Posts Tagged ‘Ex-ministro’

Geddel é transferido para presídio da Papuda

terça-feira, julho 4th, 2017

Preso na tarde de ontem (3) na Bahia e levado para a Superintendência da Polícia Federal (PF) em Brasília no início da madrugada de hoje (4), o ex-ministro Geddel Vieira Lima foi transferido no começo da tarde para o Complexo Penitenciário da Papuda, no Distrito Federal.

Segundo a assessoria da Subsecretaria do Sistema Penitenciário do Distrito Federal, Geddel dividirá a cela com outros nove presos na ala do Centro de Detenção Provisória destinada a detentos com nível superior. Terá direito a duas horas de banho de sol por dia e a receber quatro visitantes às sextas-feiras. Alvo das mesmas investigações que levaram Geddel à prisão, o doleiro Lúcio Bolonha Funaro também está preso na Papuda, mas em outro bloco.

A prisão do político baiano, que ocupou o cargo de ministro nos governos Lula e Temer, além de uma diretoria da Caixa Econômica Federal durante o primeiro governo Dilma, foi pedida pela Polícia Federal e por integrantes da Força-Tarefa da Operação Greenfield. A ação foi originalmente deflagrada em setembro de 2016 para apurar crimes de gestão temerária e fraudulenta cometidos contra alguns dos maiores fundos de pensão do país, entre eles Funcef, Petros, Previ e Postalis.

Posteriormente, a Operação Sepsis, desdobramento da Lava Jato para investigar suposto esquema de pagamento de propina para liberação de recursos do Fundo de Investimentos do FGTS (FI-FGTS) , administrado pela Caixa Econômica Federal, foi vinculada à Operação Greenfield. Já em janeiro de 2017, a PF deflagrou uma outra operação, a Cui Bono, que investiga um suposto esquema de fraude na liberação de créditos da Caixa entre março de 2011 e dezembro de 2013, período em que Geddel ocupou a vice-presidência de Pessoa Jurídica do banco. Na ocasião, policiais federais cumpriram mandados de busca e apreensão na casa do político, apreendendo diversos documentos.

Ao pedir a prisão de Geddel, cumprida ontem, o Ministério Público Federal (MPF) acusou-o de tentar obstruir a investigação das supostas irregularidades na liberação de recursos da Caixa. De acordo com o MPF, a acusação foi fundamentada em informações fornecidas em depoimentos de Lúcio Funaro, do empresário Joesley Batista e do diretor jurídico do grupo J&F, Francisco de Assis e Silva, sendo os dois últimos em acordo de colaboração premiada.

No pedido de prisão acolhido pela Justiça, os procuradores sustentaram que o ex-ministro estaria tentando evitar que o ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, e Lúcio Funaro firmassem acordo de colaboração com o MPF. Ainda segundo os procuradores, Geddel estaria atuando para garantir vantagens indevidas aos dois e “monitorando” o comportamento do doleiro de forma a constrangê-lo a não fechar o acordo. Os procuradores reproduziram mensagens que Geddel enviou à mulher de Funaro entre os meses de maio e junho. As mensagens, segundo o MPF, foram entregues às autoridades pelo próprio Funaro.

Defesa

A defesa de Geddel definiu como “absolutamente desnecessário” a prisão preventiva do político. Em nota enviada à imprensa, o advogado Gamil Föppel disse que há “ausência de relevantes informações” para basear a decisão e definiu como “erro” da Justiça Federal a autorização para a prisão de Geddel. Föppel diz que, desde o início das investigações, o ex-ministro se colocou à disposição para prestar esclarecimentos, mas nunca foi intimado pela Justiça. Para a defesa, isso representa uma “preocupação policialesca muito mais voltada às repercussões da investigação para a grande imprensa, do que efetivamente à apuração de todos os fatos”. Conforme Agência Brasil

 

 

