz Cabrália e Porto Seguro, Cidades do Extremo-Sul da Bahia, são alvo na manhã desta terça-feira, dia 7/11, de uma operação da Polícia Federal (PF) que tem como foco, a investigação de contratos fraudados em valores de aproximadamente R$ 200 milhões. Conforme a Polícia Federal, a operação que foi batizada de Fraternos, tem o objetivo de ‘desarticular organização criminosa criada por prefeitos parentes entre si, responsáveis por fraudar licitações nas prefeituras’.

Os prefeitos José Robério Batista de Oliveira (PSD), de Eunápolis, Claudia Oliveira (PSD), de Porto Seguro, e Agnelo Santos (PSD), de Santa Cruz Cabrália, terminaram sendo afastados dos cargos por ordem da Justiça Federal e são alvos de mandados de condução coercitiva – quando são levados para prestar depoimento. O Hora do Bico tentou contato com a Prefeituras, mas não foi atendido. A PF chegou a pedir a prisão dos três prefeitos, porém o Tribunal Regional Federal da 1ª Região negou.

 

 

Foto: Reprodução