Posts Tagged ‘professor’

Namoro entre professor e aluna de 17 anos é descoberto depois que fotos vazaram na web

quarta-feira, novembro 16th, 2016

2hyieyd5ssfz477f4lyeuo3f6

Fuxico. Muitas fotos que circulam pela internet e por aplicativos de mensagens desde a última semana, começo de novembro de 2016, revelaram o namoro entre um professor e uma aluna de 17 anos de idade.

Conforme publicou um jornal britânico, o professor Victor que leciona Ciências da Computação, acusou um de seus alunos pelo vazamento das imagens, que estavam no celular da adolescente, namorada dele.

“Ele está perdidamente apaixonado por ela e queria se vingar. Aparentemente, não conseguiu aceitar que ela escolheu a mim e não a ele”, disse o professor conquistador.

As selfies que viralizaram entre os estudantes da universidade foram feitas no espelho de um motel.

O fuzuê está sendo investigado pela Polícia de uma das maiores Cidades da Ucrânia. O professor seria 40 anos mais velho que a “namoradinha”. As apurações, no entanto, não questionam o relacionamento entre professor e aluna, mas, sim, o suposto roubo das imagens.

Fotos: Reprodução

 

Empregada doméstica morre ao ser atropelada por carro

sexta-feira, julho 8th, 2016

104119-3

Acidentes que matam. Uma empregada doméstica morreu na manhã desta sexta-feira, dia 8/7, ao ser atropelada por um carro na Avenida Nóide Cerqueira, em Feira de Santana.

Segundo informações da Polícia, a vítima seguia para o trabalho, no bairro do Sim, em uma bicicleta, quando acabou atropelada pelo veículo.

O motorista atropelador que é professor da UEFS, contou que estava atrasado para a aula e que estava em alta velocidade. O veículo atingiu o pneu da bicicleta quando Sandra Maria subia no canteiro central e na queda ela sofreu uma forte pancada na cabeça.

De acordo com um sargento da Polícia Militar, trata-se de um crime culposo, quando não há a intenção de matar, e o professor deverá ser ouvido e liberado.

“Ele prestou socorro e não evadiu-se. Segundo o condutor do veículo, ele vinha em alta velocidade, pois estava atrasado e a vítima atravessou na frente dele, que tentou evitar o acidente, mas não conseguiu. Essa avenida é muita perigosa e os motoristas precisam ter bastante cuidado”, disse.

Médicos do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) constataram o óbito. Com o impacto, o pneu desprendeu-se da bicicleta. Sandra era casada e tinha um filho. Ela residia no bairro Sim e trabalhava na residência do proprietário de um bar e mercearia no mesmo bairro.

 

Foto/fonte: Acorda Cidade

Polícia se depara com 2 corpos em porta-malas de carro carbonizado

sábado, junho 11th, 2016

untitled (69)

Mistério. Policiais militares e da guardas civis da Cidade de Santa Luz, Região Sisaleira, encontraram dois corpos no porta-malas de um carro que estava carbonizado, às margens da rodovia estadual BA-120, na saída para a Cidade de Queimadas às 11:30 da noite de desta sexta-feira, dia 10. Conforme informações do site Notícias de Santa Luz, as equipes foram acionadas por causa de um suposto acidente envolvendo o carro de cor branca. Quando as chamas foram controladas, com auxílio de um carro-pipa, os policiais viram os corpos. O veículo estava com as rodas para cima, como se tivesse capotado antes, o que leva a Polícia a suspeita que o acidente foi criminoso. Peritos do Departamento de Polícia Técnica (DPT) informaram que um dos corpos pode ser do professor conhecido como Nino, diretor da Escola Municipal Deputado Manoel Novais, do povoado de Várzea da Pedra. Embora o estado dos corpos impossibilitem qualquer reconhecimento, a suspeita da perícia tem como base dados do veículo, condizentes com o do professor. O outro corpo pode ser de uma mulher, ainda não identificada. Testemunhas disseram ter ouvido gritos da mulher enquanto o carro pegava fogo. Os cadáveres foram levados ao DPT de Feira de Santana, onde serão feitos exames de DNA para confirmar as identidades das vítimas. Ainda de acordo com o site, a casa do professor possuía sinais de arrombamento na noite do acidente. A Polícia Civil investiga o caso.