Foto: Reprodução

Polícia Federal prende Henrique Eduardo Alves, ex-presidente da Câmara e ex-ministro

terça-feira, junho 6th, 2017

A Polícia Federal prendeu na manhã desta terça-feira, dia 6/6, o ex-ministro do Turismo e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN).
O mandado de prisão foi expedido pela Justiça Federal do Rio Grande do Norte e é um desdobramento das delações da Odebrecht. Existe também mandado de prisão contra o ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), já preso no em Curitiba, no Paraná.
Foto: Gustavo Lima/Divulgação/Câmara dos Deputados

Supremo manda soltar José Dirceu

terça-feira, maio 2nd, 2017

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira, dia 2/5, soltar o ex-ministro José Dirceu, preso por determinação do juiz federal Sérgio Moro na Operação Lava Jato. Dirceu está preso desde agosto de 2015 no Complexo Médico-Penal, em Pinhais, região metropolitana de Curitiba.

Por 3 votos a 2, a maioria dos ministros aceitou pedido de habeas corpus feito pela defesa de Dirceu e reconheceu que há excesso de prazo na prisão preventiva, que chega a quase dois anos.

Votaram pela libertação os ministros Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski e Gilmar Mendes. O relator, Edson Fachin, e Celso de Mello manifestaram-se pela manutenção da prisão. Agência Brasil

 

 

Foto: Reprodução

Ex-ministro Guido Mantega é preso em nova fase da Operação Lava Jato

quinta-feira, setembro 22nd, 2016

untitled-108

Vixe. O ex-ministro Guido Mantega acabou preso na 34ª fase da Operação Lava Jato nesta quinta-feira, dia 22/9. O advogado do ex-ministro Guido Mantega, afirmou que policiais foram à casa de Guido, para cumprir mandados de busca e apreensão. Ele não soube dizer quais objetos foram apreendidos. “Até agora não cumpriram nenhum outro mandado”, disse. Segundo Batochio, Mantega não estava em casa. O ex-ministro estava no hospital em São Paulo, onde a mulher passa por uma cirurgia.

Conforme a Polícia Federal (PF), a ação foi batizada de Operação Arquivo X. As ordens judiciais estão sendo cumpridas em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Bahia e no Distrito Federal. Foram expedidos 33 mandados de busca e apreensão, oito de prisão temporária e oito de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento.
Foto: Reprodução/EBC

Lava jato: Dirceu é condenado a 23 anos de prisão

quinta-feira, maio 19th, 2016

1863,justica-nega-habeas-corpus-preventivo-de-dirceu-2

Maior pena. O juiz federal Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba, condenou nesta quarta-feira, dia 18, o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu a 23 anos e 3 meses de prisão por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa. Aos 70 anos de idade, Dirceu recebe sua segunda condenação por corrupção. Em 2012 recebeu pena no mensalão. Ele ainda pode recorrer, já que a decisão é de primeira instância.

Dirceu está preso em Curitiba, sede da Lava Jato, desde agosto de 2015. Ele cumpria prisão em regime domiciliar, decorrente da pena no mensalão, quando foi detido pela Polícia Federal acusado de envolvimento no caso Petrobras. Fonte R7

 

Foto: Reprodução

 

Ex-ministro do governo Dilma, Mantega é alvo de condução coercitiva na Zelotes

segunda-feira, maio 9th, 2016

Polícia Federal entrega relatório parcial da Operação Semilla

Vixe. Guido Mantega, ex-ministro da fazenda no governo Dilma, acabou sendo alvo de condução coercitiva (quando a pessoa é levada a depor e depois é liberada) na nova fase da Operação Zelotes, deflagrada nesta segunda-feira, dia 9, pela Polícia Federal.

A condução de Mantega foi autorizada pela Justiça Federal. Investigadores da Zelotes querem apurar a ligação de Mantega com empresa que é suspeita de comprar decisões do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), ligado ao Ministério da Fazenda.

