Posts Tagged ‘Geddel Vieira Lima’

Geddel Vieira Lima consegue prisão domiciliar

quarta-feira, julho 15th, 2020

O ministro Dias Toffoli, presidente do Supremo Tribunal Federal, concedeu prisão domiciliar ao político Geddel Vieira Lima. 

Toffoli argumenta na decisão, que a medida tem como objetivo manter a “integridade física e psíquica” de Geddel, por conta do coronavírus. O ministro determina ainda monitoramento por tornozeleira eletrônica.  

Geddel foi preso no dia 3 de julho de 2017, na capital baiana. Ele foi enviado ao Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília, onde ficou até dezembro de 2019, quando foi transferido para presídio em Salvador. 

Leia a íntegra da decisão: 

O demonstrado agravamento do estado geral de saúde do requerente, com risco real de morte reconhecido , justifica a adoção de medida de urgência para preservar a sua integridade física e psíquica , frente à dignidade da pessoa humana (CF, art. 1°, III). Por essas razões, à luz do princípio do poder geral de cautela, defiro o requerimento da defesa, convertendo-se a execução da pena do paciente em prisão domiciliar humanitária com monitoração eletrônica, pelo período de duração da Recomendação nº 62 do CNJ, renovada por mais 90 (noventa dias), em sessão plenária daquele Conselho, ocorrida em 12/6/2020. Ressalvo que essa decisão excepcional não prejudica posterior reexame do juiz natural da causa, o ilustre Ministro Edson Fachin, inclusive quanto ao período de duração da prisão domiciliar humanitária . Comuniquem-se, com urgência , pelo meio mais expedito, ao Juízo da 2ª Vara de Execução Penal da Comarca de Salvador e à Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização estadual para que disponibilize de imediato o equipamento de monitoração eletrônica. Até que se efetive as comunicações pelos meios formais, serve a presente decisão como mandado.

Fotografia: Reprodução

Segundo teste de Geddel Vieira Lima dá negativo para coronavírus

domingo, julho 12th, 2020

Êta. O segundo exame de contraprova do ex-ministro Geddel Vieira Lima, 61 anos, realizado através do teste swab nasal, apontou negativo para coronavírus. Ele tinha testado positivo na quarta-feira 8/7, depois de realizar o teste rápido. Geddel está preso no Complexo Penitenciário de Salvador, desde dezembro de 2019, quando foi transferido do Presídio da Papuda, em Brasília. 

O resultado foi divulgado pelo secretário Nestor Duarte, da Secretaria de Administração Penitenciária e Ressocialização da Bahia (Seap) na tarde de sábado 11/7.

Fotografia: Reprodução

Geddel Vieira Lima testa positivo para o coronavírus dentro do presídio

quarta-feira, julho 8th, 2020

Êta. O ex-ministro Geddel Vieira Lima testou positivo para o coronavírus nesta quarta-feira 8/7. O exame foi feito no Complexo Penitenciário da Mara Escura, onde está sob custódia.

A informação foi divulgada a imprensa pela família do ex-gestor. Geddel está tentando obter progressão para regime domiciliar no Supremo Tribunal Federal (STF).

O parlamentar foi preso em setembro de 2018, após a descoberta de bunker com R$ 51 milhões em Salvador, e foi condenado em outubro de 2019. Geddel cumpre pena provisória.

Fotografia: Agência Brasil

Geddel pode ser solto

terça-feira, fevereiro 4th, 2020

A Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou na segunda-feira 3/2, ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer favorável à concessão do regime de prisão semiaberta ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, que está preso desde julho de 2017.

Em outubro do ano passado, Geddel foi condenado pela Segunda Turma do STF a 14 anos e 10 meses de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa na ação penal do caso relacionado aos R$ 51 milhões em espécie encontrados pela Polícia Federal (PF) em um apartamento localizado em Salvador.

O parecer da PGR, assinado pela subprocuradora Lindôra Araujo, foi motivado por um pedido da defesa do ex-ministro ao Supremo. Segundo os advogados, Geddel pode passar para o regime semiaberto, no qual o preso é autorizado a sair durante o dia para trabalhar e retorna ao presídio à noite.

