Posts Tagged ‘contrabando’

Ex-Policial e comparsas são presos por contrabando

quinta-feira, fevereiro 21st, 2019

Cadeia neles. Uma quadrilha de contrabando de cigarros foi desarticulada, na manhã desta quinta-feira 21/2, na Cidade de Irecê, no interior da Bahia, numa ação conjunta executada pelas Companhias Independentes de Policiamento Especializado (Cipes) Semiárido e Litoral Norte e Polícia Federal.

Na ação, foram apreendidas 700 caixas de cigarros e sete criminosos, no momento em que descarregavam os produtos num depósito localizado às margens da BA-052, em Irecê. Um deles é ex-policial militar, excluído da corporação em 2007, por prática de extorsão.

“Fomos acionados pela PF, na terça-feira, dia 19/2, depois da instituição receber informes sobre o bando. Dividimos as equipes e, enquanto umas faziam o acompanhamento do caminhão, outras foram ao local, onde seria descarregado o material”, explicou o comandante da Cipe Semiário, major Carlos Maltez, acrescentando que parte dos criminosos já estava no depósito “e, quando o restante do grupo chegou, demos o flagrante”.

Além dos cigarros contrabandeados, também foram apreendidos três caminhões e um veículo. O grupo criminoso e todo material apreendido foram encaminhados para a sede da Polícia Federal, em Salvador. 

Foto: Divulgação SSP

Japonês da Federal é preso em Curitiba

quarta-feira, junho 8th, 2016

untitled (68)

Êta. O policial federal Newton Ishii, conhecido nacionalmente durante a Operação Lava Jato como “Japonês da Federal”, foi preso na terça-feira, dia 7/6, em Curitiba. Ele foi condenado pelo crime de facilitação do contrabando. O processo transitou em julgado, quer dizer, não cabe recurso.

O mandado foi expedido pela Vara de Execução Penal da Justiça Federal, em Foz do Iguaçu, no Oeste do Paraná. Ao saber da decisão, o Japonês da Federal, se apresentou espontaneamente na  Superintendência da Polícia Federal da capital paranaense, onde continuava detido nesta manhã de quarta-feira, dia 8/6.

 

Foto: Reprodução/R7

Mulher é presa com 220 mil em cosméticos sem nota fiscal

segunda-feira, abril 25th, 2016

img-20160425-wa0010 (3)

É muita grana. Pelo menos R$ 220 mil foram apreendidos pelo Departamento de Operações de Fronteira (DOF), em perfumes e cosméticos de origem Paraguaia, na Cidade de Maracaju, a 160 quilômetros de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, na madrugada de domingo, dia 24.
Produtos estavam em carro e em quarto de hotel (Foto: DOF/ Divulgação)

O Departamento recebeu denúncia que um veículo poderia estar com drogas em um hotel da Cidade. Policiais foram ao local e se depararam com o carro da suspeita cheio de perfumes e cosméticos. No quarto da mulher havia mais mercadorias.
img-20160425-wa0010 (3)

A motorista contou aos policiais que comprou a mercadoria no Paraguai e que levaria para Teresina, no Piauí, onde mora. Com ela foram encontrados 1442 frascos sem documentação fiscal. O caso foi registrado como contrabando ou descaminho pela Delegacia da Polícia Federal de Dourados. Fonte G1 MS

 

Fotos: Divulgação/DOF

Operação em aeroporto combate drogas e contrabando

quarta-feira, janeiro 27th, 2016

Para combater a chegada de produtos contrabandeados e entorpecentes, uma operação batizada de ‘Céu Azul’ está sendo realizada no Aeroporto Internacional de Salvador pela Polícia Federal, Departamento de Polícia Técnica (DPT) e a Polícia Civil da Bahia, por meio do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) e da Coordenação de Operações Especiais (COE).

Além dos voos internacionais, que normalmente passam pelo Raio X da Receita Federal, as bagagens de voos domésticos, sejam as de mão ou as que são transportadas no bagageiro da parte inferior das aeronaves, passaram a ser vistoriadas durante a operação, que começou na segunda-feira (25) e prossegue até sexta (29), também via terrestre, nos pedágios, porém, com o nome ‘Pista Limpa’.

O chefe da divisão de repressão ao contrabando e descaminho da Receita Federal, Joselito Correia, informou que a intenção dos órgãos é intensificar o combate à chegada de drogas à capital baiana nas vésperas do Carnaval. “Quando vêm de fora, normalmente, são drogas sintéticas e, quando sai, daqui para a Europa, por exemplo, normalmente, é cocaína”.

Correia disse ainda que voos oriundos de estados como Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, que fazem fronteira com países como Bolívia e Paraguai, passam por São Paulo e têm escala ou finalizam em Salvador, estão entre os priorizados pela operação. “Hoje [dia 26, segundo dia da operação no aeroporto], acabamos de fazer aqui apreensão de produtos contrabandeados que vieram da região de Foz do Iguaçu”.

No caso dos produtos contrabandeados, ele explicou que o material é retido, e, em seguida, feito um termo de lacração. “Damos um prazo de 24 a 48 horas para que o contribuinte possa acompanhar a abertura do volume e possamos contar as mercadorias, qualificá-las e, a partir daí, fazer um auto de infração de perdimento. Além de [o passageiro] perder a mercadoria, a gente faz um processo de representação fiscal para fins penais, que encaminhamos para o Ministério Público Federal”.

Segundo Correia, em tese, o passageiro teria cometido um crime de contrabando ou descaminho previsto no artigo 334 do Código Penal [Brasileiro]. “Caso o Ministério entenda que houve o crime, é oferecida denúncia à Justiça Federal, que vai abrir um processo para que a pessoa responda por contrabando e descaminho. A pena varia de quatro a oito anos, pois quando é por meio aéreo, a pena é dobrada”.

Cães Farejadores

A Receita Federal e a Coordenação de Operações Especiais (COE) da Polícia Civil utilizam também cães farejadores na operação. Ao defender a utilização desses animais, o investigador de polícia e coordenador do canil do COE, Luis Bastos, explica que o “cão possui 250 milhões de células olfativas, enquanto que o humano tem cinco milhões. Eles [os cachorros] têm um poder muito grande de detectar a droga sem precisar abrir a bagagem, então, facilita muito o trabalho”.

O delegado do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) da Polícia Civil, Luiz Sampaio, acredita que a presença dos órgãos de segurança pública nos principais acessos à capital baiana já é uma forma de inibir crimes, como o tráfico de drogas, por exemplo. “Até o momento, aqui no aeroporto, não foi registrada nenhuma apreensão de drogas”

 

 

 

 

 

Foto/Fonte: Secom Bahia