 

Foto: Reprodução

Ex-sócio diz à PF que comprou casa da mãe de Dirceu

quinta-feira, agosto 6th, 2015

Foto: Dida Sampaio

Tá vendo aí? O ex-sócio de José Dirceu na empresa de consultoria JD Asssessoria e Consultoria, Julio César dos Santos, afirmou à Polícia Federal, nesta quarta-feira, dia 5, que comprou e registrou a casa da mãe do ex-ministro, em Passa Quatro (MG), entre 2004 e 2005. Os dois estão presos desde segunda-feira, dia 3, alvos da Operação Pixuleco – 17ª fase da Lava Jato.

A residência de dona Olga Guedes da Silva, de 94 anos, teria sido comprada pelo valor de R$ 250 mil. A aquisição ocorreu durante o período em que Dirceu foi ministro-chefe da Casa Civil no governo Luiz Inácio Lula da Silva.
Para o delegado da Polícia Federal Márcio Adriano Anselmo, que integra a equipe da Lava Jato, o uso do nome de empresa do ex-sócio pode ter sido adotado como forma de ocultar a propriedade do imóvel.

“O Julio alega que comprou em razão de ser amigo pessoal do Dirceu”, disse o delegado.

A prisão temporária de Julio César vence esta semana. Ele foi sócio do ex-ministro na JD Assessoria e Consultoria até 2012. A empresa foi usada pelo ex-ministro, após ele deixar o governo Lula, em 2005, para prestar consultoria e dar palestras. Investigadores da Lava Jato sustentam, porém, que a firma serviu para ocultar propina do esquema de cartel e corrupção na Petrobrás – em oito anos de atividades, a JD faturou R$ 39 milhões, dos quais R$ 21,3 milhões em depósitos mensais e ininterruptos realizados por apenas três grupos empresariais.

Durante o governo Marta Suplicy (PT), na Prefeitura de São Paulo, Julio César dos Santos foi diretor da Anhembi Turismo, atual SP Turis. Trabalhou também com o ex-secretário-geral do PT Silvio Pereira, flagrado no mensalão recebendo um Land Rover de presente de uma empreiteira que mantinha contrato com a Petrobrás.

“O Julio pode ter sido usado para ocultação de patrimônio. São dois terrenos juntos. Tem a casa, que está em nome dele, e uma outra que foi comprada pelo Julio e tinha um contrato de gaveta ali.”

Dirceu já é suspeito de ter recebido imóveis e reformas do lobista Milton Pascowitch, como forma de ocultar propina desviada da Petrobrás. Uma dessas casas está também registrada em nome da TGS Consultoria, empresa do ex-sócio de Dirceu.

Buscas. O delegado afirmou que importante material foi apreendido na casa do irmão e atual sócio de Dirceu na JD, Luiz Eduardo Oliveira e Silva, em Ribeirão Preto.

O irmão de Dirceu, que passou a ser um de seus contatos com o esquema após o ex-ministro ser condenado no Mensalão, está sendo ouvido pela PF na tarde desta quinta-feira, dia 6. Ele foi preso temporariamente na segunda-feira, pela Operação Pixuleco.

Foto/Fonte: Estadão

Preso na Lava Jato, José Dirceu chega a Curitiba

terça-feira, agosto 4th, 2015

Dirceu saiu do Aeroporto de Brasília rumo a Curitiba / Alan Marques/Folhapress

O ex-ministro José Dirceu chegou, por volta das 5h da tarde desta terça-feira, dia 4, a Curitiba, onde se concentram as investigações da Operação Lava Jato. Ele foi preso na segunda-feira em Brasília na 17ª fase da força-tarefa, que apura possíveis irregularidades em negociação entre a Petrobras e a JD Assessoria e Consultoria, empresa do detido.

Outros sete presos pela operação chegaram na capital paranaense na segunda-feira.

José Dirceu foi preso preventivamente na casa dele, em Brasília, na 17ª fase da Lava Jato, suspeito de comandar o esquema de corrupção na Petrobras quando atuava como ministro, de 2003 a 2005, segundo o Ministério Público Federal.

