Posts Tagged ‘Polícia Federal’

Injusta Causa: Polícia Federal investiga supostas vendas de decisões judiciais na Bahia

quarta-feira, setembro 11th, 2019

A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira, 11/09, a Operação INJUSTA CAUSA, com o objetivo de desarticular possível esquema criminoso identificado no Estado da Bahia, voltado a venda de decisões judiciais e tráfico de influência.

Cerca de 50 policiais federais, acompanhados de cinco procuradores da República, cumprem 11 mandados de busca e apreensão em órgão público, escritório de advocacia e nas residências dos investigados.

Os mandados foram expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça e têm por objetivo localizar e apreender provas complementares dos crimes praticados. Fonte: Ascom/Polícia Federal

Foto: Ilustrativa

Ministro Sergio Moro comemora apreensão recorde de cocaína pela PF

quinta-feira, setembro 5th, 2019

Comemoração. O ministro da justiça e segurança, Sergio Moro, publicou no Twitter nesta quinta-feira, dia 5/9, um balanço sobre o volume de cocaína apreendida pela PF, que bateu um recorde no mês de julho: 60 toneladas e 700 quilos.

Moro postou ainda, comentário muito parecido com o que tinha publicado na quarta-feira, dia 4/9, com uma modificação: citou diretamente o governo do presidente Jair Bolsonaro, além dos estados.

“Por qual motivo os crimes caem em todo o país? Porque as forças de segurança do governo Jair Bolsonaro e as dos Estados estão trabalhando como nunca. Simples assim

Foto: Reprodução


PF desarticula organização criminosa especializada na remessa de drogas para o exterior

terça-feira, agosto 27th, 2019

A Polícia Federal e a Receita Federal deflagraram nesta terça-feira (27/8) a Operação The Wall, com objetivo de desarticular organizações criminosas especializadas na remessa de drogas para o exterior por meio dos portos da região.

Cerca de 150 policiais federais deram cumprimento a 33 mandados de busca e apreensão e 24 mandados de prisão nas cidades de Itajaí, Balneário Camboriú, Blumenau, Balneário Piçarras e Ilhota. A operação contou com o apoio de servidores da Receita Federal e cães farejadores.

A investigação teve início com a apreensão de 1.700 kg de cocaína no porto de Antuérpia/Bélgica, no dia 12 de dezembro de 2018. Posteriormente, constatou-se que a mesma quadrilha foi a responsável pela remessa de 558 kg apreendidos no porto de Navegantes no dia 1º de abril de 2019.

Constatou-se que as organizações criminosas investigadas atuavam inserindo cocaína em contêineres embarcados nos portos da região, utilizando empresas de fachada com atuação na logística portuária.

A Receita Federal forneceu importantes informações acerca da movimentação de contêineres nos portos, o que permitiu identificar quais cargas estavam contaminadas.

O nome The Wall (parede em inglês) decorre do fato de a droga estar camuflada em meio a uma carga de tijolos, a qual formava uma parede dentro do contêiner, dificultando sua localização. Conforme PF

Foto: Ilustrativa

Nova fase da Lava Jato mira suspeita de propina a ex-ministros

quarta-feira, agosto 21st, 2019

A Polícia Federal, em cooperação com o Ministério Público Federal, deflagrou na manhã de hoje, (21/08) a 63ª. fase da Operação Lava Jato, denominada Carbonara Chimica.

Cerca de 40 Policiais Federais cumprem dois mandados de prisão temporária e 11 mandados de busca e apreensão em São Paulo e na Bahia. Os mandados foram expedidos pela 13ª. Vara Federal de Curitiba/PR e objetivam a apuração de crimes de corrupção ativa e passiva, além de lavagem de capitais.

As medidas visam esclarecer a suspeita de pagamentos periódicos indevidos a dois ex-Ministros de Estado por parte de grupo empresarial ligado à engenharia e petroquímica, entre outras atividades.. Os valores eram contabilizados em uma planilha denominada “Programa Especial Italiano”.

O pagamento da propinas tinha como objetivo, entre outras coisas, a aprovação de Medidas Provisórias que instituiriam um novo refinanciamento de dívidas fiscais e permitiriam a utilização de prejuízos fiscais das empresas como forma de pagamento (Refis da Crise – MPs 470/2009 e 472/2009).

