Posts Tagged ‘GRÃOS’

Operação Veredas do Oeste apreende carretas com soja sem documentação

sábado, junho 18th, 2022

A pressão subiu. Treze carretas que transportavam 650 toneladas de soja em grãos sem documentação fiscal, com mercadorias avaliadas em R$ 1 milhão e 200 mil, foram apreendidas pela operação Veredas do Oeste, que está sendo realizada pela Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia (Sefaz-Ba) entre os meses de junho e outubro.

O objetivo da ação, de acordo com o superintendente de Administração Tributária da Sefaz-Ba, José Luiz Souza, é intensificar a fiscalização e o controle do escoamento da safra de grãos na Região Oeste do Estado, “combatendo a sonegação fiscal e assegurando a concorrência leal entre as empresas que atuam na área”.

A operação abrange os maiores municípios produtores de grãos do Oeste, de forma a cobrir os principais centros fornecedores de mercadorias e seus corredores de abastecimento, com atenção especial nas cargas em circulação de saída pela BR-030 e pela BR-020, com destino ao Estado de Goiás.

O gerente de Mercadorias em Trânsito da Sefaz-Ba, Eraldo Bispo, explica que “a operação reflete a importância da região como maior produtora de grãos do estado, com grande desenvolvimento socioeconômico voltado para o agronegócio, com destaque para as culturas consolidadas como soja, algodão, milho, feijão e café”.

A operação Veredas do Oeste ampliou o número de Unidades Móveis de Fiscalização, com plantões permanentes nas vias de acesso aos principais municípios da região e fortalecimento do monitoramento das saídas de produtos pela BR-020 e pela BR-030.

Fotografia/Fonte: Sefaz

Safra baiana de grãos pode alcançar 11 milhões de toneladas em 2022

quarta-feira, abril 27th, 2022

Agro em alta. O terceiro Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), relativo a março de 2022, com dados sistematizados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia da Secretaria do Planejamento, estimou a produção de cereais, oleaginosas e leguminosas, na Bahia, em 11,1 milhões de toneladas (t), o que representa um crescimento de 5,9% na comparação com a safra 2021 – que foi o maior resultado da série histórica do levantamento para o conjunto de produtos pesquisados.

Em relação ao levantamento do mês anterior, houve uma variação positiva de 2,1 pontos percentuais. As áreas plantada e colhida ficaram ambas estimadas em 3,35 milhões de hectares (ha), o que corresponde, nas projeções do IBGE, a uma expansão de 4,5% na comparação anual. Dessa forma, o rendimento médio (3,32 t/ha) da lavoura de grãos no estado deve ser 1,4% superior na mesma base de comparação.

A produção de algodão (caroço e pluma), projetada em torno de 1,38 milhão de toneladas, pode crescer 8,8% em relação a 2021. Este ano, a área plantada como a fibra (290 mil hectares) supera em 8,3% à do ano passado, demonstrando, assim, uma maior disposição de investimento dos produtores diante da melhoria nas condições de mercado.

Novamente, os dados do IBGE para a safra de soja foram revisados para cima. A lavoura da soja poderá alcançar em torno de 7,0 milhões de toneladas, que representa 3,6% acima do volume produzido em 2021. Dessa forma, a safra do grão poderá atingir volume recorde pelo terceiro ano consecutivo. A área plantada com a oleaginosa está projetada em 1,79 milhão de hectares, 5,3% superior ao observado em 2021.

“Os novos números do IBGE consolidam nossa tendência de crescimento para o ano de 2022. Há avanços consideráveis na maioria das culturas, no campo de cereais, oleaginosas e leguminosas. Seguiremos trabalhando para garantir esses números e iremos buscar avançar ainda mais, sempre atentos às culturas que, momentaneamente, não estão em um bom momento, cuidando melhor desses casos pontuais, na busca por soluções. Vivemos um grande momento na agricultura baiana, mas queremos avançar ainda mais”, comenta o secretário da Agricultura da Bahia, João Carlos Oliveira.

As duas safras anuais do milho podem somar 2,75 milhões de toneladas em 2022, o que representa uma expansão de 10,0% na comparação anual. Com relação à área plantada, estimada em 700 mil hectares, o IBGE aponta para uma expansão de 4,5% em relação à do ano passado. A estimativa da primeira safra do cereal ficou em 2,1 milhões de toneladas, 10,5% superior à de 2021.

