Posts Tagged ‘gás de cozinha’

Petrobras reduz preço do gás de cozinha

sexta-feira, setembro 23rd, 2022

Olha o gás. A Petrobras anunciou na quinta-feira, dia 22/9, nova redução no preço de venda de gás liquefeito de petróleo (GLP), mais conhecido como gás de cozinha.

A partir desta sexta-feira, dia 23/9, o preço médio de venda do quilo de GLP para as distribuidoras cairá de R$ 4,0265 para R$ 3,7842, equivalente a R$ 49,19 por botijão de 13kg. A redução média será de R$ 3,15 por 13kg.

Segundo informou a Petrobras, essa redução acompanha a evolução dos preços de referência e é coerente com a prática de preços da empresa, “que busca o equilíbrio dos seus preços com o mercado, mas sem o repasse para os preços internos da volatilidade conjuntural das cotações e da taxa de câmbio”.

Outros ajustes

Essa é a segunda redução do preço médio de venda do GLP da Petrobras para as distribuidoras em setembro e a terceira do ano. No último dia 13, o preço médio de venda do gás de cozinha passou de R$ 4,23/kg para R$ 4,03/kg, equivalente a R$ 52,34 por 13kg, com redução média de R$ 2,60 por 13 kg.

Em 9 de abril, houve redução de R$ 4,48/kg para R$ 4,23/kg, equivalente a R$ 54,94 por 13kg. A redução média refletida foi de R$ 3,27 por 13kg.

Já em março, houve variação, mas para cima. No dia 11 daquele mês o preço médio de venda do GLP para as distribuidoras passou de R$ 3,86/kg para R$ 4,48/kg, equivalente a R$ 58,21 por 13kg e refletindo reajuste médio de R$ 0,62 por kg.

SIGA @sitehoradobico NO INSTAGRAM

Fonte: Agência Brasil

Fotografia: Divulgação

Petrobras reduz preço do gás de cozinha para distribuidoras

terça-feira, setembro 13th, 2022

Pra se ligar. O preço médio do gás liquefeito de petróleo (GLP), praticado pela Petrobras junto às distribuidoras, é reduzido a partir desta terça-feira, 13/9. De acordo com a estatal, o valor do quilo (kg) passa de R$ 4,23 para R$ 4,03. O reajuste representa uma queda de 4,7%.

É a segunda redução consecutiva no preço do GLP, também conhecido como gás de cozinha. Em abril deste ano, houve uma queda de R$ 0,25 no valor do kg. Antes, no entanto, os preços mantinham trajetória de alta. Em julho do ano passado, houve aumento de 6%; em outubro de 7,2% e em março deste ano de 16,1%.

Segundo a Petrobras, o preço médio de 13 kg, correspondente à capacidade do botijão de uso doméstico, sofrerá uma redução de R$ 2,60, ficando em R$ 52,34. Contudo, não é possível precisar o valor final que será cobrado do consumidor, já que outros fatores exercem influência como os tributos que incidem sobre o GLP e as margens de lucro das distribuidoras.

Além da redução no GLP, a Petrobras anunciou nas últimas semanas quedas na gasolina, no diesel, no querosene de aviação e na gasolina de aviação. Os reajustes refletem as variações do mercado internacional, conforme a Política de Preços de Paridade de Importação (PPI) adotada pela estatal desde 2016. Na semana passada, o preço do barril de petróleo tipo brent, usado como referência, caiu abaixo de US$ 90 pela primeira vez desde fevereiro.

No primeiro semestre do ano, porém, o cenário internacional era outro. Com base no PPI, os combustíveis sofreram forte alta, o que gerou manifestações de insatisfação do presidente da República, Jair Bolsonaro. Em maio, ele trocou o comando da estatal pela quarta vez durante seu mandato. Caio Mário Paes de Andrade assumiu no lugar de José Mauro Ferreira Coelho.

Em nota, a Petrobras informa que a redução acompanha a evolução dos preços de referência e é coerente com a sua prática. A estatal sustenta que busca o equilíbrio com o mercado, sem repassar a volatilidade conjuntural das cotações e da taxa de câmbio. “De forma a contribuir para a transparência de preços e melhor compreensão da sociedade, a Petrobras publica em seu site informações referentes à formação e composição dos preços de combustíveis ao consumidor”, acrescenta o texto.

