Posts Tagged ‘operação da Polícia Federal’

Alvo de operação da PF, ministro de Temer pede exoneração

quinta-feira, julho 5th, 2018

Em nota à imprensa divulgada nesta quinta-feira, dia 5/7, o Palácio do Planalto informou que o presidente Michel Temer recebeu e aceitou o pedido de exoneração do ministro do Trabalho, Helton Yomura. “O presidente agradeceu sua dedicação à frente da pasta”, diz a nota da Secretaria de Comunicação Social da Presidência.

Um dos alvos da operação Registro Espúrio, deflagrada hoje (5) pela Polícia Federal (PF), o ministro Helton Yomura prestou depoimento na superintendência do órgão, em Brasília, acompanhado por seu advogado, e depôs por cerca de uma hora. Em nota, o advogado do ministro, César Caputo Guimarães, confirmou que, em função das investigações, Yomura está suspenso de suas funções no ministério e que todas as medidas jurídicas cabíveis estão sendo adotadas para reverter tal medida.

Deflagrada no dia 30 de maio para apurar a suspeita de fraudes no registro de sindicatos junto ao Ministério do Trabalho, a Operação Registro Espúrio deixou o Ministério temporariamente sem comando. A pedido da PF e da Procuradoria-Geral da República (PGR), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, determinou o afastamento de Yomura. Fonte: Agência Brasil

 

 

Foto: Divulgação

PF desmonta esquema de desvio de recursos públicos na Bahia

quinta-feira, maio 3rd, 2018

Pra cima. A Polícia Federal e a Controladoria Geral da União deflagraram nesta quinta-feira, dia 3/5, a Operação Desconstrução contra um esquema de desvio de recursos públicos destinados às áreas da educação e saúde na cidade de Anagé, no sudoeste baiano.

Cerca de trinta agentes da PF, acompanhados de seis auditores da Controladoria Geral da União, cumprem nove mandados de busca e apreensão e dezesseis mandados de intimação nos municípios baianos de Anagé, Tanhaçu e Vitória da Conquista.

A operação decorre de uma investigação iniciada em 2015, a partir de denúncia de vereadores da cidade sobre atividades irregulares de três falsas construtoras da região que, em conluio com o poder público municipal, venceram, quase que simultaneamente, oito licitações de obras de melhorias sanitárias, escolares e da área de saúde, desviando esses recursos públicos obtidos sem concluir as obras contratadas.

Ao longo das investigações, a PF constatou que essas empresas vencedoras de licitações recorrentes serviam apenas de “fachada” e que, na verdade, não havia concorrência nenhuma.

Foi constatado que, entre os anos de 2013 e 2015, a organização criminosa obteve contratos da ordem de R$ 3.791.322,49.

Uma das licitações chegou a ser cancelada porque o vencedor não era um dos integrantes da tríade.

O município de Anagé também foi selecionado neste ano para ser fiscalizado pela Controladoria-Geral da União, por conta da 5ª edição do Programa de Fiscalização de Entes Federativos, cujo escopo abrangeu os recursos federais destinados para obras, bem como para as áreas de saúde e educação. Em relação às obras fiscalizadas, apurações preliminares da CGU apontam para a ocorrência de superfaturamento pelo pagamento por serviços que não foram executados, além da não entrega, por parte da Prefeitura, da documentação solicitada pelos auditores.

Os envolvidos responderão pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, desvio de recursos públicos e fraude à licitação. PF

 

 

 

Foto: Divulgação

Operação desarticula grupo que desviava recursos do transporte escolar na Bahia

quinta-feira, novembro 23rd, 2017

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira, dia 23/11, na Bahia, a Operação Lateronis, que visa desarticular esquema de desvio de recursos públicos do transporte escolar no estado. A ação conta com a participação do Ministério da Transparência, Controladoria-Geral da União (CGU) e foi feita em parceria com o Ministério Público Federal (MPF).

Segundo as investigações, que ocorreram de 2010 a 2016, o grupo investigado recebeu R$ 132 milhões. Do valor total dos desvios, R$ 63 milhões correspondem a recursos federais, destes, R$ 11 milhões do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate) e R$ 52 milhões do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). A quadrilha chegou a firmar contratos com 35 municípios da Bahia.