“É evidente que José Dirceu tem um papel importante na indicação de pessoas para a Petrobras. Creio que chegamos a um dos líderes principais, que instituiu o esquema Petrobras e que durante o período como ministro, aceitou que o esquema existisse e se beneficiou do esquema também”, disse o procurador federal Carlos Fernando Lima.

Segundo ele, Dirceu foi beneficiário quando era chefe da Casa Civil. “Queremos mostrar que ele e Fernando Moura [outro preso nesta segunda-feira] foram os agentes responsáveis pela instituição do esquema Petrobras, desde o tempo do governo Lula. Desde aquela época, passando pelo mensalão, pela condenação, pelo período em que ele ficou na prisão. Sempre com pagamentos. Estes são os motivos com os quais está baseada a prisão”, explicou Fernando Lima.

O petista já estava cumprindo prisão domiciliar na capital federal desde o fim do ano passado, devido à condenação no julgamento do mensalão.

Ao lado de Dirceu, Fernando Moura é apontado pela força-tarefa da Lava Jato como um dos principais “líderes” do esquema de corrupção. Foi ele quem levou o nome de Renato Duque a José Dirceu.

De acordo com Fernando Lima, a prisão de Dirceu foi decretada porque ele, apesar de cumprir prisão domiciliar, continuava agindo e recebendo recursos. Além disto, acrescentou o procurador, irmão do ex-ministro, também preso na segunda-feira, esteve em várias empresas investigadas fazendo cobrança de pagamento.

Segundo os órgãos que investigam o esquema, diversas empreiteiras, entre elas a UTC, Engevix, Camargo Corrêa, pagaram propina à empresa de consultoria de Dirceu, a JD Consultoria, que funcionava como uma “central de recebimento de propina”, de acordo com a Polícia Federal. O ex-ministro teve o nome citado na Lava Jato por delatores por conta de pagamentos recebidos por sua consultoria.

Ainda segundo o Ministério Público Federal, Dirceu era responsável por definir cargos na administração da Petrobras e dessa forma instituiu o esquema de pagamento de propinas na estatal, do qual era um dos beneficiários.

Dirceu teria sido o responsável pela indicação de dois diretores da Petrobras envolvidos no esquema de corrupção bilionário: os ex-diretores de Serviços e de Abastecimento, Renato Duque e Paulo Roberto Costa, respectivamente.

 

 

 

 

Foto Reprodução

Com informações da Agencia Brasil

Ex-ministro José Dirceu é preso pela Lava Jato

segunda-feira, agosto 3rd, 2015

1863,justica-nega-habeas-corpus-preventivo-de-dirceu-2

Tá vendo aí? O ex-ministro José Dirceu (Casa Civil do governo Lula) foi preso na manhã desta segunda-feira, dia 3, em Brasilia.  Dirceu é alvo de prisão preventiva decretada pelo juiz federal Sérgio Moro, que conduz as ações penais da Operação Lava Jato.

O ex- ministro está sob investigação por suposto recebimento de propinas disfarçadas na forma de consultorias, por meio de sua empresa JD assessoria, já desativada.

Dirceu cumpria prisão domiciliar por sua condenação no processo do mensalão.

A Polícia Federal incluiu a JD Assessoria e Consultoria em um grupo de 31 empresas  ”suspeitas de promoverem operações de lavagem de dinheiro” em contratos das obras da Refinaria Abreu e Lima (Rnest), em Pernambuco – construção iniciada em 2007, que deveria custar R$ 4 bilhões e consumiu mais de R$ 23 bilhões da Petrobrás.

O documento é o primeiro de uma série de perícias técnicas da Polícia Federal que apontam um percentual de desvios na Petrobrás de até 20% do valor de contratos. O percentual é superior aos 3% apontados até aqui nas investigações da Operação Lava Jato, que incluía apenas da propina dos agentes públicos e políticos.

“Foi identificada movimentação financeira da ordem de R$ 71,4 milhões, tendo como origem Construções e Comércio Camargo Corrêa S/A e como destino as seguintes empresas, suspeitas de operarem lavagem de dinheiro: Costa Global Consultoria e Participações, JD Assessoria e Consultoria; Treviso do Brasil Empreendimentos e Piemonte Empreendimentos”, registra o laudo 1342/2015 presente nos autos da Lava Jato.