Consumidor

Conforme o último levantamento divulgado pela Petrobras, realizado entre 28 de agosto e 3 de setembro, o botijão de gás de 13 kg estava custando ao consumidor em média R$ 111,57. A estatal calcula ser responsável apenas por 49,2% desse valor. Atualmente, o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Produtos (ICMS), tributo estadual, responde por 10,6%. O restante do preço é de responsabilidade das distribuidoras, que leva em conta os gastos logísticos e a margem de lucro.

Essa composição do preço leva em conta a suspensão da incidência dos impostos federais sobre o GLP de uso doméstico. Uma medida provisória que abre essa possibilidade foi assinada em março do ano passado pelo presidente Jair Bolsonaro, sendo posteriormente aprovada no Congresso Federal. Foram zeradas as alíquotas do programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins).

Sem mudanças significativas na política de preços da Petrobras, a desoneração tem sido o caminho adotado pelo governo federal para baixar os preços não apenas do GLP, mas também da gasolina, do etanol, diesel e do Gás Natural Veicular (GNV). Outra lei proposta pelo governo federal entrou em vigor no final de junho limitando as alíquotas do ICMS que incidem sobre itens considerados essenciais.

A queda na arrecadação dos estados deverá ser compensada por meio do abatimento de valores da dívida pública que eles têm com a União. A medida, no entanto, gerou questionamentos dos estados e também de prefeituras, que recebem uma parcela do ICMS. No cálculo da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a perda apenas dos municípios é de quase R$ 20 bilhões. Além disso, divergências em torno do prazo para realização dessa compensação têm sido tratadas no âmbito judicial.

SIGA @sitehoradobico NO INSTAGRAM

Fonte: Agência Brasil

Fotografia: Divulgação

Auxílio Gás aumenta agora em agosto; em agosto; confira

quarta-feira, agosto 3rd, 2022

Pra quem precisa. Cerca de 5 milhões e 600 mil famílias vão receber R$ 110 de Auxílio Gás em agosto, anunciou hoje (2) a Caixa Econômica Federal. Até dezembro, o benefício terá o valor dobrado por causa da emenda constitucional que elevou benefícios sociais.

O pagamento ocorre de 9 a 22 de agosto, com base no dígito final do Número de Inscrição Social (NIS). As datas são as mesmas datas das parcelas do Auxílio Brasil, que teve o calendário de pagamento deste mês antecipado.

Tradicionalmente, os dois benefícios são pagos nos últimos dez dias úteis do mês, sendo que o Auxílio Gás é bimestral, pago a cada dois meses. Originalmente, a parcela de agosto seria paga entre os dias 18 e 31, mas foi antecipada.

Com a emenda constitucional que elevou benefícios sociais, o Auxílio Gás teve o valor dobrado, equivalendo a 100% do valor médio do botijão de 13 quilos nas parcelas de agosto, outubro e dezembro. Em 2023, o benefício voltará a valer metade do preço médio do botijão.

Cálculo

Para calcular o benefício, a Caixa Econômica Federal baseia-se nas pesquisas da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que até o décimo dia útil de cada mês divulga o preço médio dos seis meses anteriores do botijão de 13 quilos de gás liquefeito de petróleo (GLP). Dessa forma, a cada dois meses, o benefício muda de valor.

O Auxílio Gás totalizou R$ 52 em janeiro, R$ 51 em abril e R$ 53 em junho, quando equivalia a 50% do preço médio do botijão. Tradicionalmente, o benefício é pago a cada dois meses, mas a parcela de fevereiro foi antecipada para janeiro.

Duração

Com duração prevista de cinco anos, o programa beneficiará 5,6 milhões de famílias, até o fim de 2026, com o pagamento de 50% do preço médio do botijão de 13 quilos a cada dois meses (100% de agosto a dezembro). Para este ano, o Auxílio Gás tinha orçamento de R$ 1,9 bilhão, mas a verba subiu para R$ 2,95 bilhões com a emenda constitucional.

Só pode fazer parte do programa quem está incluído no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) e tenha pelo menos um membro da família que receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC). A lei que criou o programa definiu que a mulher responsável pela família terá preferência, assim como mulheres vítimas de violência doméstica.

Caixa Tem

O Auxílio Gás é pago com os mesmos cartões e as mesmas senhas do Auxílio Brasil, podendo ser sacado em lotéricas, terminais de autoatendimento e correspondentes bancários Caixa Aqui. O benefício também pode ser depositado nas contas poupança digitais, criadas para o pagamento do Auxílio Emergencial em 2020, e movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem.

