Posts Tagged ‘Piscina Olímpica’

ACM Neto assina ordem de serviço do centro aquático municipal

sábado, novembro 25th, 2017

Evolução. O prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), assinou neste sábado, dia 25/11, a ordem de serviço para a construção de um Centro Aquático na área do antigo Clube Português, na Praça Wilson Lins, na Pituba, onde será investido R$ 1,2 milhão. Segundo a prefeitura, o equipamento terá a primeira piscina olímpica municipal e deve ficar pronto até abril de 2018. ACM Neto anunciou também a requalificação e integração das praças Wilson Lins e Nossa Senhora da Luz, ambas na Pituba.

Salvador foi uma das quatro Cidades contempladas com esse tipo de doação. A licitação para o transporte do equipamento está sendo preparada. A piscina que é toda em aço inox, atualmente se encontra no Rio de Janeiro e vai chegar a Salvador em contêineres, desmontada. O Centro Aquático terá ainda uma piscina de aquecimento, além de todo maquinário necessário, área administrativa e academia de musculação.  A piscina é um legado das Olimpíadas do Rio de 2016, doada pelo Ministério dos Esportes após o término das competições.

 

Foto: Divulgação

Atletas se preparam para Jogos do Rio na Piscina Olímpica da Bahia

quarta-feira, julho 6th, 2016

Atletas baianos se preparam para as Olimpíadas e Paralimpíadas do Rio 2016. Na foto: Verônica Almeida, atleta paralímpica Foto: Camila Souza/GOVBA

Em funcionamento desde abril, a Piscina Olímpica da Bahia, construída pelo Governo do Estado na Avenida Bonocô, na capital baiana, já está sendo utilizada por atletas de alto rendimento, como o campeão mundial de maratona aquática, Allan do Carmo, e a atleta paralímpica Verônica Almeida. Ambos vão representar o Brasil nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

Registrada no Guinness Book como a atleta mais rápida a nadar 10 quilômetros em mar aberto com apenas um braço, Verônica já sente a melhora no rendimento com a preparação na piscina olímpica. “É uma piscina bastante rápida, tem uma profundidade ideal, feita para competições internacionais. Para mim, está sendo muito importante [o treinamento]. Sou atleta de provas rápidas, nado 50 metros borboleta e 100 metros peito, e treinar nessa piscina está sendo de suma importância para o que eu vou fazer lá no Rio. Hoje, com um mês de treinamento aqui, eu já melhorei muito”.

Para a nadadora, um estado como a Bahia, formador de nadadores campeões, precisava de uma piscina olímpica para formação de base. “As crianças têm se inspirado nos atletas e se motivado com a piscina. Elas veem este equipamento e se dedicam mais, dizem ‘eu quero chegar lá’. Não é simplesmente chegar aqui e cair na piscina, é para uma galera que quer se dedicar. Eu acredito muito que vão sair novos nadadores daqui”.

Verônica também destaca a importância do apoio do Estado ao atleta. “A Bahia tem um projeto que é o FazAtleta, super-além do que é oferecido em outras capitais, outras cidades. É o que me dá suporte. Eu conto com esse programa e sem ele não teria chegado ao Rio. Agora é manter a calma. Tenho cobranças, estou muito ansiosa. É minha terceira paralimpíada, já fui para Pequim e Londres, mas nada como nadar aqui, que tenho a torcida do Brasil”.

Legado olímpico

De acordo com o diretor da Superintendência dos Desportos do Estado (Sudesb), Elias Dourado, a Piscina Olímpica da Bahia é parte de um centro nacional de treinamento de natação. “É um equipamento de última geração para a natação brasileira. Nós estaremos nos próximos dias discutindo com a Confederação Brasileira de Natação e a Confederação Baiana de Desporto Aquático parcerias para viabilizar o alto rendimento. Nós vamos receber as seleções brasileiras e internacionais de polo aquático e nado sincronizado, além de natação. Ao lado disso, temos uma piscina de 25 metros que será utilizada para iniciação esportiva de crianças e jovens das áreas periféricas, das escolas públicas”.

Elias Dourado acrescenta que “a Bahia desponta agora em uma nova situação dentro daquilo que podemos chamar de legado olímpico. Teremos dez jogos de futebol masculinos e femininos na Fonte Nova. Temos o Centro Pan-Americano de Judô, o melhor das Américas, com capacidade para duas mil pessoas, climatizado e preparado para diversas modalidades. Temos o Ginásio de Cajazeiras, que serve ao futsal, vôlei, basquete e handebol. Então, temos equipamentos que permitem ao esporte baiano buscar o seu protagonismo”.

Foto:Camila Souza/GOVBA

Fonte: Secom Bahia