Posts Tagged ‘jornalista’

Desperte o orador que existe em você

quinta-feira, junho 29th, 2017

Há exatos vinte anos, em Junho de 1997, Mery Schmich, colunista do jornal Chicago Tribune, escreveu um artigo que pode ser traduzido livremente como “Conselhos e juventude desperdiçados pelos jovens”. Apesar do tempo,  a mensagem continua atual. O texto ficou conhecido no Brasil como “O Filtro Solar”, depois de musicado e gravado na voz de Pedro Bial. A publicação incentivava todas as pessoas acima dos 26 anos a escrever o próprio discurso sobre as expectativas para o futuro, mesmo que nunca precisassem falar em público. Era também a tentativa da autora.

Para ela, dentro de cada um de nós existe um orador. Pode até estar adormecido, mas em algum momento talvez seja preciso despertá-lo. Existem técnicas para isso. Ainda assim, muita gente sofre com algum grau de Glossofobia, o famoso medo de falar em público. Uma pesquisa do jornal inglês Sunday Times, com três mil pessoas, identificou que 41% dos participantes têm mais medo da morte do que de falar publicamente. Os sintomas podem levar a situações embaraçosas, impedir aquela promoção no trabalho ou o tão esperado salto na carreira e a mudança de vida. Primeiro é preciso identificar a origem do problema, depois saber aonde se quer chegar. Entre um e outro ponto, a mudança de atitude é indispensável.

Pequenos ajustes são cruciais para a grande transformação. Aí entram as técnicas que precisam ser praticadas antes mesmo de se levantar da cama e mantidas até o momento de retornar para ela. O que muita gente não sabe é que 55% da mensagem é emitida pela linguagem não-verbal, 38% pelo tom da voz e apenas 7% pelas palavras. Isso não tira o valor das palavras. Ao contrário, fortalece. É uma luz no fim do túnel para quem tem medo de ser o centro das atenções, já que é possível controlar a ansiedade e os impulsos que levam ao nervosismo mudando a linguagem corporal. Fazendo o corpo trabalhar a seu favor. Além disso, você pode ajustar a respiração, encontrar o tom e timbre de voz corretos para buscar o efeito esperado, praticar o discurso e visualizar o seu sucesso. Funciona, está comprovado.

A psicóloga social Amy Cuddy, da Harvard Business School, cunhou a expressão “fake it until you make it”, ou finja até que você faça. É um conceito que demonstra a importância da linguagem corporal e sua influência no cérebro. A postura também molda quem você é. Cuddy acrescenta: “make it until you become it”, faça até que você se torne, e trabalha a definição das poses que remetem ao poder e aumentam a produção de hormônios que produzem a sensação de autoconfiança no organismo. Trocando em miúdos e lembrando o que vovó já dizia. “Senta direito. Barriga pra dentro, peito pra fora”. Afinal, “compartilhar conselhos é um jeito de pescar o passado do lixo, esfregá-lo, repintar as partes feias e reciclar tudo por mais do que vale”, pelo menos foi isso que Mery Schmich disse em junho de 1997. É um trabalho constante, mas acredite, funciona. Acredite no filtro solar também!

 

Emerson Nunes é jornalista, especialista em Marketing & Branding e diretor de conteúdo da Fala Bela Media Training & Comunicação.

emerson@falabelacomunicacao.com.br

Reputação: mãos limpas e alma lavada

sábado, maio 13th, 2017

 

Diante da velocidade da comunicação, empresas e figuras públicas investem cada vez mais na imagem. Algumas esquecem um conceito valioso: reputação. Grosso modo, uma espécie de time line da vida e, justamente por ser construída em longo prazo, tem mais robustez do que a imagem momentânea. A reputação é um ativo imaterial. Paira no inconsciente coletivo. É aquele sentimento ao pensar nos Médicos Sem Fronteiras, em Gandhy ou, na agora santa, Teresa de Calcutá. Há também casos cristalizados de má reputação. Hitler, Mussolini ou Bin Laden.Imagens arranhadas podem destruir reputações e custar caro. Al Ries diria que é como você se posiciona na mente do seu ouvinte.

Imagens arranhadas podem destruir reputações e custar caro. O nadador americano Ryan Lochte inventou ter sido assaltado durante as Olimpíadas do Rio. Descoberta a farsa, perdeu patrocinadores e cerca de R$ 10 milhões. Atletas como Oscar Pistorius, Lance Armstrong, Tiger Woods e Mike Tyson já tiveram contratos suspensos por envolvimento em escândalos.