Há indicativos de que parte dos valores indevidos teria sido entregue a um casal de publicitários como forma de dissimulação da origem do dinheiro.

O nome da operação remete ao fato de que os investigados eram identificados como “Italiano” e “Pós-Itália”, havendo ainda correlação com a atividade desenvolvida por uma das empresas envolvida no esquema.

Foi determinada ordem judicial de bloqueio de ativos financeiros dos investigados no valor de 555 milhões de reais.

Os presos serão levados para a sede da PF em São Paulo, e posteriormente trasladados para a Superintendência do Paraná, onde serão interrogados. Conforme Comunicação Social/PF

Operação da PF combate falsidade eleitoral e lavagem de dinheiro

segunda-feira, agosto 12th, 2019

A Polícia Federal deflagrou nesta segunda-feira (12/8) a Operação MONOGRAMA, para combater falsidade eleitoral e lavagem de dinheiro. A operação de hoje é um desdobramento da Operação Acrônimo, deflagrada em 2015

Foram cumpridos dois mandados judiciais de busca e apreensão em Belo Horizonte, ambos expedidos pela 32ª Zona Eleitoral da Capital.

As investigações apontaram possíveis delitos eleitorais, nos quais empresas de consultoria, mediante a simulação de prestação de serviços, teriam sido usadas para o recebimento de vantagens ilícitas em montante superior a R$ 3 milhões. Corroboradas por colaboração premiada, as provas indicaram que os valores recebidos decorreram de atuação de agente político em benefício de negócios de empresa brasileira no Uruguai.

Em razão de novo entendimento jurisprudencial, as investigações que anteriormente eram conduzidas pelo Superior Tribunal de Justiça, passaram a tramitar na 32ª Zona Eleitoral em Belo Horizonte a partir de em junho de 2019. Conforme PF

Fotos: Divulgação e Reprodução

PF realiza nova operação contra facção criminosa

sexta-feira, agosto 9th, 2019

Polícia neles. A Polícia Federal deflagrou nas primeiras horas desta sexta-feira, dia 9/8, uma operação para desarticular o braço financeiro, que tem a responsabilidade de organizar esquemas de lavagem de dinheiro de uma facção criminosa com atuação dentro e fora dos presídios do Brasil.

De acordo com a PF, o esquema envolvia integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC). Só entre os alvos dos mandados, a movimentação financeira foi de mais de R$ 7 milhões nos últimos 9 meses.

Nas primeiras horas de operação, 34 pessoas haviam sido presas e um fuzil, apreendido. Os presos são suspeitos de crimes de lavagem de dinheiro, tráfico de drogas e associação criminosa.


Foto: Divulgação/Polícia Federal

Moro nega qualquer orientação para PF destruir mensagens

quinta-feira, agosto 8th, 2019

Em manifestação enviada ao ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, disse que não orientou a Polícia Federal a destruir mensagens obtidas por meio da invasão de aparelhos celulares de autoridades da República.

O caso é investigado pela Operação Spoofing, da PF, que resultou na prisão preventiva de quatro pessoas. Moro afirmou que não tem acesso à investigação supervisionada pelo juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília.  

“Esclareço que este ministro da Justiça e Segurança Pública não exarou qualquer determinação ou orientação à Polícia Federal para destruição do indicado material ou mesmo acerca de sua destinação, certo de que compete, em princípio, ao juiz do processo ou ao próprio poder Judiciário decidir sobre a questão, oportunamente”, escreveu Moro no ofício enviado a Fux.

A questão da inutilização das provas passou a ser discutida no mês passado, quando, por meio de nota, o presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, confirmou que teve seu celular invadido. O magistrado afirmou tersido comunicado por Moro que o material obtido nas investigações seria “descartado para não devassar a intimidade de ninguém”.

No documento enviado hoje ao STF, o ministro da Justiça disse que o entedimento de João Otávio Noronha foi “apenas um mal-entendido quanto á declaração sobre a possível destinação do material obtido pela invasão criminosa dos aparelhos celulares, considerando a natureza ilícita dele e as previsões legais”.