Segundo a procuradora, o ex-ministro preenche os requisitos legais e tem direito à progressão de pena. “O réu foi condenado nesta ação penal a 14 anos e 10 meses de reclusão, em regime inicial fechado, bem como ao pagamento de 106 dias-multa. Desse modo, deve cumprir 29 meses e 18 dias para fazer jus ao beneficio pleiteado. Considerando que a prisão preventiva foi implementada em 03/07/2017, o requisito objetivo foi satisfeito”. disse Lindôra.

A decisão caberá ao relator do caso, ministro Edson Fachin. 

Foto/Fonte: Agência Brasil

Fazenda dos irmãos Vieira Lima é invadida

terça-feira, agosto 6th, 2019

Êta. A Fazenda Esmeralda, localizada na Zona Rural da Cidade de Itapetinga, Sudoeste da Bahia, que segundo vizinhos, pertence aos irmãos Vieira Lima, voltou a ser invadida na segunda-feira, dia 5/8, por índios.

A ocupação foi feita por pelo menos 30 integrantes das etnias Kamakãs e Imborés. Trata-se da terceira invasão da propriedade rural.

O ex-deputado federal Lúcio Vieira Lima confirmou à imprensa que aconteceu a invasão e disse que o assunto está sendo tratado pelos advogados.

Foto: Reprodução/Redes Sociais

Polícia apreende barras de chocolate em cela de Geddel

segunda-feira, junho 18th, 2018

Viu aí? A Polícia Civil do Distrito Federal apreendeu, no domingo 17/6, barras de chocolate e anotações na cela que abriga o ex-ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima (MDB). O político baiano está preso no Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília.

A Polícia informou que as buscas ocorreram após denúncia de um detento, de que os políticos estariam receberiam “regalias” na prisão.

O advogado de Geddel Vieira Lima, Gammil Föppel, disse à TV Globo que “estranha, mais uma vez, a defesa técnica não saber da operação antes da imprensa”. A defesa de Luiz Estevão também disse desconhecer as buscas, e não quis se pronunciar.

 

 

 

 

 

Foto: Reprodução

Polícia Federal confirma que Geddel esteve em local de entrega de propina

quarta-feira, junho 13th, 2018

Geddel Vieira Lima (MDB), ex-ministro, esteve no mesmo local em que o operador de propina do MDB, Lúcio Funaro, disse ter entregue propina, de acordo com o G1.

A confirmação foi feita depois que o celular do ex-ministro foi rastreado por antena de telefonia móvel no local, nas datas e nos horários em que o doleiro dizia ter levado malas de dinheiro ao baiano.

Segundo a Polícia Federal, Geddel estava nas proximidades do aeroporto de Salvador onde, de acordo com Funaro, havia um hangar usado pelo emedebista para receber o dinheiro. O rastreamento foi um dos motivos que levaram a a PF a indiciar ex-ministro por corrupção na Operação Cui Bono, que investiga fraudes na liberação de empréstimos da Caixa Econômica Federal.

Os investigadores descobriram a localização de Geddel porque ele usou o celular para fazer ligações, boa parte delas para o deputado cassado Eduardo Cunha (MDB-RJ), que usava Funaro como operador de propinas, segundo as investigações.

A revelação está no relatório da Operação Cui Bono remetido na semana passada à Justiça Federal em Brasília, ao qual a TV Globo teve acesso.

 

 

 

Foto: Reprodução

Geddel é flagrado na Papuda com remédios que ‘alteram comportamento’

sábado, abril 28th, 2018

Oxente. O ex-ministro Geddel Vieira Lima (MDB-BA) foi pego com remédios sem prescrição nem autorização dentro do Complexo Penitenciário da Papuda, em Brasília. De acordo com do jornal O Estado de São Paulo, a Justiça do Distrito Federal abriu um procedimento para investigar como Geddel conseguiu os medicamentos e os efeitos que teriam se fossem ingeridos de uma só vez.

Ainda segundo a publicação, um psiquiatra e duas assistentes sociais da equipe da Papuda relataram à chefia da unidade prisional alterações no comportamento do emedebista. Geddel “estaria se portando de maneira estranha em razão de estar sob efeito de alguns remédios”, diz trecho da ocorrência, obtida pela reportagem. Na segunda-feira, Geddel recusou-se a passar por um exame pericial de emergência determinado pela Vara de Execuções Penais do Distrito Federal. Ele foi levado à Seção de Piscopatologia do Instituto de Medicina Legal, mas disse ter “expressa determinação de sua defesa técnica” contrária ao exame, conforme relato da escolta.