O beneficiário precisa ficar atento. Caso não saque o Auxílio Gás em 120 dias após a data do pagamento, o dinheiro volta para a conta do governo. Quem tiver dúvidas sobre a situação do benefício pode fazer uma consulta nos aplicativos Caixa Tem e Auxílio Brasil ou ligar para a central de atendimento da Caixa, no número 111. Caso tenha dúvidas sobre o cadastro ou sobre o pagamento, o cidadão pode ligar para o Ministério da Cidadania, no telefone 121.

Fonte: Agência Brasil

Fotografia: Reprodução

Urgente: Gás de cozinha fica mais caro na Bahia

quinta-feira, junho 30th, 2022

Segura o bolso. Os baianos vão começar o mês de julho com mais um peso no orçamento. A partir desta sexta-feira 1/7, o gás de cozinha vai ficar mais caro no estado. O Sindicato de Revendedores (Sindrevgás) informou que o preço para as distribuidoras foi reajustado em R$ 4,90 e o repasse para o consumidor vai ficar entre R$ 5 e R$ 7.

Segundo a TV Bahia, a Acelen, empresa que controla a refinaria Mataripe (ex-RLAM), não informou sobre o aumento, mas, de acordo com o sindicato, a informação já foi passada para as revendedoras. A medida faria parte da política da empresa, que todo dia 1° de cada mês revê os preços praticados, podendo determinar aumento ou diminuição no valor do produto. 

O preço médio do botijão de gás na Bahia, entre os dias 19 e 25 de junho, era de R$ 105,78, segundo o levantamento semanal da Agência Nacional de Petróleo (ANP). O valor mais caro encontrado no estado foi de R$ 130,00 e o mais barato foi R$ 90,00.

O reajuste será o quarto somente em 2022. O último ocorreu no início de maio, quando, pela primeira vez no ano, o preço do botijão diminuiu. Na época, o reajuste deixou o gás de cozinha 10,7% mais barato.

Fotografia: Agência Brasilia

Tá puxado: Valor do gás de cozinha já afeta quase 10% do salário mínimo

sexta-feira, abril 29th, 2022

Misericórdia. O brasileiro já vem sentindo e agora tem a confirmação: o preço do gás de cozinha neste mês de abril já é o maior do século. Descontando a inflação, o valor atingiu a maior média mensal real desde 2001, ano em que iniciou a série histórica do levantamento de preços da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). 

Segundo a ANP, a média de preço do botijão de 13kg do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) no Brasil é R$113,48. Valor que representa 9,4% do salário minínio, patamar mais elevado desde 2007, ano em que o gás R$33,06 e o salário minímo era R$350.  

As informações são de um levantamento do Observatório Social da Petrobras (OSP), organização ligada à Federação Nacional dos Petroleiros (FNP). O estudo leva em consideração o preço médio mensal do GLP e a média de valores semanais de revenda no mês de abril, divulgados pela ANP.

Segundo o levantamento, em março deste ano, o gás de cozinha já tinha batido o maior preço médio real da série histórica, quando chegou a custar R$ 109,31. Antes disso, o recorde tinha sido registrado em novembro de 2021, com o preço médio de R$ 106,50.

De acordo com o economista Eric Gil Dantas, do OSP e do Instituto Brasileiro de Estudos Políticos e Sociais (Ibeps), o gás de cozinha voltou a comprometer o salário mínimo na mesma proporção de 2007. “Nesses 15 anos, com a manutenção do preço do gás de cozinha e a valorização do salário mínimo, essa proporção foi caindo, mas houve uma inversão em 2017 com a alta dos valores do GLP e o aumento real do salário mínimo”, ressalta.

Fotografia: Agência Brasília

Atenção: Petrobras anuncia redução no preço do gás de cozinha

sexta-feira, abril 8th, 2022

Olha aí. A Petrobras anunciou, nesta sexta-feira 8/4, uma redução no preço do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), que é usado com gás de cozinha. A diminuição no valor foi de R$ 0,25 por quilo. Segundo a companhia, isso foi possível graças à taxa de câmbio, que tem refletido uma valorização do real frente ao dólar.

