Posts Tagged ‘prisão domiciliar’

STF autoriza ex-médico Abdelmassih cumprir prisão domiciliar

sábado, setembro 30th, 2017

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski determinou que o ex-médico Roger Abdelmassih, deixe a Penitenciária de Tremembé, no interior paulista, e volte a cumprir pena em prisão domiciliar. A Corte informou que não irá divulgar o teor da decisão enquanto ela não for publicada no Diário Oficial da Justiça.

Abdelmassih estava preso na Penitenciária de Tremembé desde o dia 24 de agosto, após uma decisão que cassou a liminar que permitia que o ex-médico cumprisse pena em prisão domiciliar por causa da falta de tornozeleira eletrônica no estado paulista. A expectativa de seu advogado, Antônio Celso Fraga, é que, devido ao plantão judiciário no final de semana, seu cliente deixe a penitenciária na segunda-feira.

“A decisão ainda não está disponível no site do Supremo. Mas os ofícios já foram encaminhados. Só que o Poder Judiciário só funciona em regime de plantão aos finais de semana. Então, acho pouco provável que ele saia hoje. É muito mais possível na segunda-feira”, disse Fraga. A Agência Brasil não conseguiu contato com a Secretaria de Administração Penitenciária (SAP) para confirmar quando o ex-médico deve deixar a prisão.

O advogado destacou que a prisão domiciliar não havia sido cassada, mas apenas suspensa. “Os requisitos da doença grave e da impossibilidade do Estado de garantir o tratamento vão ter que ser apreciados pelo Tribunal de Justiça. O problema hoje é que o estado de São Paulo estava com o problema da tornozeleira. Por conta dessa circunstância, a juíza suspendeu a domiciliar. Agora o ministro falou que esse problema do estado não pode afetar alguém que tenha direitos como é ele, que está doente e que não pode ficar no cárcere”, disse o advogado, em entrevista hoje (30) à Agência Brasil.

Segundo Fraga,  Abdelmassih ficará em casa cumprindo o restante da pena, mas sem a tornozeleira. “Ele não consegue perambular sozinho. A tornozeleira, nessa circunstância, não é algo vital”, falou. Agência Brasil

 

 

Foto: Reprodução

Geddel chega a Salvador pra cumprir prisão domiciliar

sexta-feira, julho 14th, 2017

Olha aí. Após ser colocado em liberdade na noite desta quinta, dia 13/6, o ex-ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) desembarcou em Salvador na madrugada desta sexta-feira, dia 14, por determinação do desembargador Ney Bello, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1). O peemedebista baiano chegou à capital baiana em um avião fretado na companhia de quatro pessoas, dentre elas a filha. Ele vai cumprir prisão domiciliar em casa.

Foto: Agência Brasil

Justiça concede prisão domiciliar ao ex-ministro Geddel Vieira Lima

quarta-feira, julho 12th, 2017

Nesta quarta-feira, dia 12/7, a Segunda Instância da Justiça Federal em Brasília concedeu prisão domiciliar ao ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso preventivamente desde o dia 3 de julho. A decisão foi proferida pelo desembargador Ney Bello, motivada por um pedido de liberdade feito pela defesa de Geddel.

O ex-ministro foi preso por determinação do juiz Vallisney Oliveira, da 10ª Vara Federal, no Distrito Federal, sob a acusação de tentar obstruir as investigações de supostas irregularidades na liberação de recursos da Caixa Econômica Federal. Informações: Agência Brasil

 

 

Foto: Reprodução

Depois de ser baleado em festa, homem é fuzilado em leito de hospital

quarta-feira, abril 19th, 2017

Foram pra matar. Bandidos bem armados invadiram o Hospital Regional de Ibotirama, no Oeste da Bahia, e fuzilaram um paciente de 28 anos, na enfermaria da unidade hospital em plena tarde de terça-feira, dia 18/4. As informações foram divulgadas por policiais da 28ª Companhia Independente da Polícia Militar (CIPM).
 
Não há informações sobre a autoria e a motivação do assassinato, que de acordo com testemunhas, causou pânico entre os pacientes e funcionários. A vítima foi um homem identificado como Marcelo, que estava internado desde o domingo, dia 16/4, quando sofreu uma tentativa de homicídio numa festa.
Segundo a Polícia Militar, testemunhas disseram que Marcelo cumpria prisão domiciliar, mas que, no domingo, descumpriu a medida e resolveu ir à festa. No local, recebeu diversos balaços e, em seguida, foi socorrido.
A PM informou que foi acionada para atender a ocorrência no hospital por volta das 14h10 e que, quando chegou ao local, Marcelo já estava morto. Um funcionário do hospital informou que os criminosos entraram na unidade de saúde, no momento da troca de plantão, por onde ocorre o acesso de funcionários. Não há informações sobre quantos suspeitos participaram da ação.
Conforme a PM, os policiais militares realizaram rondas para tentar localizar e prender os suspeitos, mas eles não foram encontrados. A PM disse que acionou a perícia técnica e a Polícia Civil, responsável pelas investigações.
A direção do Hospital Regional da Cidade de Ibotirama divulgou nota de pesar pelo crime e destacou que está à disposição da Policia para contribuir com as investigações. “O hospital se solidariza com a família e apresenta consternação pelo momento tenso e de pânico entre os demais pacientes e colaboradores”, explica a nota.

 

 

Fotos: Reprodução/Redes Sociais

STF nega prisão domiciliar a João Paulo Cunha

terça-feira, dezembro 2nd, 2014

J

Tá vendo aí? O Supremo Tribunal Federal (STF) negou o pedido de prisão domiciliar para o ex-deputado João Paulo Cunha. Este é o primeiro caso em que a Côrte nega o benefício de progressão da pena a um condenado político no processo do mensalão.

Outros sete condenados que assim como João Paulo Cunha cumpriam a pena em regime semiaberto – autorizados a trabalhar durante o dia e apenas dormir na cadeia – conseguiram a autorização do regime domiciliar. Entre eles estão José Dirceu (ex-ministro da Casa Civil), Delúbio Soares (ex-tesoureiro do PT) e José Genuíno (ex-presidente do PT).

Para a decisão sobre o benefício a Cunha, no entanto, o STF levou em consideração o argumento do procurador-geral da República, Rodrigo Janot. No dia 12 de novembro, ele enviou à Côrte um parecer em que se dizia contrário à concessão do regime domiciliar.

Janot argumentou que o ex-deputado foi condenado por crime de peculato (desvio de dinheiro público) e não devolveu à União a quantia com a qual ilegalmente se beneficiou, que soma mais de R$ 500 mil.

João Paulo Cunha foi preso em fevereiro e ainda tem mais seis anos de pena para cumprir.

 

Foto: Reprodução
*Com informações da Band News Fm