Numa vistoria na cela de Geddel na Ala dos Vulneráveis do Centro de Detenção Provisória, agentes penitenciários apreenderam centenas de comprimidos dos medicamentos antidepressivos, contra insônia, tranquilizantes, analgésicos e para tratamento gástrico, além de uma pomada e receita médica.

“A situação é grave, na medida em que não se apurou se o custodiado (Geddel) chegou a ingerir os medicamentos apreendidos que estavam sem prescrição médica e com que frequência”, disse a juíza Leila Cury, da Vara de Execuções Penais, em decisão.

A magistrada quer saber “se é recomendado o uso concomitante dos medicamentos” e os “efeitos causados pelas substâncias apreendidas, se ingeridas em sua totalidade”. “As regras estabelecidas para o recebimento de medicamentos são extremamente rigorosas em razão da necessidade de se resguardar a integridade física das pessoas privadas de liberdade, que estão sob a custódia e responsabilidade do Estado”, escreveu ela.

 

 

Fonte: Folhapress

Foto: Reprodução

Exclusivo: Bruno Reis diz que “situação de Geddel é da polícia e da justiça”

sexta-feira, outubro 27th, 2017

Botou tempero. O vice-prefeito de Salvador, Bruno Reis (PMDB), concedeu entrevista exclusiva ao site Hora do Bico e falou da prisão de Geddel Vieira Lima. Para ele, “a situação de Geddel e de Gustavo Ferraz é da polícia e da justiça”, disse.

Confira a entrevista na íntegra:

Raquel Dodge diz que Geddel atuou como “líder de organização criminosa”

sexta-feira, outubro 20th, 2017

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, disse ao Supremo Tribunal Federal (STF) que o ex-ministro Geddel Vieira Lima assumiu papel “líder de organização criminosa” em referência aos R$ 51 milhões apreendidos pela Polícia Federal (PF) em um apartamento em Salvador, valor atribuído ao ex-ministro.

A manifestação da procuradora foi feita antes da decisão do ministro Edson Fachin, que manteve hoje (19) a prisão de Geddel, mas concedeu prisão domiciliar a dois investigados ligados a ele. O processo estava em segredo de Justiça, mas foi divulgado nesta quinta-feira. Segundo a procuradora, o valor encontrado no apartamento pode ser apenas “uma fração de um todo, ainda maior e de paradeiro ainda desconhecido”.

“A liberdade provisória ou a prisão domiciliar, pretendidas por Geddel Vieira Lima são absolutamente incompatíveis com os critérios legais para eficiência da persecução penal, que visam garantir o interesse público, acautelando o meio social e garantindo diretamente a ordem pública. Mesmo em crimes de colarinho branco, são cabíveis medidas cautelares penais com a finalidade de acautelar o meio social, notadamente porque a posição assumida por Geddel parece ter sido a de líder da organização criminosa”, argumentou a procuradora.

Geddel foi preso no dia 8 de setembro, três dias depois que a PF encontrou o dinheiro no apartamento de um amigo do político. Os valores apreendidos foram depositados em conta judicial

Segundo a Polícia Federal, parte do dinheiro seria resultante de um esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa Econômica Federal no período entre 2011 e 2013, quando Geddel era vice-presidente de Pessoa Jurídica do banco.

Agência Brasil entrou em contato com a defesa de Geddel, mas não conseguiu retorno. Agência Brasil

 

Foto: Secom/PGR

Ministro do STF manda soltar Gustavo Ferraz

quinta-feira, outubro 19th, 2017

Ganhou a liberdade. O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), ordenou a soltura do ex-diretor-geral da Defesa Civil de Salvador Gustavo Ferraz, que estava preso desde o dia 8 de setembro com o ex-ministro Geddel Vieira Lima. Ferraz está preso na penitenciária da Papuda, em Brasília.

Em sua decisão, o ministro do STF determinou que Ferraz permaneça em prisão domiciliar, não use telefone ou internet nem exerça qualquer função pública.