Reputação também pauta o mundo corporativo. No Brasil, as agências de classificação de risco, Moody’s, Standard & Poor’s e Fitch rebaixaram a nota do banco BTG Pactual, após a prisão de André Esteves na operação Lava Jato. A justificativa? Danos reputacionais. Não é fácil construir uma boa reputação. É preciso tempo para solidificá-la, mas ela pode desmoronar em minutos. Clareza e transparencia são essenciais. A ausência desses dois pré-requisitos e à falta de diálogo com a sociedade colocou a política brasileira em níveis baixíssimos. O Relatório Confiança nas Profissões de 2016 da GfK Verein ouviu mais de 20 mil pessoas em 27 países e apontou a classe política brasileira como a menos confiável. O nível de confiança é de 6%. Certamente, consequência dos constantes escândalos de corrupção. Na vida pública é preciso um posicionamento alinhado com os novos tempos. Alma lavada e mãos limpas. Reputação é isso!

Emerson Nunes

Jornalista, especialista em Marketing & Branding e diretor de conteúdo da Fala Bela Media Training & Comunicação.

emerson@falabelacomunicacao.com.br

Foto: Divulgação

Bahia e a sina de afastar o seu torcedor

segunda-feira, agosto 1st, 2016

13920661_599435093571848_3076288991609079636_n

Sou jornalista. Não tenho mestrado, pós ou mesmo graduação em marketing. Talvez por isso não consiga compreender os motivos que levam o Esporte Clube Bahia a cobrar valores, em meu ponto de vista, exorbitantes nos uniformes assinados pela nova fornecedora de material esportivo Umbro. Mesmo sem a expertise em marketing/vendas, posso compreender, como leigo no assunto, que a comercialização do padrão tricolor com valores elevados para a realidade da grande maioria dos torcedores do clube, óbvio, terá venda e aceitação no mercado menor.

Vamos observar pelo ponto de vista lógico. Toda e qualquer marca mundial prima pela visibilidade, ou seja, quer estar em evidência. A patrocinadora master, no caso do Bahia a MRV, e as secundárias, seja a Unimed ou a Canaã Alimentos, acredito que queiram aparecer, não apenas nos canais de TV, mas também nas ruas. E qual a melhor maneira para ser observado pelo público que não acompanha partidas de futebol? É estampando a marca nos uniformes.

A torcida do Bahia tem uma atitude bem peculiar: ela tem orgulho do seu manto, suas cores, seu simbolo. Em qualquer local, seja em velório, casamento ou viagens internacionais, você sempre encontrará uma camisa do Tricolor. Faz parte do vestuário diário do torcedor e esse comportamento não é algo forçado, é extremamente espontâneo. Outro ponto positivo é o fato do Esquadrão possuir a maior torcida das regiões Norte e Nordeste. Público o clube tem, mas o amor incondicional e o grande número de seguidores/admiradores/apaixonados não dão direito as diretorias de Bahia e Umbro explorarem o torcedor. Cobrar R$ 229,00 em uma camisa básica, sem nem uma novidade em relação a anterior, só por ter mudado o nome da fornecedora não dá direito de privar os maiores patrocinadores de adquirirem o novo uniforme. Sei que virão questionamentos que já ouvi: “tem quem pode e não quem quer”. Não concordo. E não concordo pelo simples fato de saber que o Bahia pode cobrar um valor mais acessível. Por saber que a prática mercadológica de marketing tem tirado o amor e o orgulho que ainda resta nessa torcida tão sofrida. Como se já não bastasse o valor dos ingressos astronômicos, o futebol pífio exibido dentro de campo, oferecer uniformes com preços justos seria a oportunidade de demonstrar o mínimo de respeito com o torcedor, mas a chance – como sempre – foi desperdiçada pela diretoria que mais uma vez reforça e teoria de que o futebol deixou de ser paixão para se transformar em negócio. Para eles não somos torcedores e sim clientes. Não entendo de marketing, nem quero entender. Entendo de orgulho. E isso, felizmente, não se compra.

 

Foto: Hora do Bico

Ricardo Boechat se afasta do trabalho por depressão: “É como se a pessoa morresse ficando viva”

quinta-feira, agosto 27th, 2015

9enbsnpz4t_3au59b6xwu_file

Vixe. O apresentador Ricardo Boechat revelou que sofre de depressão. Ele afirmou nesta quinta-feira, dia 27, na rádio BandNews FM e também escreveu um texto em seu Facebook relatando que se afastou na última quarta-feira, dia 19, de seu programa, após ter tido um “surto depressivo agudo”.