“Acompanhando a evolução dos preços internacionais e da taxa de câmbio, que se estabilizaram em patamar inferior para o GLP, e coerente com a sua política de preços, a Petrobras reduzirá seus preços de venda às distribuidoras. A partir de 9/4, o preço médio de venda de GLP da Petrobras para as distribuidoras passará de R$ 4,48 para R$ 4,23 por kg, equivalente a R$ 54,94 por 13kg, refletindo redução média de R$ 3,27 por 13 kg”, informou a estatal.

Na mesma nota, a Petrobras reiterou seu compromisso com a prática de preços competitivos e em equilíbrio com o mercado, ao mesmo tempo em que evita o repasse imediato para os preços internos, das volatilidades externas e da taxa de câmbio causadas por eventos conjunturais.

Fotografia/Fonte: Agência Brasil

Preço do gás de cozinha sofre novo reajuste

sexta-feira, abril 1st, 2022

Misericórdia. Está em vigor nesta sexta-feira, dia 1º/4, o quarto aumento do gás de cozinha no ano. Oreajuste deve elevar o preço do botijão ao consumidor entre R$ 5 e R% 7, foi confirmado pela Acelen, controladora da refinaria Mataripe, localizada na Cidade de São Francisco do Conde.

Fotografia: Reprodução

Governo Federal zera alíquota de impostos de importação sobre gás de cozinha

quarta-feira, março 9th, 2022

A Receita Federal publicou nesta quarta-feira 9/3, instrução normativa zerando alíquotas do PIS/Pasep e da Cofins sobre o botijão de gás de cozinha de 13 quilos (kg) de uso doméstico. A medida incide sobre a importação e a receita de comercialização do produto.

Ficam reduzidas a zero as alíquotas da Contribuição para o PIS/Pasep-Importação e da Cofins-Importação incidentes sobre o gás liquefeito de petróleo (GLP) que será, posteriormente à operação, envasado em recipientes de até 13 kg e destinado ao uso doméstico, diz a norma.

A medida é adotada em meio à disparada no preço do petróleo em razão do conflito envolvendo Rússia e Ucrânia. A Rússia é o maior exportador mundial de petróleo e derivados combinados, com exportações de cerca de 7 milhões de barris por dia, ou 7% da oferta global.

Na segunda-feira (7), os preços atingiram os níveis mais altos desde 2008. O petróleo Brent subiu US$ 5,1, ou 4,3%, para fechar em US$ 123,21 o barril, e o dos EUA (WTI) avançou US$ 3,72, ou 3,2%, encerrando o dia em US$ 119,40 o barril. Durante a sessão, os benchmarks (marcas de referência) atingiram o nível mais alto desde julho de 2008, com o Brent chegando a US$ 139,13 por barril e o WTI, a US$ 130,5.

Levantamento da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) mostra que o gás de cozinha ultrapassou os R$ 100 em todas as regiões do país, variando de R$ 109,40 a R$ 140.

Fotografia/Fonte: Agência Brasil

Petrobras anuncia aumento na gasolina, no diesel e gás de cozinha

segunda-feira, julho 5th, 2021

Segure o bolso. A Petrobras anunciou nesta segunda-feira 5/7, que vai aumentar os preços da gasolina, do diesel e do gás de cozinha (GLP) a partir desta terça-feira 6/7. Segundo a estatal, os reajustes acompanham a elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo e derivados.

Para a gasolina, o aumento médio será de R$ 0,16 (6,3%), fazendo com que o litro do combustível saia de R$ 2,53 e chegue a R$ 2,69 nas refinarias da estatal.

Já o diesel terá um reajuste médio de R$ 0,10 (3,7%) por litro, que passará custar R$ 2,81 nas refinarias da Petrobras.

A estatal anunciou ainda que o preço médio de venda do GLP para as distribuidoras passará a ser de R$ 3,60 por kg, refletindo um aumento médio de R$ 0,20 por kg.

A Petrobras afirma que evita repassar imediatamente a volatilidade externa aos preços do mercado interno, mas busca o equilíbrio de seus valores com o mercado internacional e a taxa de câmbio. Segundo a estatal, tal alinhamento “é fundamental para garantir que o mercado brasileiro siga suprido sem riscos de desabastecimento pelos diferentes setores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileira”.

Até chegar aos consumidores finais, os preços cobrados nas refinarias da Petrobras na venda às distribuidoras são acrescidos de impostos, custos para a mistura obrigatória de biocombustível, margem de lucro de distribuidoras e revendedoras e outros custos.