 

Foto: Reprodução/Notícias de Santa Luz

Jaguaripe: Professor aposentado da UFBA é assassinado na Zona Rural

sexta-feira, fevereiro 5th, 2016

IMG_6834.JPG

Crueldade. Marcus Vinicius de Oliveira Silva, professor aposentado da Universidade Federal da Bahia (Ufba), que era conhecido como Marcus Matraga, foi assassinado no povoado de Pirajuína, Cidade Jaguaripe, Baixo Sul da Bahia. Nas redes sociais, o reitor da Ufba, João Carlos Salles, lamentou a morte. ” Ao que parece, foi vítima de uma emboscada, em função de sua atividade política na mediação de conflitos de terra. Assim que o corpo for liberado, deve seguir para Belo Horizonte, onde será sepultado. Lamentamos todos essa enorme perda”, afirmou.

 

Foto; Reprodução/Facebook

Pedrão: Professor é chamado de “viado”; escola não se pronuncia

quinta-feira, outubro 9th, 2014

20141009-062641.jpg

Êta. A rotina de trabalho do professor de história Alexandro Bittencourt no Colégio Municipal Doutor Luiz Viana Filho, na Cidade de Pedrão, mudou há três semanas. Ele chegou a chorar e não teve condições de voltar à sala de aula quando foi abordado por um aluno na frente do colégio, momento em que todos já se dirigiam para as aulas. “Tá chegando o viado!”, gritou e repetiu com ênfase o aluno na frente de funcionários e outros estudantes. Esta foi uma das agressões que o professor, homossexual assumido, sofreu dentro da escola e denunciou ao nesta quarta-feira, dia 8. Em outra situação, outro aluno que já havia sido expulso do colégio e voltou a pedido da Secretaria Municipal de Educação escreveu a palavra “viado” em uma prova de história aplicada pelo educador, no lugar da lacuna onde devia ser escrito o nome do discente. A ofensa chegou a ser vista pela coordenadora pedagógica do colégio. O fato de o aluno ter recebido três dias de suspensão pelo impasse não foi o suficiente para Alexandro. “É angustiante ter que conviver com uma pessoa que fez isso. A escola está sendo negligente. O mínimo que se podia fazer era tomar uma atitude maior, como promover uma palestra sobre conscientização. Vai chegar a um ponto de que nenhum professor vai querer ficar na escola”, declarou o professor ao Bahia Notícias, ao fazer referência a outros educadores também agredidos ou ameaçados pelo mesmo estudante, mas por motivos diferentes. Quando questionado o que ele sente em relação às ofensas, o professor só consegue pensar em “humilhação”. “Fiquei péssimo em casa ao parar para analisar o que aconteceu. Não abro a minha vida pessoal para professor e funcionário”, disse o professor. Para ele, a situação está no limite do “insustentável”. Procurada, a direção da escola não quis se pronunciar sobre o assunto. Para Marcelo Cerqueira, presidente do Grupo Gay da Bahia, a atitude do aluno é “grave”. “Primeiro ponto: o professor deve assumir essa discussão. Esse aluno acha normal fazer esse tipo de brincadeira, que é um questionamento da autoridade do professor que deve ser respeitado e não deve ter as autoridade questionada independente de sua orientação sexual”, apontou. Cerqueira acredita que a escola deve realizar seminários e outras atividades pedagógicas para abordar o assunto entre todos os alunos da instituição de ensino. “A escola deve fazer seminários, debates sobre orientação sexual, até porque deve ter alunos trans, lésbicas e homosseuxais”, cita ele, que é graduado em História pela Universidade Católica de Salvador (Ucsal) e já lecionou para uma turma de 8ª série (9º ano). “Sempre fui viado assumido em sala de aula. E nunca fui chamado de viado, até porque nunca me permiti passar por esse tipo de situação”, conta, que brinca: “Eu faria ele escrever 90 mil vezes “devo respeitar meu professor”, gastar 200 cadernos”. Além da atuação no interior da escola, Cerqueira acredita que o comportamento do estudante pode refletir o ambiente familiar e que os pais dos alunos devem ser convocados para comparecer ao colégio. “É preciso chamar a família para discutir o assunto, ele deve ter pouca educação familiar. Hoje a família não almoça mais junto, não toma café junto, esse contato entre pais e filhos, essas relações se tornaram inconstantes, então não dá para acompanhar a vida do filho”, opina.

Foto: Reprodução/Pedrão Bahia