Luiz Fux é relator de uma ação de descumprimento de preceito fundamental (ADPF) aberta pelo PDT, que pediu a proteção do material. No dia 1º de agosto, Fux concedeu uma liminar (decisão provisória) pedida pelo partido para que fosse garantida a preservação das mensagens. Fonte: Agência Brasil

Foto: Arquivo/José Cruz/Agência Brasil

Lava jato: Eike Batista é preso novamente

quinta-feira, agosto 8th, 2019

De novo. O empresário Eike Batista, voltou a ser preso pela Polícia Federal na manhã desta quinta-feira, dia 8/8. É a segunda vez que o dono da EBX é levado para a cadeia.

Ele estava em casa, no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro, onde há cerca de dois anos e meio estava cumprindo prisão domiciliar.

O operação batizada de “Segredo de Midas”, é um desdobramento da Lava Jato e busca provas de manipulação do mercado de ações e de lavagem de dinheiro.

Fotos: Reprodução

PC e PF evitam extorsão de meio milhão de reais

domingo, agosto 4th, 2019

Polícia em ação. Uma ação conjunta entre unidades da Polícia Civil (Draco, Depin e DHPP) e da PF, na Cidade de Vitória da Conquista, evitou a extorsão de meio milhão de reais. Eliseu foi preso na sexta-feira, dia 2/8, depois de ações de acompanhamento e de inteligência.

O caso tem envolvimento com uma apreensão de 750 kg de maconha, na Cidade de Ponta Porã, no estado do Mato Grosso do Sul e a prisão de um dos envolvidos com a carga. Eliseu, sabendo que o detento tinha parentes em Vitória da Conquista, passou a fazer ameaças para a família, exigindo R$ 550 mil.

Ele se dizia pertencer a uma facção e que o dinheiro seria para amenizar a dívida do homem preso em Ponta Porã. Sabendo da tentativa de extorsão, o caso passou a ser investigado e Eliseu terminou capturado.

Com ele foram apreendidos celulares com as conversas determinando o pagamento dos R$ 550 mil e um carro. “O trabalho continua, pois sabemos que outras pessoas participaram deste crime”, contou o diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), delegado Flávio Góis.

Foto: Reprodução

PF combate fraudes a benefícios previdenciários na Bahia

quarta-feira, julho 31st, 2019

A Polícia Federal, juntamente com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, deflagrou nesta quarta-feira (31/7) a Operação Pinel, que visa desarticular organização criminosa atuante na Bahia, especializada em fraudar benefícios previdenciários.

Estão sendo cumpridos 26 mandados, sendo 15 de busca e apreensão e 11 de prisão temporária, em diversas cidades da Bahia, dentre elas Salvador, Aratuípe, Vera Cruz e Nazaré. Além disso, também foi determinada pela Justiça Federal a suspensão do exercício da função pública do médico-perito envolvido no esquema.

Conforme apurado, o grupo criminoso, em conluio com servidores do próprio INSS, manipulava perícias médicas em troca de vantagens financeiras indevidas, com vistas a ativar e/ou manter ativos benefícios previdenciários fraudulentos, em sua maioria da espécie auxílio-doença.

Durante as investigações, foi revelada a existência de uma extensa rede criminosa de despachantes/intermediários especializados na execução de fraude em desfavor do INSS, consistente na simulação de doenças incapacitantes ao trabalho (em sua maioria ligadas a transtornos psicológicos – daí o nome da operação), bem como no direcionamento de perícias-médicas.

O valor do prejuízo estimado com as fraudes até agora já supera os R$ 11 milhões, relacionados a cerca de 200 benefícios previdenciários com suspeita de fraude. Acredita-se que, com o avanço das investigações, esses números aumentarão consideravelmente.

Os envolvidos responderão pelos crimes de organização criminosa, estelionato previdenciário, inserção de dados falsos em sistemas de informações, corrupção ativa, corrupção passiva, dentre outros, com penas que, se somadas, podem chegar a mais de 50 anos de prisão.