 

 

 

 

 

Foto Reprodução

Fonte Estadão Conteúdo

Vídeo mostra Guido Mantega sendo hostilizado em hospital privado de SP: ‘Vai pro SUS!’

quarta-feira, fevereiro 25th, 2015

Um vídeo que supostamente mostra o ex-ministro da Fazenda do primeiro governo de Dilma Rousseff (PT), Guido Mantega, sofrendo agressões verbais no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, viralizou nas redes sociais na última terça-feira dia 24. Nas imagens, algumas pessoas gritam coisas como “safado”, “não tem vergonha na cara” e “vai pro SUS” para o economista, que rapidamente e retira do local. O vídeo teria sido feito na última quinta-feira, dia 19. Nos comentários da publicação, internautas debatem a validade das agressões a Mantega.

Governador Wagner lamenta morte de ex-ministro da Justiça

quinta-feira, novembro 20th, 2014

wagner

O governador da Bahia Jaques Wagner lamenta o falecimento do ex-ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, nesta data. Wagner ressaltou os relevantes serviços prestados pelo jurista ao país, com destaque para a época em que foi ministro, no período de 2003 a 2007.

“Foi, sem sombra de dúvidas, um dos mais brilhantes e influentes advogados criminalistas do Brasil. Guardo boas recordações do tempo em que estivemos juntos no ministério do governo Lula. Além do profundo conhecimento na área jurídica, destaco o ser humano íntegro e afável que ele sempre foi”, disse o governador.

Foto: Reprodução

Prefeito ACM Neto lamenta a morte do ex-ministro Márcio Thomaz Bastos

quinta-feira, novembro 20th, 2014

20141119-061850.jpg

O prefeito de Salvador ACM Neto lamentou a morte do ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, ocorrida na manhã desta quinta-feira,dia 20, em São Paulo. “Jurista brilhante, defensor intransigente do estado de direito e da Constituição, Márcio Thomaz Bastos foi um dos principais advogados brasileiros de todos os tempos”, afirmou o prefeito.
Segundo ACM Neto, como ministro ou em seu escritório, Márcio Thomaz Bastos sempre foi muito leal e atencioso. “A democracia e os direitos humanos perderam um grande advogado. Aos familiares e amigos do ex-ministro, os meus sentimentos.”

Foto:adelsoncarvalho.com.br

Enterrado o corpo do ex-ministro Adib Jatene

sábado, novembro 15th, 2014

Tristeza. O ex-ministro da Saúde e diretor-geral do Hospital do Coração (Hcor), Adib Jatene, morreu na noite de sexta-feira, dia 14, em São Paulo. Ele sofreu um enfarto agudo do miocárdio, o segundo em dois meses, e foi levado às pressas ao HCor. O velório e o sepultamento foram realizados na manhã deste sábado, dia 15, em São Paulo.

O médico foi um dos pioneiros da cirurgia cardíaca no País. Em 1968, fez a primeira cirurgia de ponte de safena, além de ter criado o primeiro coração-pulmão artificial do Hospital das Clínicas, na década de 1950.

Foto: Reprodução/Folha de São Paulo

César Borges não é mais do PR, diz assessoria

segunda-feira, agosto 11th, 2014

20140811-184712.jpg

Parafernália. A assessoria do ministro da Secretaria dos Portos, César Borges, confirmou que ele já se desfiliou do Partido da República (PR). No último sábado, dia 9, um colunista da Folha de S. Paulo havia divulgado o, até então, possível desligamento de Borges, que estaria magoado com sua demissão do Ministério dos Transportes – solicitada pela Executiva nacional em troca do apoio à reeleição de Dilma Rousseff. O ex-governador da Bahia deve permanecer na Secretaria dos Portos mas, segundo a assessoria, ainda não há previsão para a escolha de um novo partido.

Foto: Divulgaçao/Agência Brasil