Posts Tagged ‘CULTURA’

Prefeitura paga auxílio para profissionais de eventos na quinta-feira (6)

quarta-feira, maio 5th, 2021

Tá na hora. A Prefeitura realiza na quinta-feira, dia 6/5, o pagamento da parcela única do programa SOS Cultura, que concede auxílio emergencial no valor de R$ 1 mil e 100 para profissionais da área de cultura e eventos. O anúncio foi realizado pelo prefeito Bruno Reis nesta quarta-feira, dia 5/5, durante coletiva virtual que marcou também a entrega da quarta etapa da requalificação da Estrada Velha do Aeroporto (EVA), em São Cristóvão, e do lançamento da campanha Maio Amarelo. 

Cidadãos podem acessar o site soscultura. salvador. ba. gov. br . Com o número do CPF, o cidadão vai poder consultar no site se está cadastrado para receber o auxílio, terá acesso ao calendário de pagamentos e poderá tirar todas as dúvidas em relação ao programa. 

O pagamento será feito através de uma conta poupança social digital, pelo aplicativo Caixa Tem, e sacar o valor no banco ou lotérica. Quem não tem o NIS (Número de Identificação Social), poderá fazer o saque a partir de segunda-feira, dia 10/5, diretamente no banco ou lotérica com um documento de identificação. O prefeito ainda ressaltou que alguns casos ainda estão sendo conferidos, por isso o nome pode não aparecer na lista no momento. 

“Aproveitamos aqui para agradecer à Ambev, com a doação de R$1,2 milhão, que ajudou com R$200 em cada parcela. A Prefeitura está colocando mais R$900 para fazer o pagamento integral de cada benefício, com recursos próprios. Não há qualquer apoio estadual ou federal para este pagamento. Todas as medidas emergenciais são recursos da própria fonte municipal, em um investimento de R$5,4 milhões para beneficiar os trabalhadores da área cultural de nossa cidade”, destacou Bruno Reis. 

Dinâmica – O auxílio será pago a cerca de 6 mil trabalhadores de três categorias: os da área de cultura que possuam cadastro validado na Fundação Gregório de Mattos (FGM), os da área de eventos e eventos sociais cadastrados pela Empresa Salvador Turismo (Saltur) e aqueles que atuam no Centro Histórico de Salvador que tenham sido cadastrados pela Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Secult). Todos esses profissionais já estavam presentes em cadastros da Prefeitura realizados antes de 18 de março deste ano. 

Na área da cultura, o benefício abrange uma média de 77 atividades, entre elas a arte de rua, artes plásticas, dança, circo, literatura, audiovisual, teatro e gestão cultural, entre outras. Na área de eventos, serão atendidos tanto os trabalhadores de eventos de grande porte, como Réveillon e shows diversos como aqueles que atuam com eventos sociais (casamento, aniversário, formatura, entre outros). O cadastro dos profissionais de eventos junto à Saltur foi feito por meio do compartilhamento de dados feito pelas entidades de classe e grupos representativos da categoria. 

Um dos critérios para o recebimento é que os beneficiários residam em Salvador e tenham renda declarada de, no máximo, três salários mínimos, em 2020. Além disso, não terão direito ao auxílio os titulares de benefício previdenciário do Regime Próprio de Previdência Social de Salvador; servidores públicos municipais e estaduais; beneficiários cadastrados no auxílio Salvador por Todos; e os titulares de benefício previdenciário e/ou socioassistencial do Regime Geral de Previdência Social do INSS. 

Uma vez atendidos todos os critérios para ter acesso ao SOS Cultura, quem não encontrar o nome no site poderá entrar com um recurso administrativo comprovando que já estava cadastrado. Fonte: PMS

Fotografia: Reprodução

A redução de mistura que pode aliviar escassez de acarajé

domingo, agosto 16th, 2020

Uma medida tomada pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) na última quinta-feira, dia 13/8, pode beneficiar indiretamente uma das iguarias mais celebradas do Brasil. A redução temporária de 12% para 10% na mistura de biodiesel no diesel poderá contribuir para aliviar a escassez de azeite que ameaça o futuro das vendedoras de acarajé.