Comunicação Social da Polícia Federal na Bahia

Foto: Divulgação

PF deflagra 62ª Fase da Operação Lava Jato e apura pagamento de propinas por parte de empreiteira

quarta-feira, julho 31st, 2019

A Polícia Federal, em cooperação com o Ministério Público Federal e com a Receita Federal, deflagrou na manhã de hoje (31/7) a 62ª fase da Operação Lava Jato, denominada Rock City. Nesta fase, o objetivo é apurar o pagamento de propinas travestidas de doações de campanha eleitoral realizado por empresas do grupo investigado, que também teria auxiliado empreiteira investigada a pagar valores ilícitos de forma oculta e dissimulada, através da troca de reais no Brasil por dólares em contas no exterior, expediente conhecido como operações dólar-cabo.

Cerca de 120 policiais federais cumprem 1 mandado de prisão preventiva, 5 mandados de prisão temporária e 33 mandados de busca e apreensão, em 15 diferentes municípios (Boituva, Fernandópolis, Itu, Vinhedo, Piracicaba, Jacareí, Porto Feliz, Santa Fé do Sul, Santana do Parnaíba e São Paulo/SP; Cuiabá/MT; Cassilândia/MS; Petrópolis e Duque de Caxias/RJ; e Belo Horizonte/MG). Os mandados foram expedidos pela 13ª Vara Federal de Curitiba-PR.

Os fatos investigados nesta fase mantêm relação com as atividades do setor de operações estruturadas da empreiteira, responsável por viabilizar os pagamentos ilícitos do grupo, de forma profissional e sofisticada, e, assim, evitar o rastreamento dos valores e a descoberta dos crimes pelas autoridades de persecução penal. A suspeita é que offshores relacionadas à empreiteira realizavam – no exterior – transferências de valores para offshores do grupo investigado, o qual disponibilizava dinheiro em espécie no Brasil para realização de doações eleitorais.

Um dos executivos da empreiteira investigada, em colaboração premiada, afirmou que utilizou o grupo investigado para realizar doações de campanha eleitoral para políticos de outubro de 2008 a junho de 2014, o que resultou em dívida não contabilizada pela empreiteira com o grupo investigado, no valor de R$ 120 milhões. Em contrapartida, a companhia investia em negócios do grupo investigado.

Também foi apurado que um dos executivos do grupo investigado, valendo-se do instituto do Regime Especial de Regularização Cambial e Tributária (RERCT) instituído pela Lei 13.254/16, regularizou em 2017, mediante apresentação de declaração falsa de que esses valores seriam oriundos de atividades lícitas, R$ 1,3 bilhão. Contudo, há indícios de que essa regularização tenha sido irregular, em razão da suspeita de que os valores seriam provenientes da prática de “caixa dois” na empresa, com origem em um sofisticado esquema de sonegação tributária que contava com a burla de medidores de produção de cerveja, a qual era então vendida diretamente a pequenos comerciantes em espécie, sendo os valores então entregues a couriers da empreiteira.

O esquema desenvolvido com o grupo investigado é uma das engrenagens do aparato montado pela empreiteira para movimentar valores ilícitos destinados sobretudo para pagar propina a funcionários públicos da PETROBRAS e da Administração Pública brasileira e estrangeira. Outro delito a ser apurado é o de lavagem de dinheiro. Também foi determinada ordem judicial de bloqueio de ativos financeiros dos investigados.

Os presos serão levados para a Superintendência da Polícia Federal no Paraná, onde serão interrogados. Conforme Ascom/PF

Foto: Reprodução

PF prende mulher com quase 8kg de cocaína tentando embarcar no aeroporto internacional de Salvador

domingo, julho 28th, 2019

Chegando junto. A Polícia Federal (PF) efetuou a prisão de mais um traficante no Aeroporto Internacional Luís Eduardo Magalhães, em Salvador, na sexta-feira, dia 26/7.

Conforme a PF, uma brasileira de 23 anos, natural de Natal, Rio Grande do Norte, foi flagrada tentando embarcar em um voo com destino a Lisboa, capital de Portugal, levando cerca de 7,5 kg de cocaína, em um fundo falso da mala.

A mulher foi autuada em flagrante pelo crime de tráfico internacional de entorpecentes, na forma do artigo 33, c/c o artigo 40, I, da Lei 11.343/2006, que prevê penas de 5 anos e 10 meses até 25 anos de reclusão.