“Para o GLP especificamente, conforme Decreto nº 10.638/2021, estão zeradas as alíquotas dos tributos federais PIS e Cofins incidentes sobre a comercialização do produto quando destinado para uso doméstico e envasado em recipientes de até 13 kg”, explica a Petrobras, que acrescenta que, no caso do GLP, o preço final é acrescido do custo de envase nas distribuidoras.

Fotografia/Fonte: Agência Brasil

Urgente: Explosão em empresa de gás deixa morto e feridos

sexta-feira, maio 14th, 2021

Pai do céu. Uma explosão que aconteceu em uma empresa de gás de cozinha, em Mataripe, na Cidade de São Francisco do Conde (Ba), deixou uma pessoa morta e outras duas gravemente feridas nesta sexta-feira 14/5. A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros da Bahia.

A explosão aconteceu às 9 horas da manhã, no setor de requalificação dos botijões.

Segundo os bombeiros, o incêndio já foi controlado, mas ainda há vazamento de gás e as equipes estão realizando o controle da situação. As duas vítimas em estado graves foram levadas por unidades do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) para o hospital de Madre de Deus.

O Corpo de Bombeiros reforça que as equipes de bombeiros militares e brigadistas do estabelecimento estão atuando em duas linhas, fazendo o rebatimento dos gases, para evitar que eles se concentrem.

Fotografia/Fonte: Corpo de Bombeiros

Caminhão carregado de gás cai em ribanceira

sexta-feira, abril 9th, 2021

Pai do céu. Um motorista ficou ferido após o caminhão que ele dirigia cair em uma ribanceira na BA-632, em trecho que pertence a Inhobim, distrito da Cidade de Vitória da Conquista, no Sudoeste da Bahia.

De acordo com a imprensa local, o motorista chegou a ficar preso nas ferragens. O veículo de grande porte possuía uma carga de gás de cozinha que, por conta do acidente, ficou espalhada na pista da rodovia.

Duas guarnições do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foram deslocadas para a realização do resgate e atendimento da vítima. A ocorrência foi registrada na 2ª Companhia Independente de Polícia Rodoviária.

Fotografia: Reprodução/Blog Anderson

Gás de cozinha mais caro

quinta-feira, janeiro 7th, 2021

Segura o bolso. A Petrobras vai aumentar em 6% o preço do gás liquefeito de petróleo (GLP), conhecido como gás de cozinha, a partir desta quinta-feira 7/1. A informação foi divulgada na quarta-feira 6/1, pela petroleira. Agora, o valor praticado pela Petrobras vai a R$ 35,98 por 13kg nas distribuidoras.

Em nota, a empresa reforçou que desde novembro de 2019 igualou os preços de GLP para os segmentos residencial e industrial/comercial, e que o produto é vendido às distribuidoras a granel. Os preços ao consumidor final são de responsabilidade das distribuidoras.

Fotografia: Agência Brasil

Se prepare: Gás de cozinha mais caro

quinta-feira, agosto 27th, 2020

O preço do GLP, mais vendido em botijões de 13 quilos para consumo residencial, fica 5% em média mais caros nas refinarias da Petrobras, a partir desta sexta-feira 28/8. Este é o sexto aumento consecutivo de preços desde maio.

Com o reajuste anunciado nesta quinta-feira 27/8, o produto acumula uma alta média no ano de 5,77%. Além da disparada na cotação do dólar, que impacta nos preços da Petrobras no mercado internacional, os valores do GLP estão em alta, de acordo com executivos do setor, especialmente nos Estados Unidos.

Esse reajuste é válido também para o GLP consumido  pelo comércio e indústria.

Fotografia: Agência Brasil

Prepare o bolso: Gás de cozinha fica mais caro

terça-feira, outubro 22nd, 2019

O gás de cozinha residencial (GLP) aumentará 5% nas distribuidoras e o GLP industrial e comercial 3%, a partir da meia-noite desta terça-feira (22). O anúncio foi feito pelo Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) em nota à imprensa e confirmado pela Petrobras.

Os aumentos são médias, pois o valor terá variação, para maior ou menor, dependendo da área de distribuição nacional, segundo o Sindigás. O preço para o consumidor final poderá ser diferente, pois as distribuidoras acrescem ao percentual de aumento os custos com mão de obra, logística, impostos e margem de lucro.