A operação foi feita com base nas fiscalizações da CGU e na constatação da existência de um grupo empresarial (em conjunto com agentes políticos e servidores públicos) que atuava no direcionamento de licitações de transporte escolar para cooperativas e empresa de fachada. Na cidade de Encruzilhada, além de exigências ilegais e restritivas nos editais de licitações, a polícia apurou que os próprios certames eram conduzidos para impedir a participação de outros interessados.

De acordo com a apuração, a Prefeitura de Encruzilhada também realizou sessões de abertura de pregões em dia de ponto facultativo, e até mesmo em uma sexta-feira, após o feriado de Natal, prática incomum no serviço público. No resultado final, três empresas de fachada, que seriam supostas concorrentes de pregão presencial, foram representadas por membros de um mesmo grupo familiar. Para a PF, o fato evidenciou uma mera simulação de competição.

A execução dos contratos ocorriam por intermédio da subcontratação irregular do serviço integral. Os motoristas não eram cooperados, tampouco empregados. O transporte era feito com os próprios veículos, e os proprietários dos transportes tinham que arcar com todos os custos do serviço.

No caso das empresas contratadas, elas atuavam apenas como interpostas, tendo em vista que o desvio de recursos ocorria por meio do superfaturamento dos valores cobrados do município. Só na cidade de Itambé (BA), também alvo de fiscalização da CGU, foi constatado, no período de 2013 a 2015, um superfaturamento de R$ 1,5 milhão.

A Operação Lateronis está cumprindo nove mandados de prisão preventiva, quatro de prisão temporária, 41 de busca e apreensão, além de 13 de medidas cautelares. A operação conta com o contingente de 180 pessoas, entre policiais federais e auditores da CGU. Fonte: Agência Brasil

 

Foto: Ilustrativa

Polícia Federal faz buscas nos endereços de Lúcio Vieira Lima em Salvador e Brasília

segunda-feira, outubro 16th, 2017

Vixe. A Polícia Federal faz na manhã desta segunda-feira, dia 16/10, operação no gabinete em Brasília e no apartamento do deputado federal Lúcio Vieira Lima (PMDB), em Salvador. Lúcio é irmão do ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB), preso no dia 8/9.

Os policiais querem saber se o parlamentar tem ligação com os 51 milhões de reais encontrados em um apartamento no bairro da Graça, em Salvador.

Nesta operação, os agentes da PF cumprem mandados de busca e apreensão no endereço funcional de Lúcio Vieira Lima, em Brasília, em endereços localizados em Salvador. A ação foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Edson Fachin.

 

 

Foto: Hora do Bico

VÍDEO: Edílson desabafa nas redes sociais sobre operação da PF

sexta-feira, setembro 11th, 2015

ENTREVISTA JOGADOR EDÍLSON SILVA FERREIRA - FUTEBOL - ESPORTES - O ex jogador de futebol Edílson o Capetinha, que hoje é empresário e dono de uma produtora musical em Salvador, concede entrevista exclusiva para o site Gazeta Esportiva.Net na tarde dessa quinta-feira - Farol da Barra - Salvador - Bahia - Brasil - 10/09/2009 - Foto:Fernando Pilatos/Gazeta Press

Depois de negar participação no esquema de fraudes nos pagamentos das loterias da Caixa, o ex-jogador Edílson Capetinha, utilizou as redes sociais para falar sobre a operação da Polícia Federal, deflagrada nesta quinta-feira, dia 10, na Bahia e em mais quatro estados, além do Distrito Federal.

Em um vídeo publicado em seu perfil oficial do Instagram na madrugada desta sexta-feira, dia 11, o campeão mundial pela Seleção Brasileira tratou o envolvimento do seu nome na operação como um “mal entendido”. Na legenda, Edílson exaltou o nome de Deus. “Quem confia no senhor diga amém!”, escreveu e foi apoiado pelos seus seguidores.

Assista ao vídeo