Foto: Divulgação/PF

PF: Suspeitos de hackear celular de Moro podem ter feito mil vítimas

quinta-feira, julho 25th, 2019

A Polícia Federal (PF) informou na quarta-feira, dia 24/7, em coletiva de imprensa, que mil números telefônicos diferentes podem ter sido alvo da quadrilha suspeita de hackear o aplicativo de mensagens Telegram do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e de outras autoridades. O ministro da Economia, Paulo Guedes, também pode estar entre as vítimas. 

“Aparentemente, mil números telefônicos diferentes foram alvo desse mesmo modus operandi dessa quadrilha. Há possibilidade, ainda não temos uma identificação e nem começamos a fazer isso, mas há possibilidade de um número muito grande de possíveis vítimas desse mesmo tipo ataque que está sendo investigado agora”, disse o coordenador geral de Inteligência da PF, João Vianey Xavier Filho.  

A PF investiga se o ministro da Economia foi vítima do mesmo grupo. “No momento da busca e apreensão, no celular de um dos indivíduos estava uma conta no aplicativo de mensagens vinculada com o nome Paulo Guedes. A gente tem que confirmar isso de forma pericial, mas é forte indicativo de que a conta seja realmente a do ministro”, explicou o diretor do Instituto Nacional de Criminalística, Luiz Spricigo Júnior.

De acordo com Filho, os números telefônicos supostamente atacados serão identificados para que se possa aferir a extensão exata dos ataques. A PF vai encaminhar ainda nesta quarta-feira um ofício para o presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) solicitando uma reunião para buscar formas de sanar as fragilidades encontradas na investigação. 

Atuação 

De acordo com a PF, a investigação é conduzida desde pelo menos abril, quando procuradores da Força Tarefa da Lava Jato passaram a relatar algumas ligações recebidas em seus aparelhos originadas do próprio número. Em junho, Moro e outras autoridades informaram ocorrência semelhante.  

A polícia conseguiu então chegar aos números de IP, que são relacionados à conexão à internet, dos dispositivos que supostamente executaram os ataques. Também foi identificado o tipo de equipamento que os indivíduos usavam. “Um dos equipamentos era um celular exatamente da marca e modelo que foi identificado na posse dos indivíduos”, diz Júnior.

De acordo com Filho, na residência de um dos alvos, foi localizado pela PF um computador contendo “atalhos de conexão a várias contas de aplicativo de mensagem”. Segundo ele, tudo indica que havia captura sistemática de contas desses aplicativos. “Não há como confirmar, o levantamento é preliminar, mas tudo indica, e aparentemente isso vai ser melhor esclarecido mais adiante, que o conteúdo das mensagens dessas contas capturadas era baixado nos dispositivos, nos computadores dos investigados”, diz Filho. 

A PF deverá detalhar as formas de atuação dos investigados em laudo pericial, a ser encaminhado ainda esta semana.

Fraudes bancárias 

De acordo com a PF, o grupo era especializado em fraudes bancárias por meio da internet. “O perfil dessas pessoas é de estelionato bancário eletrônico. Eles estão, 

em vários graus diferentes de envolvimento, de alguma forma ou de outra, vinculados a fraudes bancárias eletrônicas, praticadas mediante internet banking, mediante engenharia social com contato de possíveis vítimas e fraudes em cartões de crédito e débito”, diz Filho. Segundo ele, foi localizada na casa de um dos alvos quase R$ 100 mil em espécie.

Twitter

Por meio de seu perfil na rede social Twitter, Moro parabenizou a PF, o Ministério Público Federal (MPF) e a Justiça Federal pelas investigações.

Foto: Marcelo Casal/Divulgação/Agência Brasil

Operação conjunta apreende duas toneladas de droga escondidas em carga de farinha

sábado, julho 20th, 2019

É muita droga. Duas toneladas de maconha prensada foram apreendidas, na quinta-feira, dia 18/7, durante operação conjunta entre a Companhia Independente de Policiamento Especializado (Cipe) Nordeste, 16ª Batalhão de Polícia Militar (BPM/ Serrinha), Polícia Federal e Rodoviária Federal (PRF). A droga estava escondida embaixo de uma carga de farinha. 