“O Sindigás informa que suas empresas associadas foram comunicadas pela Petrobras, na tarde de hoje [21], sobre o aumento no preço do GLP residencial (embalagens de até 13kg) e empresarial (destinado a embalagens acima de 13 kg). O aumento passa a valer a partir de amanhã, dia 22 de outubro, nas unidades da petroleira. De acordo com as informações recebidas da Petrobras, o aumento do GLP residencial oscilará entre 4,8% e 5,3%, e o aumento do GLP empresarial entre 2,9% e 3,2%, dependendo do polo de suprimento”, informou o Sindigás.

O último aumento de GLP praticado pela Petrobras foi no dia 5 de agosto. Fonte: Agência Brasil

Foto: Reprodução

Governo avalia novas medidas para reduzir preço do gás de cozinha

sábado, agosto 3rd, 2019

Com a promessa de derrubar o preço do gás natural em até 40%, a nova política para o setor precisará de medidas adicionais para que a redução chegue à cozinha do brasileiro. Estudo divulgado nesta semana pelo Ministério da Economia lista três medidas para melhorar a competitividade do preço aos consumidores residenciais.

Produzido pela Secretaria de Avaliação, Planejamento, Energia e Loteria (Secap) da pasta, o documento defende o fim da política que concentrou o mercado de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) nos botijões de até 13 quilogramas (kg). A medida pode ser implementada ainda neste mês.

O documento também pede que o Conselho Nacional de Política Econômica (CNPE) recomende à Agência Nacional do Petróleo (ANP) um posicionamento sobre duas medidas anunciadas pelo governo: a liberação da venda fracionada de gás de cozinha e o enchimento de um mesmo botijão por diferentes marcas.

“Entende-se que essas mediadas constituem o ponto de partida para um processo de abertura efetiva do mercado de GLP à multiplicidade de agentes em todos os elos da cadeia, de modo a proporcionar benefícios aos consumidores em decorrência do aumento da concorrência”, destacou o documento. “Nesse sentido, a Secap visa contribuir com a discussão, para que os benefícios advindos do choque de energia barata também possam ser auferidos pelos consumidores residenciais do botijão de gás de cozinha”, diz o documento.

Fim de restrições

Prevista para ser decidida na reunião do CNPE no fim deste mês, a primeira medida pretende acabar com a política de preços diferenciados e com as restrições de mercado para botijões de gás de até 13 kg. Presentes em 72% do mercado nacional de gás, esses botijões têm o uso proibido em motores, no aquecimento de saunas e piscinas, em caldeiras industriais e em veículos.

Segundo o estudo, essa política barra a entrada de novos agentes no mercado e desestimula a concorrência. Para o Ministério da Economia, não existem provas de que os preços subsidiados para botijões de até 13 kg favoreçam apenas os mais pobres. Segundo a pasta, a população com renda mais elevada apropria-se do benefício. Na avaliação da secretaria, o fim das restrições não resultaria em aumento de preços, mas em aumento de competitividade.

Fracionamento

Em relação ao enchimento fracionado de recipientes, o documento informou que as regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para o abastecimento a granel de GLP aplica-se a todos os tipos de recipientes e volumes, sem normas específicas para o enchimento do botijões de 13 kg. Para a secretaria, a venda fracionada pode criar novos modelos de transporte e de compra do gás, resultando em preços mais baixos para o consumidor.

“É possível que, com o fracionamento, venha a existir um modelo de negócios, a exemplo do Uber Eats e iFood que compra alimentos de quaisquer restaurantes e entregam em domicílio, provisionando gás para o consumidor (de qualquer peso) residencial, a partir de qualquer ponto de abastecimento normatizado por meio de regras ABNT”, ressaltou o relatório.

Troca de botijões

Em relação ao fim da proibição de que um botijão de uma distribuidora seja retornado e enchido por outra, o Ministério da Economia alega que a medida permite a entrada de mais agentes no mercado de distribuição. Isso porque a necessidade de destrocar vasilhames de marcas diferentes da distribuidora antes do enchimento aumenta os custos, beneficiando empresas grandes.

Segundo a pasta, os países que derrubaram a restrição à troca de botijões viram a concorrência aumentar. “Em Portugal, por exemplo, não era permitida a troca de botijões, mas após investigação do órgão de defesa do consumidor, constatou-se que tal prática resultava em falta de competição no mercado, a tal ponto de seus preços serem injustificadamente superiores aos praticados na Espanha”, destacou o estudo.