“Já o prognóstico para a segunda safra ficou em 650 mil toneladas. Com a reversão da previsão negativa anterior, passou-se a estimar um crescimento de 8,3% em relação à colheita do ano anterior” pontuou Armando Castro, Diretor de Estatísticas da SEI.

No ciclo atual, a perspectiva é de que a produção total de feijão alcance 244 mil toneladas, o que representa avanço de 28,9% na comparação com a safra de 2021. O levantamento manteve a estimativa de área de 417 mil hectares plantados, a mesma observada no ano anterior. Estima-se que a 1ª safra da leguminosa (145,6 mil toneladas) seja 41,3% superior à de 2021, bem como a 2ª safra (98,3 mil toneladas) tenha uma variação positiva de 14,1% na mesma base de comparação.

Para a lavoura da cana-de-açúcar, o IBGE estima produção de 5,6 milhões de toneladas, alta de 1,4% em relação à safra 2021. A estimativa da produção do cacau está projetada em 126,5 mil toneladas, o que representa uma queda de 12,8% na comparação com o ano anterior.

Em relação à produção do café, é esperada uma colheita de 224 mil toneladas este ano, 8,2% acima da observada no ano passado. A safra do tipo arábica está projetada em 89 mil toneladas, com variação anual positiva de 20,3%. Por sua vez, a safra do tipo canéfora ou conilon tem previsão de 135 mil toneladas, alta de 1,5% na mesma base de comparação.

As estimativas para as lavouras de banana (911,3 mil toneladas), laranja (653,5 mil toneladas) e uva (60,8 mil toneladas), por sua vez, registraram, respectivamente, variações de 3,7%, 3,0% e -0,8%, em relação à safra anterior.

O levantamento ainda indica uma produção de 856,3 mil toneladas de mandioca, 0,6% inferior à de 2021. A produção de batata-inglesa, estimada em 354 mil toneladas, apresenta recuo de 8,5%, e a do tomate, estimada em 178 mil toneladas, aponta queda de 14,5% na comparação com o ano passado.

Fotografia/Fonte: AIBA

IBGE: Previsão da safra 2021 passa de 260 milhões de toneladas

quinta-feira, março 11th, 2021

Agro é vida. O total de cereais, leguminosas e oleaginosas produzido no país este ano deve atingir 263,1 milhões de toneladas. A safra nacional de grãos para 2021 deve ficar 9 milhões de toneladas acima da safra de 2020, com crescimento de 3,5% em relação ao ano passado, que já havia sido recorde na série histórica da pesquisa que teve início na década de 70.

As informações constam do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, divulgado nesta quinta-feira, dia 11/3, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em relação à estimativa de janeiro, a soja teve ligeiro aumento (0,1%) e continua batendo recordes, devendo alcançar 130,4 milhões de toneladas. O milho caiu um pouco (-0,2%), mas continua em patamares recordes em relação aos anos anteriores, devendo chegar a 103,5 milhões de toneladas.

Em relação a 2020, a produção de soja deve ser 7,3% maior, com aumento de 3,1% na área a ser colhida; e a de milho 0,3% maior, com aumento de 3,4% na área a ser colhida.

“Embora o plantio da soja tenha atrasado este ano em função da estiagem, a partir de dezembro, com a volta das chuvas as lavouras se recuperaram na maior parte do país e a produtividade da leguminosa deve ser elevada. Os preços estão bastante favoráveis no mercado internacional e a demanda continua alta, por isso os produtores continuam ampliando as áreas de plantio dessa commodity pelo país”, disse, em nota, o gerente da pesquisa, Carlos Barradas.

Segundo ele, os produtores estão preocupados com as condições climáticas, pois estão previstos grandes volumes de chuvas em importantes regiões produtoras, o que pode atrasar ainda mais a colheita e comprometer a qualidade dos grãos.

“As reduções nas estimativas do milho estão associadas à menor produtividade estimada para a cultura, devido à falta de chuvas no decorrer do ciclo da 1ª safra. A produção do milho vem, a cada ano, dependendo mais da produção de 2ª safra, mas essa vem crescendo à medida que a tecnologia de produção avança no campo. Atualmente, em alguns estabelecimentos agropecuários, já é comum o plantio do cereal concomitante à colheita, otimizando, assim, a janela de plantio da safra e possibilitando maior segurança climática durante o ciclo da cultura”, disse Barradas.