Uma denúncia anônima revelou que um veículo preto escoltava um caminhão suspeito pela BR-116. Acionadas pela PF, as unidades baianas fizeram uma barreira para o automóvel de Piracicaba/SP, interceptado nas proximidades da Cidade de Tucano. Dois ocupantes foram capturados. 

Os policiais seguiram até um posto de combustível, na Cidade de Teofilândia, onde encontraram o caminhão parado. No baú, os fardos da droga estavam escondidos na carga de farinha. De acordo com o comandante da Cipe Nordeste, major PM Wellington Morais dos Santos, as placas dos veículos chamaram a atenção. “Ambos tinham placa de Piracicaba, São Paulo”, informou o oficial. 

José Carlos dos Santos e Paulo Eber dos Santos, ambos do Paraná, foram presos em flagrante e encaminhados para a PF, em Feira de Santana. O ocupante do caminhão não foi localizado.

Fotos/fonte: SSP-BA

Operação Efígie investiga fraudes contra o INSS

quarta-feira, julho 17th, 2019

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira, dia 17/7, a Operação Efígie, com o objetivo de desmantelar organização criminosa, com atuação no Espírito Santo e na Bahia, que prática de fraudes em face do INSS.

Pelo menos 14 policiais federais deram cumprimento a quatro mandados de busca e apreensão, expedidos pela Justiça Federal de Vitória/ES, na Cidade de Vila Velha/ES. A operação contou com o apoio da Coordenação Geral de Inteligência Previdenciária e Trabalhista (CGINT), do Ministério da Economia.

A investigação apontou que o grupo criminoso utilizava documentos falsos para criação de pessoas fictícias e posterior saque de Benefícios de Prestação Continuada de Amparo ao Idoso. Os cálculos indicam que o grupo criminoso teria gerado um prejuízo de cerca de R$ 6 milhões ao INSS.

Os crimes investigados são o uso de documento falso, falsidade ideológica, falsificação de documento público, estelionato qualificado e organização criminosa, podendo chegar a 14 anos de reclusão.

A ação foi um desdobramento da Operação 5×7 deflagrada pela PF/ES em junho de 2019. Fonte: PF

Foto: Reprodução

Carro de luxo e lancha de Eike Batista são arrematados em leilão

quinta-feira, julho 11th, 2019

A Lamborghini e a lancha do empresário Eike Batista foram arrematadas na terça-feira, dia 9/7, em leilão promovido pelo leiloeiro Leonardo Schulmann, a pedido da juíza titular da 3ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro, Rosália Monteiro Figueira. Nesta vara tramita processo contra o empresário, desvinculado da Operação Lava Jato, sob responsabilidade do juiz Marcelo Bretas.

Na semana passada, os dois bens foram colocados em leilão pela 7ª Vara Federal Criminal, mas não houve interessados. A Lamborghini foi arrematada por R$ 1,409 milhão e a lancha, por R$ 1,92 milhão. Os valores serão pagos em parcelas.

Na última quinta-feira (4), a embarcação Intermarine 680 Spirit of Brazil, avaliada em R$ 3,5 milhões, e a Lamborghini Aventador, branca, avaliada em R$ 2,24 milhões tinham sido colocadas em leilão a pedido do juiz Marcelo Bretas, responsável pelos processos da Lava Jato no Rio de Janeiro. Fonte Agência Brasil

Foto: Divulgação/Polícia Federal

PF deflagra Operação Venatores contra caça ilegal

quinta-feira, junho 13th, 2019

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta quinta-feira, dia 13/6, a Operação Venatores*, visando combater a caça ilegal no interior da Floresta Nacional (FLONA) do Amapá, compreendida pelos municípios de Pracuúba/AP, Ferreira Gomes/AP e Amapá/AP.

Cerca de 20 policiais federais deram cumprimento a cinco mandados de busca e apreensão no munícipio de Porto Grande/AP. No momento da busca, foram apreendidas grandes quantidades de caça, o que resultou na prisão em flagrante de três indivíduos pelos crimes de posse ilegal de produtos da caça e posse ilegal de munições.