O Ministério da Economia recomendou mais estudos sobre a prática, com a possibilidade de criação da figura de um Trocador Independente de Botijões, empresa que atuaria com regulação do governo e com remuneração pré-definida (recebendo quantia fixa) para encher botijões de marcas distintas.

Foto: Reprodução

Operação coíbe aumento abusivo no preço do gás

quarta-feira, maio 30th, 2018
Uma operação conjunta foi deflagrada, na segunda-feira 28/05, pela Delegacia do Consumidor (Decon) e Departamento de Repressão aos Crimes Contra o Patrimônio (DCCP), para coibir os aumentos abusivos dos preços em revendas de gás (GLP) e postos de combustíveis, na capital baiana, devido a greve dos caminhoneiros, que ocorre em todo país.
A ação, realizada em conjunto com outros órgãos de fiscalização, foi efetuada em atendimento às diversas denúncias encaminhadas pela população, àquela unidade especializada, de que diversas revendas estavam praticando altos preços na venda dos botijões de gás, em diversos bairros. 
Foram vistoriados estabelecimentos nos bairros da Federação, Castelo Branco, Vila Canária, Canabrava e Pau da Lima. “Durante as fiscalizações observamos que os preços praticados estavam em consonância com o mercado e regulados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP)”, declarou o delegado Marcelo Tannus, titular da Decon, e responsável pela operação.

Foto: Divulgação SSP

Gás de cozinha vai aumentar a partir desta terça-feira (5)

segunda-feira, dezembro 4th, 2017


Olha aí. A Petrobras reajustou em 8,9%, em média, o preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) para uso residencial, engarrafado pelas distribuidoras em botijões de até 13 quilos (kg). O reajuste do gás de cozinha entra em vigor à 0h desta terça-feira, dia 5/11.

O aumento se deve principalmente à alta das cotações do produto nos mercados internacionais, que acompanha a alta do Brent, (petróleo cru), que indica a origem do óleo e o mercado onde ele é negociado, segundo a Petrobras.

O percentual anunciado de reajuste leva em contra preços praticados sem incidência de tributos. Se for integralmente repassado ao consumidor, a Petrobras estima que o preço do botijão de gás de cozinha de 13 kg deve subir, em média, 4%, ou cerca de R$ 2,53 por botijão, isso se forem mantidas as margens de distribuição e de revenda e as alíquotas de tributos.

Em nota, o Sindicato das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) afirma que o reajuste anunciado pela Petrobras ainda deixa o preço dos botijões de cozinha de 13kg cerca de 1,3% abaixo do preço de paridade internacional.

Foto: Agência Brasil

Veículo movido a gás de cozinha pega fogo e fica destruído na Bahia

quinta-feira, janeiro 12th, 2017

IMG_0039

Misericórdia. Uma caminhonete D10 carregada com palma pegou fogo na Cidade de Santaluz, na manhã de quarta-feira, dia 11/1. A cabine do veículo e parte da carroceria ficaram destruídas, mas ninguém se feriu. Uma guarnição da Polícia Militar foi acionada e quando chegou ao local, o dono do veículo e populares já tinham conseguido apagar as chamas.

IMG_0045

O dono da caminhonete contou que seguia com outra pessoa para uma fazenda no povoado de Anjos, Zona Rural de Santaluz quando aconteceu o incêndio, que segundo ele foi causado por um vazamento de gás. “O fogo começou muito rápido. Só deu tempo de parar o carro e a gente descer. Não consegui nem tirar algumas roupas e pertences, inclusive documentos. Perdi tudo o que tinha dentro da cabine”, comentou.

 

 

Foto/fonte: Notícias de Santaluz

Mulher deixa gás de cozinha vazando, mata duas filhas e foge

sexta-feira, dezembro 5th, 2014

noticia_13310

Misericórdia. Uma mulher fugiu após matar suas duas filhas, de um e quatro anos, na tarde de quinta-feira, dia 4, em Itaquaqecetuba, na Grande São Paulo.

De acordo com informações, a mãe das crianças estaria em depressão. Ela trancou as meninas dentro de casa, com o gás de cozinha ligado. Na hora do crime, o pai estava trabalhando.

No local, o Corpo de Bombeiros encontrou os corpos já em rigidez cadavérica. As duas crianças inalaram muito gás, mas a menina de quatro anos estava com sinais de esganamento.

Na residência, os policiais ainda encontraram uma faca suja de sangue. A mulher ainda não foi localizada.

Foto: Reprodução/ Ilustrativa