Em relação a janeiro, houve aumentos ainda nas estimativas da produção do trigo (16,8% ou 965,8 mil toneladas), do café canephora (12,1% ou 98,1 mil toneladas), da cevada (9,0% ou 32,9 mil toneladas), da aveia (2,2% ou 21,3 mil toneladas), do café arábica (1,6% ou 30,6 mil toneladas), do milho de 2ª safra (0,3% ou 262,8 mil toneladas) e da soja (0,1% ou 117,2 mil toneladas).

Segundo o IBGE, são esperadas quedas na produção do arroz (-0,1% ou 8,8 mil toneladas), do feijão 3ª safra (-0,1% ou 810 toneladas), do feijão 2ª safra (-0,7% ou 8,6 mil toneladas), do tomate (-1,2% ou 46,0 mil toneladas), do milho 1ª safra (-1,7% ou 441,3 mil toneladas) e do feijão 1ª safra (-3,6% ou 46,8 mil toneladas).

As  regiões Sul e Nordeste tiveram acréscimos em suas estimativas de 14,1% e 0,9%, respectivamente. A primeira deve produzir 31,7% do total de grãos do país e a segunda, 8,7% do total. Já o Centro-Oeste, maior região produtora do país, que responde por 45,8% da safra nacional, teve decréscimo em sua estimativa (-0,9%), bem como o Sudeste (-0,6%) e o Norte (-2,2%)”, afirmou o IBGE. Fonte: Agência Brasil

Fotografia: Raylton Alves/Divulgação/Agência ANA

Safra de grãos deve fechar com recorde em 2019

quinta-feira, outubro 10th, 2019

A safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas deve fechar 2019 em 240,7 milhões de toneladas, ou seja, 6,3% acima da produção do ano passado. De acordo com a previsão de setembro do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, divulgada nesta quinta-feira, dia 10/10, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a safra deve ser 0,4% maior do que a estimada na pesquisa de agosto.

Entre os produtos que devem puxar essa alta está o milho, uma das três principais lavouras de grãos do país, cuja produção deve crescer 23,1% de 2018 para 2019.

Outros grãos que deverão ter alta neste ano são o algodão herbáceo (39%), o feijão (2,9%), o sorgo (14,6%) e o trigo (3,1%). Por outro lado, duas das principais lavouras devem fechar o ano em queda: soja (-4,3%) e arroz (-12%).

A área colhida de cereais, leguminosas e oleaginosas foi estimada em 63,1 milhões de hectares, ou seja, 3,5% a mais do que em 2018.

Outros produtos

Além dos grãos, o IBGE estima a produção de outras lavouras importantes, como a cana-de-açúcar, principal produto agrícola do país, que deve fechar o ano com queda de 1,2%, e o café, que deverá ter queda de 16%. Também devem ter quedas o tomate (-2%), a batata-inglesa (-0,3%) e a uva (-11%).

Por outro lado, devem ter alta na safra deste ano a banana (5,1%), a laranja (6,3%) e a mandioca (3,5%). Fonte: Agência Brasil

Foto: Divulgação

Safra de grãos deve fechar 2019 com crescimento de quase 6% , diz IBGE

terça-feira, setembro 10th, 2019

A produção brasileira de cereais, leguminosas e oleaginosas deve fechar 2019 com um crescimento de 5,9% em relação ao ano anterior. De acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), realizado em agosto pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país deve ter uma safra recorde de 239,8 milhões de toneladas neste ano, ou seja, 13,3 milhões a mais do que em 2018.

No levantamento anterior, realizado em julho, a estimativa era um pouco menor, de 239,7 milhões de toneladas, ou 5,8% a mais do que no ano anterior.

De acordo com o IBGE, a alta de 5,9% deve ser puxada pela produção de milho, que deve crescer 21,5% em relação ao ano anterior. As outras duas grandes lavouras de grãos devem ter queda: soja (-3,9%) e arroz (-12,7%).

Entre as outras lavouras de grãos em que se estima produção acima de 1 milhão de toneladas, deverão fechar o ano com alta o algodão (32,4%), o sorgo (13,9%) e o trigo (9,5%). O feijão, por outro lado, deve ter queda de 1,1% no ano.