Tombado como patrimônio cultural de natureza imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o ofício das baianas de acarajé enfrenta, nos últimos anos, o declínio da produção de azeite de dendê, um dos principais ingredientes para a produção do petisco. Normalmente, as baianas usam o óleo de palma produzido no Pará para substituir o azeite amarelo-avermelhado, mas a produção paraense está sendo cada vez mais destinada à exportação e para a produção de biodiesel.

Na insuficiência de óleo de palma, as vendedoras de acarajé têm recorrido aos estoques de azeite de dendê. A pandemia do novo coronavírus aliviou a situação por alguns meses, mas a reabertura da economia pôs a escassez novamente em evidência. Com os estoques de azeite de dendê praticamente zerados, o preço do vasilhame de 16 litros dobrou, passando de R$ 65 para uma faixa entre R$ 125 e R$ 130 de abril para agosto.

Em relação à produção de combustível, a retomada da atividade econômica também agravou o problema. Ao anunciar a redução da mistura do biodiesel no diesel, a ANP tinha informado que a medida foi necessária para dar continuidade ao abastecimento nacional, porque a demanda por diesel B continuou alta no início da pandemia e deverá aumentar com a reabertura dos negócios. Em nota, a BR Distribuidora, considerou a decisão acertada, mas cobrou medidas mais urgentes, ainda para agosto, para manter o equilíbrio no fornecimento.

As vendedoras de acarajé representam o elo mais frágil de uma batalha de mercado. Consumidoras finais de azeite de dendê e de óleo de palma, elas não podem repassar o encarecimento das matérias-primas para os preços por causa do desaquecimento da economia. No auge da pandemia, a maioria parou de trabalhar e só agora está reabrindo os negócios, com preocupação.

“A nossa situação está desesperadora. Agora que as baianas estão retornando, não conseguem comprar o azeite. E, quando conseguem, não podem repassar essa alta [do preço da matéria-prima] para os clientes“, diz Rita Santos, presidente da Associação Nacional das Baianas de Acarajé, Beiju, Mingau e Similares (Abam). A entidade lançou uma campanha de doação para aliviar a situação das vendedoras mais afetadas.

Falta de investimentos

Por trás da escassez de dendê, está a queda na produtividade dos extrativistas. Tradicionalmente, o azeite de dendê vem de oito municípios da costa sul da Bahia, em esquema de produção familiar, com pequenos produtores que não recebem assistência tecnológica de órgãos como a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Desde 2017, a produção caiu 37,8%, segundo o Sindicato dos Produtores Rurais de Nazaré (BA). Somente no primeiro semestre deste ano, a produção foi 7,8% inferior ao do mesmo período do ano passado.

Segundo Rita Santos, a redução da mistura de biodiesel alivia temporariamente a situação das vendedoras de acarajé. Para ela, o problema das vendedoras de acarajé só será resolvido com investimento maciço do governo nos pequenos produtores.

“A medida da ANP é uma ajuda importante, mas pequena porque a gente enfrenta a concorrência com a Petrobras, que compra tudo, e porque o verdadeiro problema está nos produtores de dendê da Bahia. Eles usam equipamentos muito defasados, principalmente para armazenar o óleo. Os tonéis, que hoje estão enferrujados, deveriam ser em aço inoxidável. Eles também precisam investir em plantio de novos pés”, explica Rita.