 Digitais de Gustavo Ferraz teriam sido encontradas em notas de dinheiro, que foram apreendidas em um apartamento no bairro da Graça em Salvador, ligado a Geddel. Na ocasião, a Polícia Federal encontrou 51 milhões de reais escondidos em malas e caixas de papelão. Segundo a Polícia Federal, o dinheiro pertence ao ex-ministro e é oriundo de propina.
Foto: Divulgação/Secom

Policiais desocupam dez fazendas invadidas na Bahia

terça-feira, outubro 3rd, 2017

 

Das 12 fazendas situadas na região Sudoeste que haviam sido ocupadas, dez foram liberadas após ação conjunta das polícias Militar e Civil, na tarde da segunda-feira, dia 2/10. Em uma propriedade de nome Tabajara foram encontrados dez homens, que disseram fazer parte de uma organização denominada Movimento Livre da terra (MLT). No local foram apreendidos duas espingardas, duas motocicletas e um carro com restrições administrativas. Um homem, ainda não identificado, foi preso em flagrante por assumir ser o dono das armas.

Duas fazendas pertencentes à família de Geddel Vieira Lima continuam ocupadas e com negociações em andamento. Participam das ações na região equipes da 8ª Companhia Independente da Polícia Militar (Itapetinga), Rondas Especiais (Rondesp) Sudoeste e Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Sudoeste e da 21ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Itapetinga).

Criamos um grupo integrado para acompanhar e agir com relação a essas ocupações. Já determinei que aprofundem as investigações para sabermos se existe um grupo coordenando estas ações ou se foram coisas distintas”, explicou o secretário da Segurança Pública, Maurício Teles Barbosa. Acrescentou que as unidades locais da PM e PC receberam reforço. Fonte: Secom

Fotos: Divulgação/SSP-BA

 

STJ nega pedido de liberdade e Gustavo Ferraz continua preso

quarta-feira, setembro 20th, 2017

Continua preso. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou na terça-feira, dia 19/9, o pedido de liberdade impetrado pela defesa do ex-diretor-geral da Defesa Civil de Salvador (Codesal), Gustavo Ferraz (PMDB).

O baiano foi preso, no dia 8/9, com o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), após a Polícia Federal encontrar R$ 51 milhões em um apartamento em Salvador.

Conforme o STJ, a defesa de Ferraz argumentou que a prisão do cliente foi ilegal porque a competência para o caso caberia ao Supremo Tribunal Federal (STF), uma vez que a investigação envolve o deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), irmão de Geddel.

O ministro do STJ, Rogerio Schietti Cruz, analisou o pedido e entendeu que, “embora o inquérito realmente tenha sido remetido ao STF em razão do envolvimento do deputado federal, enquanto não houver pronunciamento da Suprema Corte, o juízo inicialmente competente pode atuar até o limite de sua jurisdição – como foi o caso do decreto de prisão contra Gustavo Ferraz.”

 

 

Foto: Reprodução

Polícia Federal contabiliza mais de R$ 51 milhões em apartamento supostamente ligado a Geddel

quarta-feira, setembro 6th, 2017

Grana em alta. Finalmente terminou na noite desta terça-feira, dia 5/9, a contagem do dinheiro localizado pela Polícia Federal (PF), em um apartamento localizado no bairro da Graça, área nobre de Salvador. O imóvel seria usado pelo ex-ministro Geddel Vieira Lima. O valor total da grana encontrada em caixas e malas, é superior a R$ 51 milhões (R$ 51.030.866,40) – uma parte em dólares. A PF precisou de máquinas e levou o dia inteiro para finalizar a contagem.

A Polícia Federal informou que a quantia localizada representa a maior apreensão de dinheiro vivo já feita pelo órgão.

Fotos: Divulgação/Polícia Federal

PF já contou mais R$ 33 milhões achados em imóvel supostamente usado por Geddel

terça-feira, setembro 5th, 2017

A Polícia Federal já contabilizou mais de R$ 33 milhões no montante encontrado em um apartamento em Salvador supostamente ligado ao ex-ministro Geddel Vieira Lima. A contagem do dinheiro ainda não terminou.

O dinheiro foi encontrado na manhã de hoje (5), durante a Operação Tesouro Perdido – 3ª fase da Operação Cui Bono – em um apartamento no bairro da Graça, área nobre da capital baiana.