As investigações constataram que os autores dos crimes já foram alvo de medidas judiciais em 2017 e voltaram a prática dos mesmos crimes no interior da FLONA.

Os investigados irão responder, na medida de suas responsabilidades, pelos crimes caça ilegal e posse ilegal de munição. Se condenados, poderão cumprir pena de até 4 anos de reclusão. Fonte: PF

Foto: Divulgação/PF

PF apreende ambulância e caminhões com cigarros contrabandeados

sexta-feira, junho 7th, 2019

A Polícia Federal (PF) no Paraná realizou de quinta-feira, dia 6/6, para sexta-feira, dia 7/6, várias apreensões de veículos com carregamento de cigarros contrabandeados do Paraguai. A primeira delas, ocorreu na noite dessa quinta-feira na PR-491, perto de Marechal Cândido Rondon.

Os policiais suspeitaram de uma ambulância e saíram em perseguição. O motorista, ao perceber a presença da PF, abandonou o veículo e fugiu através de uma plantação de milho. Ao fazer uma busca na ambulância, os agentes encontraram grande quantidade de cigarros contrabandeados do Paraguai.

Outra apreensão aconteceu na manhã desta sexta-feira na BR-163, também em Marechal Cândido Rondon. Durante uma abordagem de um caminhão-baú, com placa de Umuarama, os policiais descobriram cerca de 900 caixas de cigarros também contrabandeados do Paraguai. O motorista conseguiu fugir pela mata antes da chegada dos agentes.

Em mais uma ação hoje, também em Marechal Cândido Rondon, uma equipe da PF apreendeu mais um caminhão-baú com uma carga de 400 caixas de cigarros contrabandeados. O motorista conseguiu fugir antes que os policiais chegassem ao local onde ele abandonou o veículo.

Os dois caminhões e a ambulância e toda carga de cigarros apreendida foram levados para a Delegacia da Polícia Federal em Guaíra e, em seguida, para a Inspetoria da Receita Federal.

Foto: Divulgação/PF

Polícia Federal identifica esquema de R$ 100 milhões em propina

quinta-feira, maio 30th, 2019

A Polícia Federal, em uma ação conjunta com a Receita Federal, deflagrou nesta quinta-feira, dia 30/5, a Operação Alcatraz para combater fraudes fiscais praticadas por dois grupos empresariais que “atuam na prestação de serviços a órgãos públicos adquirindo notas frias de empresas inexistentes (as conhecidas noteiras), para dissimular o pagamento de propina a agentes públicos.

A investigação identificou R$ 100 milhões em créditos tributários em nome dos diversos contribuintes que participavam do esquema de pagamento de propinas. Segundo a Receita, também foram identificadas empresas usadas para lavagem de dinheiro, que atuam para esquentar valores desviados adquirindo patrimônio, quase sempre em nome de “laranjas”.

Os policiais estão cumprindo  11 mandados de prisão, sendo 7 preventivas e 4 temporárias; 42 de busca e apreensão, autorizados pela 1ª Vara Criminal da Justiça Federal de Florianópolis, em Santa Catarina. Além disso, também estão sendo cumpridas ordens judiciais de sequestro de bens e valores dos suspeitos. Os mandados estão sendo executados em endereços dos investigados na Grande Florianópolis. Participam da operação 45 auditores-fiscais e analistas tributários. Fonte: Agência Brasil

Foto: Reprodução

Polícia Federal faz operação contra pornografia infantil em 8 estados

quinta-feira, maio 23rd, 2019

Policiais federais cumprem nesta quinta-feira 23/5, 28 mandados de busca e apreensão em uma operação contra a pornografia infantil em oito estados. Ao todo, 23 pessoas são investigadas por crimes de produção, armazenamento e distribuição de material pornográfico envolvendo crianças ou adolescentes.

De acordo com a Polícia Federal (PF), pelo menos cinco pessoas foram presas em flagrante durante o cumprimento dos mandados.

Cerca de 120 policiais federais participam da operação nos estados de São Paulo, do Rio de Janeiro, de Minas Gerais, do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, da Paraíba, de Sergipe e do Maranhão. A maior parte dos mandados (12) está sendo cumprida no Rio.

Foto/Fonte: Agência Brasil