Como ajudar

A Abam está recebendo doações para as vendedoras de acarajé afetadas pela pandemia e pela escassez de azeite de dendê. O dinheiro está sendo revertido para a entrega de cestas básicas. Os interessados podem depositar valores na seguinte conta:

ABAM – Associação Nacional das Baianas de Acarajé, Mingau, Beiju e Similares.
Banco: Caixa Econômica Federal
Código da operação: 003
Ag: 4802
Conta corrente: 000056-1
CNPJ: 02561067000120

Fonte: Agência Brasil

Fotografia: Rita Barreto/Divulgação/GOVBA

A reunião no Palácio do Planalto

quarta-feira, janeiro 22nd, 2020

A atriz Regina Duarte almoçou nesta quarta-feira, dia 22/1, com presidente Jair Bolsonaro, no Palácio do Planalto. Ela foi convidada pelo presidente para assumir o cargo de secretária especial da Cultura após a exoneração do dramaturgo Roberto Alvim, na semana passada. Segundo a assessoria da Presidência da República, a possibilidade de Regina Duarte assumir o cargo ainda está sendo debatida. Após almoçar com Bolsonaro, a atriz também se reuniu com os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Marcelo Álvaro Antônio (Turismo) para conversar sobre a estrutura da pasta.

“A atriz Regina Duarte esteve no Palácio do Planalto, onde almoçou com o presidente Jair Bolsonaro. Na ocasião, foi debatida a possibilidade de a atriz assumir a Secretaria Especial da Cultura. Em seguida, Regina participou de reunião com ministro Luiz Eduardo Ramos, ministro Jorge Oliveira e ministro Marcelo Álvaro Antônio sobre estrutura da Secretaria”, informou o Planalto, em postagens no Twitter. Em seguida, ele se deslocou para a sede da Secretaria Especial de Cultura, na Esplanada dos Ministérios, onde dará continuidade à agenda de reuniões.

Mãe de três filhos e avó de seis netos, Regina Duarte nasceu no dia 5 de fevereiro de 1947 e trabalha como atriz há 54 anos, sendo um dos rostos mais conhecidos da televisão brasileira.

Prêmio Nacional

O cargo de secretário especial da Cultura ficou vago após a exoneração de Roberto Alvim na última sexta-feira (17), depois da repercussão negativa de um vídeo para anunciar o lançamento do Prêmio Nacional das Artes. Divulgado pelo então secretário, em sua conta no Twitter, o vídeo contém trechos que remetem a um discurso do ministro da Propaganda nazista, Joseph Goebbels.

Nesta quarta-feira (22), a Secretaria Especial de Cultura informou que o edital do Prêmio Nacional das Artes não chegou a ser publicado no Diário Oficial da União (DOU) e que o substituto de Alvim decidirá se o prêmio será lançado de fato. “Caberá ao novo secretário reavaliar a continuidade do Prêmio”, disse a assessoria da pasta.

A secretaria também anunciou a exoneração do secretário adjunto José Paulo Soares Martins, que ocupava interinamente as funções da pasta desde o desligamento de Alvim. Essa exoneração ainda deverá ser publicada no Diário Oficial da União. Fonte: Agência Brasil

Foto: Reprodução

Regina Duarte quer uma conversa “olho no olho”com presidente Bolsonaro

domingo, janeiro 19th, 2020

Será? A atriz Regina Duarte pediu para que a conversa que terá com Jair Bolsonaro na segunda-feira (20) seja “olho no olho”. Regina foi convidada na sexta-feira 17/1, pelo governo para assumir a Secretaria Nacional de Cultura. As informações são do blog da jornalista Natuza Nery, no G1.

Segundo interlocutores da atriz, ela quer entender melhor os planos do presidente para a pasta e garantir liberdade para atuar à frente da Cultura.

De acordo com conhecidos de Regina, ela demonstra dúvidas sobre assumir o posto e interesse pelo desafio.

Foto: Reprodução

Semana de Museus destaca a cultura do sertão da Bahia

quarta-feira, maio 15th, 2019

Olha aí. Palestras, mostras culturais, oficinas de pinturas e exibições de filmes. Essas são algumas das atrações que fazem parte da 17ª Semana Nacional de Museus, realizada nos espaços do Instituto de Patrimônio Cultural da Bahia (Ipac) até o próximo domingo 19/5. As atividades são gratuitas e abertas a todos, garantindo uma oportunidade para que o público baiano possa conhecer mais profundamente a cultura do estado.