Segundo a Justiça Federal, o local era utilizado por Geddel para armazenar dinheiro obtido em crimes relacionados à manipulação de créditos e recursos na Caixa Econômica Federal. Oficialmente, o imóvel pertence a Silvio Silveira, que o teria emprestado a Geddel para guardar, supostamente, pertences do pai do ex-ministro, morto em janeiro do ano passado.

Geddel Vieira Lima cumpre, atualmente, prisão domiciliar no apartamento da família na Barra, outro bairro nobre de Salvador. Como o estado da Bahia não dispõe de tornozeleira eletrônica, o ex-ministro cumpre a pena sem o equipamento de monitoramento. A Secretaria de Administração Penitenciária da Bahia informou à Agência Brasil que o contrato com a empresa fornecedora das tornozeleiras prevê a entrega do equipamento até o próximo dia 20. Agência Brasil

 

 

Fotos: Divulgação/Polícia Federal

Polícia Federal encontra malas de dinheiro em apartamento que seria de Geddel

terça-feira, setembro 5th, 2017

Êta. Em operação realizada nesta terça-feira, dia 5/9, a Polícia Federal encontrou dinheiro em apartamento que supostamente seria utilizado por Geddel Vieira Lima (PMDB-BA) em Salvador. Geddel cumpre prisão domiciliar em Salvador.

De acordo com a PF, a Operação Tesouro Perdido deflagrada nesta terça, dia 5/9, teve como objetivo, cumprir mandado de busca e apreensão emitido pela 10ª Vara Federal de Brasília. Depois de investigações decorrentes de dados coletados nas últimas fases da Operação Cui Bono, a PF chegou a um endereço em Salvador, que seria, usado por Geddel Vieira Lima como “bunker” para armazenagem de dinheiro em espécie.

NOTA DA POLÍCIA FEDERAL 

Brasília/DF – A Polícia federal deflagrou hoje (5), a Operação Tesouro Perdido, com o objetivo de cumprir mandado de busca e apreensão emitido pela 10ª Vara Federal de Brasília.

Após investigações decorrentes de dados coletados nas últimas fases da Operação Cui Bono, a PF chegou a um endereço em Salvador/BA, que seria, supostamente, utilizado por Geddel Vieira Lima como “bunker” para armazenagem de dinheiro em espécie.

Durante as buscas foi encontrada grande quantia de dinheiro em espécie. Os valores apreendidos serão transportados a um banco onde será contabilizado e depositado em conta judicial.

 

 

Fotos: Divulgação/Polícia Federal

 

Justiça concede prisão domiciliar ao ex-ministro Geddel Vieira Lima

quarta-feira, julho 12th, 2017

Nesta quarta-feira, dia 12/7, a Segunda Instância da Justiça Federal em Brasília concedeu prisão domiciliar ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso preventivamente desde o dia 3 de julho. A decisão foi proferida pelo desembargador Ney Bello, motivada por um pedido de liberdade feito pela defesa de Geddel.

O ex-ministro foi preso por determinação do juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal, no Distrito Federal, sob a acusação de tentar obstruir as investigações de supostas irregularidades na liberação de recursos da Caixa Econômica Federal. Informações: Agência Brasil

 

 

Foto: Reprodução

Geddel é transferido para presídio da Papuda

terça-feira, julho 4th, 2017

Preso na tarde de ontem (3) na Bahia e levado para a Superintendência da Polícia Federal (PF) em Brasília no início da madrugada de hoje (4), o ex-ministro Geddel Vieira Lima foi transferido no começo da tarde para o Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal.

Segundo a assessoria da Subsecretaria do Sistema Penitenciário do Distrito Federal, Geddel dividirá a cela com outros nove presos na ala do Centro de Detenção Provisória destinada a detentos com nível superior. Terá direito a duas horas de banho de sol por dia e a receber quatro visitantes às sextas-feiras. Alvo das mesmas investigações que levaram Geddel à prisão, o doleiro Lúcio Bolonha Funaro também está preso na Papuda, mas em outro bloco.

A prisão do político baiano, que ocupou o cargo de ministro nos governos Lula e Temer, além de uma diretoria da Caixa Econômica Federal durante o primeiro governo Dilma, foi pedida pela Polícia Federal e por integrantes da Força-Tarefa da Operação Greenfield. A ação foi originalmente deflagrada em setembro de 2016 para apurar crimes de gestão temerária e fraudulenta cometidos contra alguns dos maiores fundos de pensão do país, entre eles Funcef, Petros, Previ e Postalis.