— Sofri um colapso, um apagão aqui no estúdio, nada na minha cabeça fazia sentido, nenhum texto era compreensível, os pensamentos não fechavam e uma pressão insuportável dava a nítida sensação de que meu peito iria explodir. Uma coisa horrorosa. Fiquei completamente desnorteado, e achei melhor me refugiar no camarim sem fazer o programa à espera de socorro médico.

Após ser levado ao encontro de um médico, o apresentador contou que o especialista “foi categórico ao dizer que era depressão”.

— Ele disse que os sintomas eram clássicos de um surto depressivo. Quem cai num quadro desses, perde qualquer condição de ficar ativo, de ter pensamentos simples. É como se a pessoa morresse ficando viva.

O apresentador também confidenciou que os médicos responsáveis por seu tratamento afirmaram que ele “esticou a corda demais”.

— Fiz mais coisas que deveria fazer, em menos tempo do que seria razoável, fui além do limite que meu corpo permitia. Para prevenir a doença, precisa ficar atento a indicadores de estresse da nossa vida. A fadiga é o inimigo comum, recuperar as forças passa a ser sinal de sobrevivência. Essa é a grande lição que eu aprendi.
Boechat também afirmou que fez questão de contar a todos a sua doença, pois “esconder o problema e tratá-lo na clandestinidade dificulta o tratamento”. Além disso, ele ressaltou que “ninguém pode achar que a depressão vai passar apenas por pensar coisas positivas”. E, portanto, é necessário buscar ajuda.

— A depressão é muito mais que isso e muito mais séria. É uma aflição tão severa que restringe a capacidade de uma pessoa funcionar plenamente, um abismo mental tão profundo que ninguém pode achar que vai se safar apenas endireitando os ombros ou pensando coisas positivas. Não, minha gente, essa escuridão da mente e do estado de espírito é mais do que um simples desânimo. É um desequilíbrio da química cerebral, algo tão físico quanto uma fratura óssea, ou um tumor maligno.

 

 

 

 

Foto:Reprodução

*Com informações do R7

Cidade Alerta: Programa alcança picos de audiência 

sexta-feira, abril 17th, 2015

IMG_2262.JPG

A jornalista Nilza Barude, publicou em sua coluna especialista em TV, na Tribuna da Bahia, desta sexta-feira, dia 17, o sucesso de audiência que vem alcançando o Cidade Alerta Bahia, apresentado por Adelson Carvalho de segunda a sexta-feira, às  7:45 da noite na Record  Bahia.

Veja nota na íntegra:

IMG_3473.JPG

 

Foto: adelsoncarvalh.com.br

Dunga “pega ar” e discute com jornalista da Globo durante coletiva

segunda-feira, outubro 13th, 2014

Dunga diz que vai aliar talento e planejamento na seleção brasileiro

Pegou ar. Símbolo da primeira passagem de Dunga pelo comando da seleção brasileira, a relação deteriorada com a TV Globo teve um grande percalço nesta segunda-feira, dia 13, em Cingapura, onde a equipe nacional vai enfrentar o Japão na próxima terça, dia 14. Em entrevista coletiva pós-treino no National Stadium, o treinador contestou o teor de uma pergunta feita pelo repórter Tino Marcos. Depois da tradução para o inglês, foi a vez de o narrador Galvão Bueno intervir.

Tino fez a segunda pergunta da entrevista coletiva. Ele questionou Dunga sobre um lance ocorrido no segundo tempo da vitória por 2 a 0 sobre a Argentina, no último sábado (11), em Pequim. O técnico discutiu com pessoas que estavam no banco rival e colocou os dois dedos no nariz de forma irônica.

“O rapaz que estava no banco, o massagista, cria confusão no showbol, no vôlei. E ele não é ninguém. Quem não é do metiê quer o minuto de glória. Nada contra o rapaz, mas pode controlar”, disse Dunga depois da vitória sobre a Argentina.

“Dunga, a seleção foi muito elogiada no jogo contra a Argentina, não tomou gols, mas quando você faz uma avaliação do que aconteceu dentro campo, você faz uma avaliação sua também? Seu comportamento fora de campo, do seu ponto de vista, foi normal? Ou a insinuação de que o pessoal da Argentina usou drogas, você se arrepende?”, questionou Tino Marcos nesta segunda-feira (13).

“Bom, isso quem está falando é você. Como tinha muita poluição, tinha o nariz sempre trancado. Quem está falado que usou droga ou não é você. Nós estamos trabalhando na seleção brasileira, e eu acredito que o torcedor brasileiro quer um time competitivo e com sangue na veia. Se quiser um time mais tranquilo e ponderado, aí depende das escolhas”, respondeu o treinador.