“O tema desta edição é ‘A Cultura do Sertão da Bahia nos Museus do Ipac’. A ideia foi contemplar também cidades do interior e valorizar as tradições sertanejas. Queremos aproveitar essa semana, que é comemorada nacionalmente, para atrair um público cada vez maior para ocupar esses espaços tão importantes e apresentar coleções sobre a cultura e história para quem visitar nossos espaços”, explica a coordenadora da Diretoria de Museus do Ipac (Dimus), Fátima Santos
Em visita à capital baiana, o paulista João Carlos Neri se encantou com a escolha do tema. “É um assunto muito importante, principalmente para as crianças. É uma forma de conhecer mais e melhor a história de nossa gente do interior. É uma proposta valorosa colocar essa cultura que nem sempre tem tanto espaço como figura central de um conjunto de mostras de museus. Quero visitar todas essas exposições”, afirma. 


Os museus geridos pelo Ipac e que fazem parte programação especial são: Museu Udo Knoff de Azulejaria e Cerâmica, Museu Tempostal, Centro Cultural Solar Ferrão e Laboratório de Educação Digital (LabDimus), localizados no Pelourinho; Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), no 2 de Julho; Museu de Arte da Bahia (MAB), no Corredor da Vitória; Palacete das Artes, na Graça; além do Museu do Recolhimento dos Humildes, em Santo Amaro; e do Parque Histórico Castro Alves, localizado em Cabaceiras do Paraguaçu, onde nasceu o poeta. 


Programação
Entre os destaques, o Museu Geológico da Bahia, no Corredor da Vitória, oferece uma série de palestras sobre a história do estado. “O objetivo é fazer um apanhado dessa história geológica tão rica. Entre os temas abordados estão a geomorfologia de Salvador e a maneira como a cidade foi remodelada ao longo dos anos. Temos palestrantes especialistas aqui da Bahia e membros da Universidade Federal da Bahia”, destaca o coordenador do Museu Geológico, Heli Sampaio.
No Pelourinho, o Museu Tempostal coloca as tradições do sertão em destaque com a exposição ‘Canudos: cultura em movimento’. A mostra reúne, no primeiro módulo, fotos sobre o histórico conflito que envolveu o Exército Brasileiro e membros da comunidade liderada por Antônio Conselheiro, em Canudos. As imagens são do acervo de Flávio de Barros, único registro fotográfico de um dos mais importantes acontecimentos da história do Brasil, nas últimas semanas do conflito armado, em 1897, quando o fotógrafo acompanhava a comitiva do Ministério da Guerra. A programação completa pode ser conferida no site do Ipac

Foto/Fonte: Secom Bahia

Jorge Portugal dispara: “Rui não contigencia verba da cultura”,

quarta-feira, julho 13th, 2016

jorgeportugal

A resposta. Jorge Portugal, secretário de cultura da Bahia, garantiu que o governador Rui Costa, não dá ordens no sentido de contingenciar a verba destinada para a cultura.

“Ele pensa muito cultura como eu. Às vezes ele me chama pra umas reuniões com uns chineses e eu pergunto se tenho utilidade lá. Ele diz que tudo começa na cultura”, disparou.

Conforme Portugal, a execução das verbas do Fundo de Cultura aumentou exponencialmente de 2005 até 2015. “Você vê a nossa árvore frondosa. Em 2005, a verba despendida foi de R$ 6,60 milhões. Em 2015, isso aumentou para R$ 31,4 milhões”, noticiou.

O edital lançado nesta terça-feira, dia 12/7, destinado para o audiovisual, segundo o chefe da cultura, é algo “nunca visto na história desse Estado”.

 

Foto: Hora do Bico