Posteriormente, a Operação Sepsis, desdobramento da Lava Jato para investigar suposto esquema de pagamento de propina para liberação de recursos do Fundo de Investimentos do FGTS (FI-FGTS) , administrado pela Caixa Econômica Federal, foi vinculada à Operação Greenfield. Já em janeiro de 2017, a PF deflagrou uma outra operação, a Cui Bono, que investiga um suposto esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa entre março de 2011 e dezembro de 2013, período em que Geddel ocupou a vice-presidência de Pessoa Jurídica do banco. Na ocasião, policiais federais cumpriram mandados de busca e apreensão na casa do político, apreendendo diversos documentos.

Ao pedir a prisão de Geddel, cumprida ontem, o Ministério Público Federal (MPF) acusou-o de tentar obstruir a investigação das supostas irregularidades na liberação de recursos da Caixa. De acordo com o MPF, a acusação foi fundamentada em informações fornecidas em depoimentos de Lúcio Funaro, do empresário Joesley Batista e do diretor jurídico do grupo J&F, Francisco de Assis e Silva, sendo os dois últimos em acordo de colaboração premiada.

No pedido de prisão acolhido pela Justiça, os procuradores sustentaram que o ex-ministro estaria tentando evitar que o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e Lúcio Funaro firmassem acordo de colaboração com o MPF. Ainda segundo os procuradores, Geddel estaria atuando para garantir vantagens indevidas aos dois e “monitorando” o comportamento do doleiro de forma a constrangê-lo a não fechar o acordo. Os procuradores reproduziram mensagens que Geddel enviou à mulher de Funaro entre os meses de maio e junho. As mensagens, segundo o MPF, foram entregues às autoridades pelo próprio Funaro.

Defesa

A defesa de Geddel definiu como “absolutamente desnecessário” a prisão preventiva do político. Em nota enviada à imprensa, o advogado Gamil Föppel disse que há “ausência de relevantes informações” para basear a decisão e definiu como “erro” da Justiça Federal a autorização para a prisão de Geddel. Föppel diz que, desde o início das investigações, o ex-ministro se colocou à disposição para prestar esclarecimentos, mas nunca foi intimado pela Justiça. Para a defesa, isso representa uma “preocupação policialesca muito mais voltada às repercussões da investigação para a grande imprensa, do que efetivamente à apuração de todos os fatos”. Conforme Agência Brasil

 

 

Foto: Reprodução

Lúcio Vieira Lima teria ficado contrariado com nomeação de Imbassahy

sexta-feira, dezembro 9th, 2016

lucio2

Olha, aí. Parece que não foi só a forte mobilização ao longo desta quinta-feira, dia 8/12, promovida por deputados do “Centrão”, um dos pilares da base aliada de Temer, que fizeram travar o anúncio do Deputado Federal António Imbassahy (PSDB) ministro de Temer. Outro problema que fez parte de toda parafernália seria a eleição de 2018 na Bahia.

Segundo interlocutores de Temer, o irmão de Geddel Vieira Lima, deputado Lúcio Vieira Lima (PMDB-BA), teria ficado contrariado com a possível nomeação de Imbassahy porque isso credenciaria o tucano a disputar o Senado pela Bahia, o que faria parte das pretensões de Geddel, embora ele negue oficialmente.

Por isso, Temer também passou a cogitar a indicação para a Secretaria de Governo de dois senadores tucanos – José Anibal (SP) e Antonio Anastasia (MG).

Foto: Hora do Bico

Após crise gerada com denúncia de ex-ministro, Geddel pede pra sair do governo

sexta-feira, novembro 25th, 2016

carta-geddel-2

Pediu pra sair. Depois de ser acusado de ter pressionado o ex-titular da Cultura para liberar a construção de um prédio em Salvador, o ministro da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, entregou na manhã desta sexta-feira, dia 25/11, uma carta de demissão ao presidente Michel Temer. Conforme a assessoria do Palácio do Planalto, o presidente Michel Temer aceitou o pedido de Geddel, que era responsável pela articulação política do governo federal com o Congresso Nacional.

 

Foto: Reprodução