Outros produtos

O LSPA também estima a produção de outros produtos agrícolas importantes. A maior lavoura do país, a de cana-de-açúcar, deve ter queda de 1,4%. Também são esperados recuos nas produções de café (-13%), laranja (-1%), tomate (-4,3%) e uva (-10,5%). Por outro lado, são esperados avanços nas produções de banana (3,8%), batata-inglesa (0,8%) e mandioca (4,1%). Fonte: Agência Brasil

Foto: Divulgação/Senar

Com recorde de expositores, começa a Bahia Farm Show nesta terça (28)

terça-feira, maio 28th, 2019

A partir desta semana, a Bahia se transformará na capital brasileira do agronegócio. Com abertura oficial marcada para esta terça-feira (28), em Luís Eduardo Magalhães, a Bahia Farm Show 2019 vem marcada pelo otimismo da safra agrícola, inauguração de um novo pavilhão coberto e número recorde de 260 expositores que levarão o que há de mais novo em tecnologia para o setor agrícola. Com a estrutura toda pronta para receber o público, a feira terá acesso liberado, das 9h às 13h, para que os visitantes possam prestigiar a abertura, que será conduzida pelo presidente da Bahia Farm e da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Celestin

o Zanella, e contará com a presença do vice-governador, João Leão, e do governador do Tocantins, Marcelo Carlesse. A feira agrícola é a segunda maior em volume de negócios por visitante, sendo considerada a maior do Norte/Nordeste do Brasil.

Depois de finalizada a colheita de soja, sendo considerada a segunda maior da história do Oeste da Bahia, e as boas perspectivas para o fim do ciclo do algodão e do milho, a expectativa é que a feira

supere os R$ 1,8 bilhão em volume de negócios da última edição. Para Zanella, a feira vem crescendo ao longo dos anos se tornando a maior referência em tecnologia para os agricultores da Bahia e da área de abrangência do Matopiba, que abrange os estados do Maranhão, Tocantins e Piauí. “Mais do que volume de negócios, estamos focados em trazer as novidades e reunir toda o setor agrícola, agentes financiadores públicos e privados, poder público, empresas privadas, consultores, para que os agricultores possam incorporar as melhores tecnologias e o estabelecimento de regras justas para que os agricultores possam atingir as melhores produtividades. A Bahia Farm representa todo este desenvolvimento tecnológico vivenciado nos últimos 15 anos pelo setor agrícola”, afirma.

Durante a solenidade de abertura, serão assinados os convênios do Fundo para o Desenvolvimento Sustentável e Integrado da Bahia (Fundesis), uma parceria do Instituto Aiba e Banco do Nordeste (BNB) que vai destinar um total de R$ 1,2 milhão para contribuir para a atuação de 24 instituições com projetos sociais em oito municípios do Oeste da Bahia. Com 100% das áreas comercializadas, a edição comemorativa de 15 anos da Bahia Farm Show terá como principal novidade a ampliação da sua infraestrutura com o novo galpão do pavilhão coberto, que tem cerca de 1500 metros quadrados e capacidade para 62 novos expositores. O que contribuiu com um incremento de 30% do número de novas empresas e marcas dentro da feira.

Para os visitantes, a feira vai trazer dois novos espaços, que vão abrigar pela primeira vez as entidades ligadas à Segurança Pública do Estado, e outro específico com a comercialização de produtos dos agricultores das associações de pequeno e médio portes. No campo das palestras e dos debates, a Bahia Farm vai realizar o tradicional Fórum do Canal Rural, com o tema “Plantio Direto como Vetor da Agricultura Sustentável”, e pela primeira vez o 1º Seminário Mulheres do Agro, além de uma programação com mais de 35 eventos, incluindo o Leilão de Gado da Bahia Farm Show e a sessão itinerante da Assembleia Legislativa da Bahia. A previsão é que circulem nos cinco dias de evento cerca de 70 mil pessoas. Para ter acesso à feira para conferir a exposição das tecnologias, debates e eventos realizados dentro do Complexo Bahia Farm será cobrado o ingresso de R$15,00, sendo parte revertida para o Hospital do Oeste, por meio do programa “Ingresso Solidário”. Ascom Bahia Farm Show

Foto: Divulgação