“A questão é: se você pegar a partida entre Brasil e Argentina, como ele avalia o comportamento dele? Ele disse que havia algo sobre jogadores com nariz trancado e que esse tipo de menção sobre os jogadores usarem drogas veio do repórter”, verteu a intérprete para o inglês – toda a entrevista coletiva teve tradução também para o japonês.

Nesse momento, Galvão Bueno interveio. O narrador e apresentador estava no canto da sala de coletiva e contestou a versão da intérprete. “Não foi sobre jogadores. Ele nunca falou sobre jogadores. O repórter nunca disse nada sobre jogadores”, disse ele em inglês.

Depois disso, Tino Marcos refez a pergunta e disse que não havia feito menção a jogadores. O repórter chegou a citar “um auxiliar” para explicar a expressão “pessoal da Argentina”. Fora do microfone, Dunga contestou: “Mas não foi isso que você falou. Você falou sobre jogadores. Eu nunca me referi a jogadores”.

O Brasil enfrentará o Japão em Cingapura nesta terça-feira (14). O jogo terá início às 7h45 (de Brasília) e será o quarto da nova passagem de Dunga pela seleção. Até aqui, o técnico tem três vitórias (1 a 0 sobre Colômbia e Equador e 2 a 0 sobre a Argentina).

Foto: Reprodução
Fonte: Uol

Levy Fidelix pega ar com jornalista do SBT durante debate

terça-feira, setembro 2nd, 2014

levyfidelix

Pegou um ar retado. O segundo debate entre os candidatos à Presidência da República, realizado nesta segunda-feira, dia 1, pelo SBT em parceria com a Folha, UOL e Jovem Pan, foi marcado pela reação do candidato do PRTB, Levy Fidelix, com o jornalista Kennedy Alencar, do SBT. O embate entre ambos foi um dos assuntos mais comentados do Twitter.

Tudo começou quando Kennedy Alencar perguntou a Levy sobre o PRTB ser um partido de aluguel. A questão deixou o candidato retado. “Isso é o típico ponto fora da curva. É típico também de perseguição dos ditos partidos ideológicos pequenos. Meu partido existe há mais de 20 anos e eu sempre disputo campanha majoritária. Você [jornalista] é um típico representante dessa mídia vendida… é sim língua de aluguel, você se comporta como tal e outros da mídia”.

Levy ficou tão enfurecido com a pergunta que em todos os demais blocos passou a atacar o jornalista, ao qual chamava de “língua de trapo”. No final, o candidato do PRTB ainda disparou “sei que não vou ganhar mesmo”.

O candidato do PV, Eduardo Jorge, que comentou após o embate entre Levy e o jornalista, soltou um irônico: “eu não tenho nada a ver com isso”.

Foto: Reprodução

Jornalista leva facada no testículo durante cobertura de operação policial

quinta-feira, junho 5th, 2014

1228571066

O jornalista Roberto Jorge Guimaro, 38 anos, conhecido como “Robertinho”, foi agredido enquanto cobria um acontecimento policial em Maracaju, na noite desta terça-feira, dia 03,  no Mato Grosso Sul. Ele levou uma facada nos órgãos genitais e durante a cirurgia reparadora teve que retirar um dos testículos.

O fato aconteceu depois que uma equipe do Corpo de Bombeiros foi solicitada para atender uma pessoa agredida a golpes de faca em uma boate. A guarnição foi até a periferia da cidade e encontrou um adolescente de 16 anos, fora de controle devido ao uso de drogas. Segundo o Tenente Edimar Santos Gonçalves, uma equipe da polícia levou o adolescente descontrolado até o hospital.

Ao chegar no pronto socorro ele mostrou-se agressivo, tirou do short uma faca e tentou agredir médicos e enfermeiros, a confusão gerou um corre-corre dentro da instituição. Um segurança de 40 anos tentou conter o adolescente e foi agredido a chutes e socos, o jornalista estava no local e o menor avançou sobre ele com a faca, o atingindo entre as pernas.

Um dos bombeiros deu tiro pro alto mas o menor não parou, foi então que o soldado o atingiu com um disparo do abdomen. O adolescente está internado e foi atuado em flagrante por tentativa de homicídio. Ainda segundo a policia ele é usuário de drogas e faz uso de medicamentos controlados.

Foto: Reprodução/ Facebook

As informações são da 94 FM/ Site Correio do Estado